Blog do Eliomar

Últimos posts

TRE/CE – Vice de Lúcio e presidente do PDT cearense têm registros deferidos

O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral deferiu, durante sessão neste domingo, os registros de C láudio Vale, candidato a vice-governador de Lúcio Alcântara (PR/PPS). O Ministério Público Eleitoral havia questionado possível dupla filiação dele, no que o advogado Irapuan Camurça apresentou recurso que acabou acatado.

Nessa mesma sessão, foram deferidos os registros do presidente regional do PDT, André Figueiredo, e do deputado estadual Carlomano Marques (PMDB). Havia questionamentos sobre possível compra de votos no último pleito por parte dos dois.

Já o PV teve vários dos seus candidatos a cargos proporcionais indeferidos por questão de documentação.

* Site do TRE/CE, deferimentos e indeferimentos em “notícias” aqui.

No debate, Lúcio diz que apoia Dilma, Marcos citou Serra e Cid só lembra Lula

254 3

A TV União conseguiu promover um debate insípido, inodoro e incolor. Sem emoção e com sete candidatos a governador sem debater literalmente. Cada um mostrando suas propostas, mas sem querer polêmicas. O formato e a quantidade de participantes tornou o encontro um atração fria e com narração a lá rádio de 1950.

Até o encontro Cid e Marcos Cals ficou sem emoção. Mas Cid não deixou de lembrar que Cals fora seu secretário de Justiça e Cidadania e que teria colaborado para melhorar o quadro da segurança. Soraya Tupinambá (PSOL) nos pareceu muito nervosa; Marcelo Silva (PV) foi aquele do discurso comportadinho. Maria da Natividade (PCB) voou bastante em suas propostas.

Lúcio Alcântara foi propositivo, mas deve ter saído do debate com gostinho de frustração por não ter feito confronto com Cid Gomes que, por sua vez, publicizou alguns dos seus projetos. Ele fez questão de destacar que lutou para que o pleito não ficasse no W.O. ou seja, com um só nome disputando, no caso o atual governador, sem adversários de grandes partidos.

Por incrível que pareça, Gonzaga (PSTU) foi quem mais atraiu as atenções, porque entrou naquela de chutar a canela de Lúcio, Cid e Marcos Cals, todos, como ele disse, do mesmo modelo capitalista que o seu partido combate.

Gonzaga aproveitou para apelar à prefeita Luizianne Lins (PT) e ao governador Cid Gomes (PSB) para que mediem o impasse entre motoristas e cobradores de ônibus e empresários.

NOVO DEBATE

A TV União informou que no dia 27 de setembro, ao meio-dia, promoverá mais um debate com os candidatos a governador. Na ocasião, o mediador pedia logo que os postulantes confirmassem presença. Não tinha essa de dizer depois. Era pra confirmar democraticamente na hora.

DETALHE – A candidata Soraya Tupinambá aproveitou para informar que o candidato a presidente pelo PSOL, Plínio de Arruda Sampaio, estará em Fortaleza no próximo dia 7. Virá para o evento “Noite Socialista”, em local a ser divulgado.

DETALHE 2 – O candidato Lúcio Alcântara fez questão de dizer que apoia Dilma Rousseff (PT) para presidente da República e que seu partido é da base da postulante.

DETALHE 3 – O PV de Marcelo Silva também lembrou Marina Silva e Gonzaga não se esqueceu de citar José Maria, o candidato do PSTU a presidente da República.

DETALHE 4 – Cid Gomes citou o apoio de Lula a projetos de sua gestão nas áreas da saúde e infraestrutura, por exemplo. Ele não citou a candidata a presidente da República, Dilma Roussef (PT), apoiada pelo seu PSB. Cid não confirmou presença no próximo debate da TV União, dia 27. Se a agenda permitir, comparecerá. Lula tem previsão de vir nessa data para comício em Fortaleza.

DETALHE 5 – Marcos Cals (PSDB) citou o seu candidato a presidente da República, José Serra, durante o debate, numa parceria em projeto de combate às drogas. Ele confirmou presença no próximo debate de forma curiosa: só não estaria ali se morresse.

Soraya denuncia perseguição e Lúcio promete antiga CPRV na luta contra drogas

A candidata do PSOL.

Pode ser que o debate da TV União com os candidatos a governador do Ceará, neste terceiro bloco – onde cada um poderá fazer indagação ao outro, esquente um pouco. Até agora, um embate muito burocrático, chato e sem emoção. São sete postulantes. Cada um fará uma pergunta para um adversário, mas haverá sorteio de pergunta (um minuto) e quem dará a resposta (em dois minutos).

O candidato Gonzaga (PSTU) expôs para Soraya Tupinambá (PSOL) sobre o fator previdenciário e mais 7,7% de reajuste para aposentado que ganha acima do mínimo. Ficou nisso e não perguntou, no que Soraya, em resposta, aproveitou para bater no Governo FHC “qur promoveu essas derrotas no sistema previdenciário brasileiro”. Considerou uma penalização o fator previdenciário e disse que a previdência privada acabou ganhando espaços no País. “Isso tudo foi protagonizado no âmbito dessa reforma da previdência”. Lamentou que os fundos de pensão financiem projetos em detrimento do interesse da classe trabalhadora.

Soraya aproveitou para dizer que as candidaturas geradas pelo mudancismo de Tasso Jereissati (Cid, Lúcio e Marcos Cals) não querem mudanças de fato. Alertou o eleitor para campanhas caras, não tendo tempo para continuar seu raciocínio.

Já Soraya Tupinambá indagou para Maria da Natividade (PCB) falou sobre o assassinato de Zé Maria do Tomé, lider rural do Vale do Jaguaribe e indagou: Como você vê o crime da pistolagem no Estado e o envenenamento por agrotóxicos? Maria da Natividade endossou preocupação de Soraya, a mesma de Gonzaga (PSTU. Aproveitou a presença de Cid Gomes para cobrar punição para os assassinos do Zé Maria do Tomé. Voltou a bater no Capitalismo, que destroi a natureza we reiterou ao governador: punir os culpados por esse assassinato.

