Blog do Eliomar

Últimos posts

Gastos do governo federal com cartão corporativo já representam quase 45%

“Levantamento do Portal da Transparência com as despesas dos cartões corporativos do governo federal mostra que os gastos sigilosos já representam 44,95% do total de todas essas contas. Até julho de 2009, de um total de 34.975.225,45 de reais com despesas de cartões corporativos, um montante de 15.721.590,91 de reais teve seu conteúdo protegido por lei. Esse porcentual chega próximo da metade de tudo o que é gasto com cartão no governo. Se for comparado com o ano passado, esse porcentual representa um avanço expressivo nos gastos sigilosos.

 Em 2008, de um total de 55.257.326,02 de reais em despesas com os cartões corporativos, apenas 18.712.166,98 de reais representaram gastos secretos, ou 33,86% do total. Mas esse aumento pode ser justificado com a migração completa dos pagamentos feitos em outra modalidade – as chamadas contas do tipo B, que usavam talões de cheques – para os cartões corporativos. Como as despesas das contas do tipo B não eram contabilizadas junto com os cartões, o total de despesas sigilosas foi menor no ano passado.

Essa explicação, inclusive, é chancelada pela Controladoria Geral da União (CGU), responsável pelo abastecimento de dados do portal. A CGU argumenta que os gastos com os cartões são muito pequenos em relação ao total de despesas do governo como um todo. O Fundo para Aparelhamento e Operação das Atividades da Polícia Federal respondeu por cerca de 7,5 milhões de reaisem contas secretas. A Secretaria de Administração da Presidência da República fez cerca de 4,5 milhões em gastos sigilosos. Já a Abin teve despesas secretas de cerca de 3,2 milhões.”

(Agência Estado)

Rubens Coelho – Uma vida de luta contra a ditadura

O cearense Rubens Coelho, ex-preso político durante a ditadura e que mora atualmente em Mossoró (N), vai lançar o livro “Pelas ruas de Havana”. O ato ocorrerá às 19 horas, da próxima quinta-feira, no auditório Murilo Aguiar, da Assembleia Legislativa.

No livro, Rubens conta um pouco da trajetória de quem está com 66 anos e que chegou a conhecer Cuba. Narra também momentos em que ficou preso em Fortaleza e São Paulo.

“Passei pelas mãos do coronel Brilhante Ustra, do DOI-Codi, em São Paulo, e sobrevivi, ao contrário de algums companheiros da luta”, afirma Rubens, que foi companheiro de luta do hoje deputado federal José Genoino e da família Teles, esta processando o Coronel Ustra por crime de tortura.

DETALHE – Rubens foi contemporâneo de Frei Tito de Alencar, no que convocou também a família do religioso vítima da ditadura para a solenidade.

Lula: “Se eu estava otimista no auge da crise, imagine como estou vendo a crise desaparecer”

lulapresi

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou hoje (17) que há “duas esperanças” contidas no programa Minha Casa, Minha Vida: a de ter uma casa e a de ter um emprego, em decorrência das obras de construção civil. “Se eu estava otimista no auge da crise, imagina como estou agora, vendo a crise desaparecer aos poucos e vendo um futuro muito importante para o Brasil em 2010”, disse.

Em seu programa semanal Café com o Presidente, Lula admitiu que o programa “ainda não fez diferença” uma vez que permanece na fase de cadastramento das pessoas interessadas. Ele se disse esperançoso de que os empresários e prefeituras estejam “preparados” porque é preciso “trabalhar urgentemente” para resolver o déficit habitacional no país.”

(Com Agências)

Câmara Municipal inscreve para a Medalha Paulo Freire

A Câmara Municipal de Fortaleza abriu inscrições para a Medalha Paulo Freite, que destaca personalidades que contribuiram com o avanço educacional. O prazo vai até o dia 30 próximo.

A medalha será entregue em setembro. Até lá, uma comissão especial selecionará os três destaques (pessoas física ou jurídica).

Mais detalhes podem ser obtidos no gabinete do verador Guilherme Sampaio (PT), que é o presidente da Comissão de Educação da Câmara.

Secretário garante para o Blog que água do Eixão vai ser socializada

Este Blog recebeu nota do secretário estadual do Recursos Hídricos, César Pinheiro, sobre post que diz respeito ao projeto Eixão das Águas e a necessidade de sua socialização como forma de atender às populações ribeirinhas. Confira:  

Caro Eliomar de lima,

Já fizemos um estudo de identificação de todas as comunidades e residências ao longo dos trechos I,II eIII ( dois quilômetros de cada lado ). Também já contratamos uma empresa que está em fase final de elaboração dos projetos para atender a todas essas comunidades.

O prazo para entrega desses projetros é o mês de outubro.

Sem mais, César Pinheiro.

CGU sorteará mais 60 municípios para fiscalização

“A Controladoria-Geral da União (CGU) faz hoje (17) o sorteio dos 60 municípios que farão parte da 29ª edição do Programa de Fiscalização de Municípios, que apura como foram aplicados os recursos repassados pela União para a execução descentralizada de projetos federais.

Desde o lançamento do programa, em 2003, já foram sorteados 1.521 municípios (27,3% do total). O ministro-chefe da CGU, Jorge Hage, estará presente ao sorteio, que será realizado às 9 horas, no auditório da Caixa Econômica Federal (Agência Planalto).

Também serão sorteados hoje os dez municípios que farão parte da 8ª