Soraya aproveitou o debate para pedir apoio e segurança para Maria do Livramento, de Acaraú, liderança que estaria sendo ameaçada de morte por questionar a instalação de um parque eólico em sua região. Ela fez um apelo ao governador, no que foi endossada por Natividade.  

A candidata do PCB fez pergunta a Gonzaga (PSTU), durante o debate, sobre um dado: a maioria da população não sabe em quem votar. Ela lembrou que tem o governador, que disputa reeleição, umex-governador e um ex-secretário de Estado. Pediu para que ele analisasse esse tipo de quadro onde a população não sabe em quem votar. Gonzaga, por sua vez, disse que na disputa eleitoral só existem dois programas: os que defendem os interesses da classe trabalhadora e aqueles que estão com os grandes banqueiros e capitalistas. Citou deficit de moradias no Ceará e reiterou que, na peleja, só estão dois projetos: o do trabalhjador e o dos patrões e ricos.

Cid Gomes (PSB) fez pergunta ao candidato Marcelo Silva (PV). Ele expôs sobre a abertura do mercado de trabalho para jovens, falou que tem ações na área e, por pouco, não fica sem tempo de indagar. Marcelo Silva aproveitou para defender educação, com escola interativa voltada para o trabalho, para a cidadania e para a vida. Tudo dando a ele o prazer de ir para essa mesma escola. Lembrou que a droga- o crack  espalha-se pelo Interior, o que exige política de apoio à família, com resgate da moral e da ética e acesso à cultura, ao esporte e ao lazer para essa juventude.

O governador ressaltou que educação profissinalizante é fundamental. Informou que está sendo implantada uma siderúrgica no Pecém e que o governo está investindo num centro de formação de mão-de-obra naquele terminal portuário. Já Marcelo aproveitou o mote sidrúrgica e disse que é necessário evitar o CO2 e ter compensações. Perguntou se há compensações nesse sentido? Foi informado de que Cid não precisasria resdponder, ms o governador revelou que tem chamado a atenção para o respeito a regras do gênero.

Coube a Lúcio Alcantara no sorteio indagar ao candidato Marcos Cals (PSDB). O ex-governador disse que há droga como crack se expandindo entre jovens e desagregando famílias. Perguntou que proposta teria o tucano para essa área. Marcos Cals disse que vai criar o Batalhão de Fronteiras para combater o tráfico de drogas. Também prometeu investir em vagas na área pública para atender aos drogados, o que consta no plano de governo do candidato a presidente pelo PSDB, José Serra, com o nome de Centros de Reabilitação de Dependentes Químicos.

Lúcio questionou o Batalhão de Fronterias por causa do pocuo efetivo. prometeu aproveitar a CPRV, hoje Polícia Rodoviária Estadual para circunscrever a rodovias estaduais e se integrarem à política de apreensão de drogas baseada na experiência da Polícia Rodoviária Federal “que apreende muito mais drogas do que a Políc Federal”. Prometeu utilizar entidades da sociedade civil no apoio a dependentes químicos. 

Marcos Cals expõs estatísticas da área criminal e indagou de Cid Gomes sobre o caso da morte de um jovem por um policial do Ronda do Quarteirão e o caso de problemas no treinamento de policial. Cid disse que essa questão é complexa e que sempre terá sua atenção. Chegou a elgoiar Cals, seu ex-secretário da Justiça e  Cidadania, e citou o crack como preocupação. Informou estar criando a Divisão de Homicídios, Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas e mais concurso. Cals disse ver boa vontade da parte do governador, mas observou que a polícia parece estar sem comando, exigindo oficiais para fiscalizar o Ronda. Já Cid garante que vários indicadores foram reduzidos no Estado. “Agora polícia não se resume ao Ronda”, disse. Ele citou a PMTur, o Corpo de Bombeiros, que ampliou quase um terço seu contingente, a Polícia Civil, que chega a mais 50 municípios do Inerior e a Perícia Forense.

Marcelo Silva (PV) indagou, nesse bloco, de Lúcio Alcântara. Abordou a questão da saúde e indagou dele o que não avançou quando ele foi governador do Estado. Lúcio afirmou que a saúde preocupa. Lembrou que foi secretário da Saúde, ex-governador e é médico e que houve avanços nos últimos anos, mas a demanda é enorme. Há problema na questão de acesso à rede. “Meu grande esforço será no sentido de fazer com que esses serviços já existentes funcionem”. Lamentou que o HGF conta com 16 salas de cirurgia, mas só sete operam porque falta pessoal. `Prometeu construir um grande hosptial de urgencia na Região Metropolitana (Anel Viário da BR-116) e mais um hospital regional. Lúcio ainda lembrou que foi em sua gestão que os agentes de saúde ganharam reconhecimento. Prometeu privilegiar essa categoria.

Marcos Cals desafia: não soube de nenhuma grande indústria instalada no Ceará

200 6

O tucano falou em indústrias. Cid não teve direito de resposta.

No segundo bloco do debate da TV União com os candidatos a governador, a vez de lideranças da sociedade civil fazerem perguntas. O presidente da OAB-CE, Valdetário Monteiro, perguntou qual a postura do candidato com relação às licitações, dentro do tema “Ética e Gestão Pública” que foi sorteado. Marcelo Silva (PV) falou, falou e reclamou mais do pouco tempo na propaganda gratuita para a sua candidata a presidente, Marina Silva. Ele disse que investir na participação popular e apostar no controle social, buscando justiça e liberdade e reiterou: participação popular.

Sobre “Desenvolvimento Agrícola”, quem indagou a Maria da Natividade (PCB) foi o vice-presidente da Federação da Agricultura do Estado do Ceará (Faec), José Flávio Saboya. A candidata lamentou que o homem do campo esteja desassistido no Interior “por não ter condições de sobrevivência em seu torrão natal”. Ela garntiu que vai incentivar com tecnologia de ponta a agricultura familiar. “Incentivo total”, destacou. Ela citou a China, co 1,3 bi de habitantes dando comida para todos porque socializou a agricultura, enquanto no Brasil ainda há gente morrendo de fome. Reiterou apoio à agricultura familiar e citou a necessidade de reforma agrária. O que se tem no País é a miséria gerada pelo Capitalismo.

O candidato Marcos Cals (PSDB) respondeu sobre “Desenvolvimento Econômico”, pergunta feita por Vicent Férrer, do Conselho Regional de Economia. Ele informou que o Ceará é o sexto mais pobre do País e lamentou que na gestão atual não veio nenhuma grande indústria. “Ao contrário, perdemos um estaleiro”. Para ele, faltou decisão do governo que deveria “ir pra cima dos seus parceiros” e implantar o empreendimento. Apregoou a necessidade de implantar indústrias no Interior e abrir chances para jovens, que acabam na depressão, bebida ou drogas como o crack. Reiterou não conhecer nenhuma indústria de porte instalada no Ceará. Nesse aspecto, o candidato Cid Gomes (PSB) pediu direito de resposta. A assessoria jurídica, no entanto, negou, alegando que não houve ofensa pessoal.

Ainda neste bloco, foi sorteada a área “Setores Oprimidos”, que caiu para Lúcio Alcântara (PR/PPS). Luziete da Silva, da Juventude Negra Kalunga, foi quem perguntou, no que o postulante disse que seguirá a legislação federal que estabelecer cotas de participação de determinados segmentos na educação ou em outras atividades. Lúcio disse que vai discutir com interessados esses assuntos e buscar diálogo com quem não tem voz. Prometeu abrir órgãos do Estado à participação popular para identificar demandas que possam ser atendidas. “Condição especial requer tratamento especial”, reiterou Alcântara, destacando portadores de necessidades especiais.

A temática “Esporte” foi sorteada para Cid Gomes (PSB), que respondeu a uma pergunta de Carlos Augusto, educador físico, envolvendo a Copa 2014 e esporte de rendimento e educional. Cid lembrou que Carlos foi seu secretário de Esportes quando prefeito de Sobral. O candidato à reeleição destacou que Esporte é fundamental para tirar crianças e adolescentes das drogas. Ele destacou que o Ceará tem a maior cobertura no programa Primeiro Tempo (estudo num turno e esporte noutro). Prometeu apoio a jovens que têm habilidade em várias áreas do esporte, lembrando o Bolsa-Atleta, benefício que também ajuda às famílias. Considerou importante a Copa 2014 em Fortaleza, como forma de resolver problemas de infraestruura, saúde e melhorar a segurança e colocar o Ceará, por meio de Fortaleza, para todo o mundo.

O tema “Cultura” teve indagação feita pelo jornalista Paulo Tadeu, abordando cultura popular. Soraya Tupinambá foi sorteada e observou que a indústria turística, por exemplo, não tem levado em conta a cultura dos povos do mar. Cultura não se trata de conjunto de eventos e espetáculos, mas animar também ações de base que ajudem as pessoas. Citou Camocim, que tem patrimônio histórico e cultural, que poderia gerar turismo sustentável. O Cariri, com suas manifestações, destacou Soraya, poderia ajudar a fortalecer a promoção da cultura integrada às atividades econômicas.

Pedro Jorge Medeiros, da OAB-Ceará, também fez sua indagação na área da redução do ICMS para favorecer contribuintes. Coube ao candidato Gonzaga (PSTU) responder. Ele disse que é um assunto onde surgem muitos escãndalos de corrupção. Aproveitou para bater na campanha eleitoral cearense que é “uma das mais caras do Páis”. A de Lúcio, R$ 50 milhões, a de Cid Gomes, R$ 39 milhões, e a de Marcos Cals, R$30 milhões, no que perguntou: “De onde vem esse dinheiro?” Para Gonzaga, esse quadro mostra favorecimentos. Ele denunciou ter sido expulso de uma indústria quando fora fazer campanha.

Candidata promete saneamento em 6 meses; outro diz que vai extinguir o Ronda

Gonzaga (PSTU) bateu duro no programa de segurança de Cid.

O governador Cid Gomes (PSB), candidato à reeleição, foi o primeiro a responder pergunta de profissional da TV União, dentro do primeiro bloco do debate. O tema foi “Educação”. Cid falou que á única porta para o desenvolvimento é Educação. Ele informou estar construindo 150 escolas de nível médio para atender pequenos municípios principalmente. Também lembrou que investe em escolas profissionalizantes para dar opção de futuro ao jovem. 

O segundo postulante a falar foi Marcos Cals (PSDB). Indagado sobre “Turismo”, ele disse que vai investir na integração do turismo com segurança, dentro do objetivo de garantir tanquilidade e evitar desgaste para a imagem do Estado. Cals prometeu capacitação, investir maciçamente no setor que é “a indústria sem chaminé” e atrair investimentos externos, além de incentivar a infraestrutura e turismo religioso, afastando o turismo sexual.

Soraya Tupinambá (PSOL) respondeu sobre a área de “Trabalho e Renda”. Para ela, fundamental que o Estado invista nessa prioridade. “Na nossa compreensão, a questão do trabalho e da renda não é só qualificação”, disse a candidata, informando que coloca em sua plataforma discussão sobre o modelo de desenvolvimento em curso e que não era tantos empregos e degrada o meio ambiente. Lamentou que o Porto do Pecém, que só ofereceu 1.500 empregos, e observou que o agronegócio vem utilizando agrotóxico e causando prejuízos. Soraya falou sobre turismo como fator importante para gerar empregos.

Para Marcelo Silva (PV), o tema “Saúde” deve ser tocado a partir da prevenção, investindo em boa alimentação, práticas físicas para a Terceira Idade. Também a questão do atendimento, que precisa ser melhiorado. “Eu entendo que um governador tem que ter um convívio próximo com os prefeitos para que as políticas de saúde básica…de primeira hora, fortalecimento regional..O Frotaõ abriga muitas pessoas que vêm do Interior…” Para Marcelo, é investir também em capacitação dos profissionais.

Sobre “Infraestrutura e Saneamento”, ficou para Maria da Natividade (PCB) responder. Ela considera fundamental essa questão e lamenta que Fortaleza tenha recebido um interceptor oceânico numa praia dentro da cidade e a poucos quilômetros do Centro. Para ela, beneficiou uma minoria e gerou uma série de problemas como a perda da região de praias da área Leste da cidade. “Se a gente andar em qualquer bairro, a gente vê esgoto a céu aberto. Isso é um crime!”, disse Natividade, observando que saneamento é uma decisão política. “Vamos fazer não em quatro anos, mas em seis meses”, prometeu.

O candidato Francisco Gonzaga (PSTU) foi sorteado para abordar o tema “Segurança Pública”. Lembrou o postulante que esse tema não é uma questão de mais polícia nas ruas. Disse que 76 mulheres foram assassinadas no começo deste ano e citou o Caso Bruce “onde um  jovem de 14 anos foi assassinado pelo Ronda do Quarteirão do s enhor Cid Gomes”. Gonzaga disse que seu filho de 22 anos foi agredido quando fora comprar pão na padaria. Ele disse que a política de segurança tem erros também no passado com o PSDB de Marcos Cals e do ex-governador Lúcio Alcântara. Ele defendeu o fim do Ronda do Quarteirão e que moradores discutam nos bairros o que é melhor para a segurança.

O último candidato a ser indagado, com tema “Meio Ambiente”, foi o candidato Lúcio Alcântara (PR/PPS). Ele disse que seu compromisso com a área é antigo. Criou o primeiro gepark dazs Ame´ricas, no Cariri, reconhecido pela Unesco, criou parque ecológico e coo senador, ao lado de Marina Silva, informou ter criado a Lei Ambientel. Prometeu como governador ampliar o Geopark e na área da agricultura incentivar, como iniciou quando foi governador, práticas do plantio direto sem queima, sem broca e com modernas formas de plantar e colher sem agredir e promover a desertificação. Prometeu instituir premiações para agricultores que investirem respeitando o meio ambiente. A luta contra a devastação da caatinga é uma de suas lutas, disse o candidato.

Começa o debate da TV União

200 3

Com 20 minutos de atraso, começou, nesta tarde de domingo, o primeiro debate com os candidatos a governador do Ceará. Todos os candidatos estão no estúdio da TV União, a promotora do embate.

O debate ocorrerá em quatro blocos, com sorteio de quem sempre iniciará a participação. Fernando Dantas e Christianne Bardawil estão como mediadores. Haverá bloco com perguntas de lideranças da sociedade civil, momento para troca de indagações entre os postulantes e as considerações finais.

A TV União agradeceu o apoio do TRE, Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social, AMC e informou que o debate conta com o apoio da OAB do Estado. O debate iniciou com a divulgação do perfil de cada candidato a governador.

TV União – Debate marcado pelo atraso

A TV União prometeu iniciar o primeiro debate com os candidatos a governador do Estado, a partir das 17 horas deste domingo. Até agora, atraso. Mas os candidatos já estão nos estúdios da emissora. A mediação fica por conta dos jornalistas Fernando Dantas e Christianne Bardawil.

Enquanto isso, do lado de fora, a militância faz a festa. Grupos ligados a Cid Gomes (PSB), Lúcio Alcântara (PR/PPS) e Marcos Cals (PSDB) disputam espaços e ecoam frases em favor dos seus postulantes.

O único candidato que se lembrou de que tem candidato a presidente da República foi Marcos Cals. Algumas bandeiras com o nome de José Serra integram o cenário da militância.

O debate terá duração de três horas e envolverá todos os sete nomes que disputam o Governo, segundo a produção da TV União. Com tanta gente assim e um tempo tão longo, vamos torcer para que não vire algo chato.

Do pai de Bruce sobre o policial: "Que Deus tenha misericórdia da alma dele"

“Que Deus tenha a misericórdia da alma dele!”, disse, durante entrevista ao programa João Inácio Júnior (TV Diário), nesta tarde de domingo, Francisco das Chagas de Oliveira Souza (37), o pai do jovem Bruce Cristian (14), que foi morto por um tiro disparado pelo policial Yuri da Silveira, do Ronda do Quarteirão. Seu Chagas falou sobre o policial pela primeira, após o fato que se registrou no último domingo à tarde, no cruzamento da avenida Desembargador Moreira com Padre Valdevino (Bairro Dionísio Torrres).

Ao lado da mulher, Aglaíde, dos filhos Gustavo (8) e Letícia (13) e de parentes e do promotor de justiça Jonathan Castro, e do advogado da família, Francisco das Chagas compareceu ao programa provocando muita emoção não somente no telespectador, mas em quem estava no auditório. O próprio apresentador, João Inácio Júnior, quase não inicia a entrevista de tão emocionado.

Durante o programa, Francisco das Chagas falou sobre a situação da família sem Bruce, em meio a matérias que recapitularam o caso e que mostraram um pouco da vida de Bruce.

A mãe do garoto chegou a falar no começo da atração mas, emocionada, preferiu continuar em silêncio. Gustavo, irmão, também chegou a chorar no ombro do pai, que se manteve firme ao longo do programa, reiterando que quer justiça.

TRE-CE faz sessão neste domingo

202 1

O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral está realizando, nesta tarde de domingo, sessão extraordiária. O objetivo é continuar julgando pedidos sobre registro de candidaturas.

Neste sábado, em sessão, o Pleno indeferiu o registro do deputado federal tucano Manuel Salviano. Isso baseado em desaprovação de contas por parte do Tribunal de Contas dos Municípios quando ele era prefeito de Juazeiro do Norte (Região do Cariri).

Os advogados do parlamentar do PSDB já anunciaram que vão recorrer da decisão.

Cid, entre o censo e o debate

197 1

O governador Cid Gomes (PSB) e sua família foram os primeiros a recebr a visita de pesquisadores do Censo 2010. Foi nesta manhã, na Residência Oficial. Cid abriu assim o mais completo trabalho de mapeamento a ser realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em todo o País. Ele veio de Sobral, onde pernoitou após atividades como candidato à reeleição.

Cerca de 58 milhões de domicílios estarão sendo visitados por técnicos do órgão, espalhados pelos 5.565 municípios que atualizarão dados relativos a temas como renda, família, educação, trabalho, raça e religião.

Segundo o presidente do IBGE, Eduardo Neves, a fotografia produzida nesse levantamento vai relevar mudanças significativas ocorridas na economia, além de consolidar diagnósticos sobre os novos hábitos de consumo dos brasileiros e sobre como as cidades estão se organizando.

DETALHE – Cid, após ser pesquisado pelo Censo, dedica-se a um trabalho de preparação, com sua equipe, de olho no primeiro debate envolvendo os candidatos a governador. O debate começa às 17 horas na TV União.

(Foto – Divulgação)

Ministro seria alvo de dossiê do PT

520 6

Até a bela filha entrou no dossiê.

“O ministro da Fazenda, Guido Mantega, foi alvo de um dossiê apócrifo segundo reportagem publicada neste domingo (1º) no jornal “Folha de S.Paulo”. De acordo com a reportagem, o próprio governo descobriu que o dossiê foi elaborado pela ala do PT egressa do sindicalismo bancário a fim de obter o comando de um fundo de pensão.

O dossiê, segundo o jornal, traz acusações de tráfico de influência no Banco do Brasil contra a filha de Mantega, a modelo Marina Mantega. No final de abril, o dossiê foi enviado para a presidência do BB, para o gabinete de Mantega e para a Casa Civil. O objetivo era forçar o ministro a desistir de nomear o vice-presidente do Banco do Brasil Paulo Caffarelli para a presidência da Previ (fundo de pensão dos funcionários do banco).

De acordo com a reportagem, Caffarelli acabou preterido por ordem do Palácio do Planalto, mas os bancários também saíram enfraquecidos. O nome por eles defendido para assumir a presidência da Previ, Joílson Ferreira, não foi escolhido.O dossiê relata também, segundo a reportagem, que Marina Mantega esteve com Caffarelli para encaminhar pleitos por diversas vezes na sede do Banco do Brasil em São Paulo. Segundo Caffarelli, os encontros realmente ocorreram. Marina Mantega nega as acusações.

“Não procede. Não tem nada disso. Trabalho com o mercado do Oriente Médio. Gente que está vindo aqui, investindo dinheiro no Brasil. Não tenho nada a ver com o Banco do Brasil ou com qualquer instituição do governo”, disse Marina Mantega ao jornal. Petistas supostamente envolvidos na elaboração do dossiê foram ouvidos pela “Folha de S.Paulo” e negaram participação no caso. Por meio de sua assessoria, o ministro Guido Mantega informou que não quer falar sobre o dossiê contra sua filha.”

(Folha Online)

"Ficha Limpa" – 20 já indeferidos no País

185 1

“A Lei da Ficha Limpa já foi usada como fundamento para indeferir 20 candidaturas no país. O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais foi o que mais barrou candidatos. Até agora foram 10. A legislação aprovada neste ano estabelece que são inelegíveis os políticos condenados por órgãos colegiados do Poder Judiciário, como os  tribunais de justiça dos Estados.

O TRE do Mato Grosso negou o registro do deputado federal Pedro Henry Neto (PP). O candidato, reeleito em 2006 teve o nome envolvido nos escândalos do mensalão e da máfia das ambulâncias (sanguessugas). Segundo o tribunal, Henry não pode ser candidato porque foi condenado em 2007 por compra de votos. Os candidatos que tiveram os pedidos de registro eleitoral rejeitados pelos TREs ainda podem recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral e ao Supremo Tribunal Federal.

Veja abaixo a lista dos indeferidos até a última semana:

Ceará
Sineval Roque (a deputado estadual, PSB)

Espíriro Santo
Luiz Carlos Moreira (deputado estadual, PMDB)
Marcelino Fraga (deputado estadual, PMDB)
Roberto Valadão Almokdice (deputado estadual, PMDB)

Mato Grosso
Pedro Henry (a deputado federal, PP)

Minas Gerais
Adilson da Vale Verde (a deputado federal, PTN)
Antônio Carlos Bouzada (a deputado estadual, PC do B)
Athos Avelino Pereira (a deputado estadual, PPS)
Carlos Alberto Pereira (a deputado federal, PDT)
Eduardo Santos Porcino (a deputado estadual, PV)
Leonídio Henrique Correa Bouças (a deputado estadual, PMDB)
Maria Lúcia Soares de Mendonça (a deputado estadual, DEM)
Pedro Caminhas Pinduca (a deputado estadual, PP)
Silas Brasileiro (a deputado federal, PMDB)
Wellington Magalhães (a deputado estadual, PMN)

Pará
Roselito Soares da Silva (a deputado estadual, PR)

Paraíba
Francisco Edmilson da Silva Ribeiro (a deputado estadual, PCB)

Paraná
Erivan Passos da Silva (a deputado estadual, PRTB)

Santa Catarina
João Pizzolatti (a deputado federal, PP)

Rondônia
Jair Miotto (a deputado estadual, PPS)

(Folha.com)

DETALHE – O deputado federal tucano Manuel Salviano teve registro indeferido no último sábado, pelo TRE, por contas desaprovadas quando prefeito de Juazeiro do Norte. Ele  vai recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral.

Petista abre campanha pró-reeleição em casa de forró

175 4

A tradicional casa de forró Kukukaya (Bairro São João do Tauape) foi palco da abertura da campanha de reeleição do deputado federal Eudes Xavier (PT). O tom festivo dessa noite de sábado ficou por conta das bandeiras, balões, jingles e a vibração dos militantes e apoiadores até do Interior. Vários secretários municipais, sindicalistas, trabalhadores, profissionais liberais e estudantes conferiram o ato.

Os deputados estaduais Raquel Marques (PT) e Nelson Martins, este líder do Governo Cid Gomes na Assembleia, e os vereadores petistas Ronivaldo Maia e Acrísio Sena e Leonelzinho (PTC). “Ainda há muito o que se fazer em prol do Brasil e do Ceará. Quero esse novo mandato para ajudar a presidenta Dilma, o governador Cid Gomes e a companheira e prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins , a prosseguir com o projeto do presidente Lula de um Brasil cada vez mais forte e melhor pra todos”, disse Eudes Xavier.

(Foto – W. Sena)

Propaganda de aliados não cita Serra

238 1

“Com 25 dias de campanha, os candidatos a governador aliados de José Serra (PSDB) nos oito maiores colégios eleitorais do país ainda não incorporaram a imagem do tucano em seus santinhos, adesivos e cartazes.

Até sexta-feira, só a campanha de Antonio Anastasia, em Minas Gerais, começava, timidamente, a produzir material casado. Mesmo em São Paulo, base de Serra, ainda não há material com ele ao lado de Geraldo Alckmin -exceto painéis em encontros de sua coligação.

Nos sites dos candidatos nesses Estados, que representam 94 milhões de eleitores, não havia um único material de campanha casado disponível para download. Nem mesmo na apresentação das páginas havia uma foto do candidato.

A foto oficial de Serra, em alta resolução, está disponível no seu site oficial desde o início da corrida presidencial. Com ou sem Serra, o custo de imprimir um adesivo, por exemplo, é o mesmo.

O cenário é distinto do de sua adversária Dilma Rousseff (PT), cuja imagem acompanhava o material de campanha de seus aliados em 7 desses 8 Estados.”

(Folha Online)

Lúcio diz estar comemorando "adesões espontâneas"

196 4

O candidato a governador pela coligação PR/PPS, Lúcio Alcântara, dedica parte deste domingo a uma preparação com vistas ao primeiro debate entre so postulantes ao Governo. O debate terá início às 17 horas pela TV União e reunirá todos os sete candidatos.

Lúcio Alcântara se diz mais do que motivado por estar recebendo na campanha “a adesão espontânea da população”. Em, Maracanú, seu últim comproisso, realizou carreta de mais de três horas de duração, quando atravessou 10 bairros do município. Com ele, o prefeito licenciado e coordenador-geral da campanha, Roberto Pessoa, o candidato a vice Cláudio Vale, o candidato a senador pelo PPS, Alexandre Pereira, e parlamentares como a deputada federal Gorete Pereira (PR).

(Foto – Nelu Rosa)

Candidato tucano ao Governo prepara ofensivas contra Cid Gomes

157 2

 

Tasso falando, ao lado de Marcos Cals, durante o comício.

O candidato  governador Marcos Cals (PSDB) dedica todo este domingo aos preparativos para sua participação no primeiro debate desta campanha, que ocorrerá a partir das 17 horas, na TV União.  Nesta manhã, com um grupo de assessores técnicos, o candidato tratará das principais questões previstas para o programa, que terá a duração de três horas.

A ordem é ir pra cima do governador Cid Gomes (PSB), que postula reeleição e questionar dele o caso das multas cobradas pela CPRV, incluindo ainda o caso do assassinato do jovem Bruce Cristian por um policial do Rnda do Quarteirão.

Nos últimos três dias, acompanhado do senador Tasso Jereissati (PSDB) – que disputa reeleição ao Senado, Marcos Cals percorreu municípios das regiões do Litoral Leste e Inhamuns, com a realização de carreatas, reuniões políticas e comícios.

O último compromisso foi neste sábado à noite, em Crateús, quando os tucanos particioaram de um comício, que contou com a presença do deputado estadual Nenem Coelho (PSDB).

(Foto – Divulgação)

Líder da prefeita divulga agenda da campanha pró-Dilma Rousseff em Fortaleza

A coordenação da campanha Dilma 13 no Ceará, tendo à frente o vereador Acrísio Sena, na condição de coordenador-executivo, mandou par ao Blog a agenda de mobilizações em favor da postulante na Capital. A agenda foi resultado de reunião envolvendo PT, PCdoB, PSB, PMDB, PPL e PDT. Confira:

Dia 04 (quarta-feira)

8h30min – Café com os vereadores de Fortaleza – Hotel Amuarama

Dia 05 (quinta-feira)

18h30min – Atividade Cultural da Juventude no Circuladô (Avenida da
Universidade c/Domingos Olimpio)

22 horas –Telão do Debate Dilma na Band

Dia 06/08 (sexta-feira)

16 horas – Bandeiraço Dilma na Avenida da Universidade

19 horas – Inauguração do Comitê Dilma Presidente (Av. da Universidade,
2495). Presença do Presidente Nacional do PT José Eduardo Dutra

Dia 08/08 (domingo)

9 horas – Onda Vermelha na Praia do Futuro com entrega do material 13
razões para votar em Dilma Presidente

Caminhada nos Bairros:

SER I – Pirambu
SER II – Serviluz
SER III – Antonio Bezerra
SER IV – Serrinha
SER V – Bom Jardim e Conjunto Ceará
SER VI – Messejana

DETALHE – Pelo visto, que está tocando mesmo a campanha pró-Dilma é o vereador Acrísio Sena.

Caso Bruce – A dor de um pai

362 2

“Desde quando o soldado Yuri Silveira, do Ronda do Quarteirão, atirou um “para, para!”, domingo passado, na avenida Desembargador Moreira, a vida do técnico em manutenção de ar-condicionado Francisco das Chagas de Oliveira Sousa, 37, está suspensa.

Ele tenta explicar a Gustavo, o caçula, porque não é mais o irmão quem lhe prepara o leite de todas as noites. Ao mesmo tempo em que tenta entender como Bruce Cristian de Oliveira Sousa, 14, morreu antes dele, Francisco, envelhecer. Antes mesmo do primeiro amor surgir. Em pleno sonho de menino, ser jogador de futebol.

“O dia seguinte, a gente não aceitando ainda”, conta o cansaço, nesta entrevista feita na sala da casa por arrumar. Ele se ampara no próximo: quem lhe oferece um abraço, uma conversa. E, evangélico porque Bruce o converteu, se agarra a Deus – “o último galho”, como vai indicar, amanhã, nas Páginas Azuis do O POVO, o teólogo Leonardo Boff, em um casual e surpreendente diálogo com essa história.

Neste começo de agosto, O POVO retrata o pai e o filho pelas saudades narradas. Pelo aprendizado dos dias depois da morte. E, principalmente, pelas lições da vida.

O POVO – Como o senhor tem amanhecido, desde o último domingo (25 de julho)?

Francisco das Chagas – A primeira noite é conturbada e não se consegue dormir. O dia seguinte, a gente não aceitando ainda. A segunda noite também. Na terceira, a gente conseguiu tirar um cochilo. Acordando várias vezes, porque fica aquela saudade, angústia. Voltar às atividades normais, não voltou porque é uma coisa que abala muito. Hoje (quarta, 28), foi mais um dia de dor. A gente tá preocupado com os outros dois filhos porque estão tendo crises. O mais novo (Gustavo, 9 anos) pergunta. Tem uma coisa que o Bruce sempre fazia pra ele: toda noite, preparava o leite. Ele perguntou – porque quem tava preparando o leite era a mãe – e começou a chorar. Cada ação dos nossos filhos dá mais uma puxada na gente.

OP – E o senhor, como tem se cuidado?

Francisco – Quando você sofre um impacto desse, perde sua sensibilidade, seu tato. Não sente fome, sono, sede. Não sente dor em partes carnais, machucadas. Porque a dor maior é a da saudade. De ver seu filho morrendo e não poder fazer nada. A gente já melhorou um pouco que, graças a Deus, tem uma família que está sempre presente.

OP – O que está diferente na rotina da casa? O senhor recebe muitas visitas, solidariedade…

Francisco – Até fico emocionado porque as pessoas têm chegado pra oferecer ajuda, dar um abraço, conversar. Fico motivado com isso porque, na sociedade em que a gente vive, é difícil ter o apoio das pessoas. Deus está agindo por várias formas. 

OP – Como o senhor está convivendo com o assédio da imprensa? Está cansado?

Francisco – Não. Sei que a imprensa é um meio de comunicação e é uma defesa que tenho. Não encaro a imprensa como algo que me prejudica. Vai me ajudar a mudar um episódio que poderia ficar como muitos que foram esquecidos. É uma maneira da gente mostrar para a sociedade o que está errado. A questão é a sociedade aceitar como sendo normal, quando, na verdade, não é.

OP – E como se prepara para esse longo percurso até a justiça?

Francisco – Meu filho (Bruce) tem me dado forças. Tenho me apoiado nele e em Deus. Toda vez que penso nele, a pessoa sonhadora que era e que tinha um objetivo, me dá forças para que eu prossiga e não deixe que isso se transforme em injustiça.  

OP – Letícia, durante o velório do irmão, disse que confiava muito na “justiça de Deus”. E o senhor, em que ou em quem confia hoje?

Francisco – Primeiramente, confio em Deus. Deus é o mestre maior de todas as leis. Tenho certeza de que Ele está sempre do nosso lado. E a justiça dos homens é falha, mas, quando você tem um apoio da sociedade, da imprensa, acaba sendo a justiça que não é cega.

OP – O senhor já declarou que Bruce era “o filho que todo pai queria ter”. Na adolescência, ele não lhe dava preocupação?

Francisco – Não. Pra ele ir na esquina, pedia permissão à mãe. Essa fase é muito complexa, que a criança passa. E fica rebelde, responde, é desobediente, quer sair com os amigos pra festa. Mas o Bruce, não.

OP – E os primeiros amores, já estavam aparecendo?

Francisco – Sempre tem, das meninazinhas que são mais atiradas… Mas o Bruce queria jogar bola, ia pra igreja, participava dos grupos de jovens.

OP – O senhor foi pai com 23 anos. Estava preparado, sabia que era uma missão dolorosa também?

Francisco – Com 23 anos, já tinha minha vida bem definida. Era supervisor de produção, numa fábrica. Sempre procurei fazer cursos, me atualizar. Tinha uma cabeça boa. 

OP – Mas imaginava que ser pai era difícil?

Francisco – Não, não imaginava. Você só sabe o valor que tem um pai quando é pai.

OP – Como foi aprendendo a ser pai, do que teve que abrir mão?

Francisco – É difícil, sabe? Mas a gente consegue. Quando você ama, consegue ser pai, dar o que de melhor você tem pro filho. Abre mão de muitas coisas, não quer abrir de outras, mas ser pai é tá ali, proteger, orientar, educar.

OP – O senhor já passou muito aperreio com os meninos, alguma noite sem dormir? Geralmente, quem passa por isso é a mãe…

Francisco – Minha filha, em 99, teve começo de AVC. Tinha 2 anos. Fiquei louco. Não conseguia dormir, preocupado, ia pro trabalho, vinha ao meio-dia, olhava como ela estava. Sofri bastante. Mas a gente superou, graças a Deus. 

OP – E o que seus filhos mais lhe ensinam no cotidiano?

Francisco – Carinho. Não tem nada mais valioso. Tô triste, ele (Gustavo) passa a mão na cabeça, abraça.

OP – E o que Letícia lhe dizia no velório de Bruce? Como ela lhe consolava?

Francisco – Mais abraço, afeto. E aquilo que eu falava pra ela, ela falava pra mim: que ele estava bem, no céu.

OP – E como o senhor vai explicando a vida para eles? Há alguma lição especial?

Francisco – Meu pai sempre foi muito correto. Ele é do Interior, a gente era tratado na rédea curta. Ele não aceitava nada desonesto. Era agricultor, fazia carreira de carvão, foi pedreiro. O que eu procurava passar pros meus filhos é a honestidade. Não aceito a desonestidade, se aproveitar de coisas que não são suas. O que eu mais passava pro Bruce era ser correto.

OP – Desde que idade o Bruce lhe ajudava?

Francisco – Há pouco tempo. Ele muito pequeno, estudando, mas queria porque queria trabalhar. Fiquei levando ele. Mais final de semana, negócio mais simples. Ia porque ele queria, mas também porque a gente ficaria próximo. A gente fica muito longe e quer ficar próximo do filho.

OP – Como vocês tinham planejado aquele domingo?

Francisco – Dormi até tarde. Ficamos aqui, almoçamos e fui me deitar. Disse que duas e meia ele me acordasse que era pra gente ir, tinha marcado com uma cliente. Fazia o trabalho e, na volta, passava no campo do Ceará. Ele tava muito alegre. No sábado, já tinha me cobrado. Fomos tranquilos, fizemos o trabalho. Peguei a moto, lá na frente, a Desembargador Moreira. Aconteceu o que aconteceu (pausa).

OP – Sua esposa tem conseguido desabafar?

Francisco – Ela sempre foi muito fechada. Procuro tá conversando, sempre do lado dela, pra dar força. Durante a noite, ela chora muito, sabe? Quando acontece alguma coisa que lembra ele…

OP – A falta, a dor que ela sente é diferente da sua? O senhor percebe isso?

Francisco – (pausa) Acho até que é maior. A dor do pai dói muito, mas a dor de uma mãe não tem comparação. 

OP – E o que o senhor tem dito para si mesmo, depois da morte de Bruce?

Francisco – (pausa e respira) Tenho dito que (pausa e respira) tenho que (pausa e respira) melhorar mais, sabe? Proteger mais, amar mais meus filhos, minha esposa. Porque a gente nunca sabe o que pode acontecer amanhã, daqui a uma hora, meia hora.

OP – E como o senhor tem anoitecido?

Francisco – Ontem (terça), consegui descansar. Hoje (quarta), não sei como vai ser. A ferida não vai cicatrizar assim, mas a gente tem que tocar a vida. Temos dois filhos, precisam muito da gente. O Bruce era uma pessoa excepcional, que a gente não vai ter outro igual.

OP – E sobre o time no qual Bruce queria jogar, é porque o senhor torce Ceará?

Francisco – É, torço Ceará… Ele era torcedor do Fortaleza… Eu disse: “Macho, tu é torcedor do Fortaleza e quer jogar no Ceará?”. “É porque o Ceará é melhor” (risos).

OP – Ele era bom de bola? Todo menino quer ser jogador de futebol. Mas o que o senhor pensou para ele? O senhor apoiava esse sonho?

Francisco – Era. Tinha que melhorar, como todo mundo. Eu apoiava. Fui ver ele jogar algumas vezes. Ele tinha visão de jogo, era meio campo, não pegava a bola e saía feito doido. Naquele jeito calmo dele… Isso é importante pra jogador de futebol e também pra vida, né? Ter uma visão, sabe o que quer, onde vai chegar.

OP – Ele tinha futuro, tanto no campo como na vida…

Francisco – Tinha. Não gosto nem de falar sobre isso, mas é porque não consigo entender como é que um policial desce duma viatura, com uma arma na mão, feito um doido no meio da rua… A visão desse policial é muito, muito, muito inferior à visão do meu filho.

(O POVO)

Veja traz denúncia agora contra obra do Porto do Pecém

301 11
Depois de divulgar o caso da licitação das obras de reforma do Estádio Castelão, o que virou um nó jurídico daqueles, eis que a revista Veja, em sua edição desta semana, traz novo caso relacionado à administração Cid Gomes (PSB). A matéria intiulado “O Porto dos mIlagres” levanta suspeitas de superfaturamento em obras de ampliação do Porto do Pecém, situado em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza).
Diz a matéria que um contrato firmado para o prolongamento do quebra-mar que protege o cais do Pecém foi reajustado com um acréscimo de 57% no preço licitado originalmente. De acordo com a revista, a mudança custará R$ 180 milhões de reais aos cofres público e excede o valor estipulado pelo Tribunal de Contas da União (a obra conta também com recursos da União), que prevê que alterações dessa magnitude só podem ser feitas mediante nova licitação.

Nesse caso, entra de novo a empreiteira Marquise, que dois anos atrás ganhou a licitação, orçada inicialmente em 314 milhões de reais, e que, conforme a matéria, teria sugerido, no ano passado, mudanças no projeto original que foram acatadas mediante aval de Gerardo dos Santos Filho, ex-funcionário da empresa que atualmente é coordenador da Secretaria de Infraestrutura do Ceará.

Em outro trecho, a revista cita que o dono da empreiteira seria “um amigão” do chefe da Casa Civil do governo, Arialdo Pinho, sugerindo que isso poderia pesar a favor da empresa. Já a Marquise, questionada sobre o assunto, garante que as alterações no projeto são legais e seguem critérios técnicos. A assessoria do Palácio Iracema não quis comentar o caso.

VAMOS NÓS – Lá vem a Veja de novo com suas matérias bombásticas. O que chama a atenção é que sempre esse tipo de denúncia só eclode em período eleitoral. Bem, mas tudo o que se é denunciado deve ser sempre esclarecido ou respondido, independente de interesse político.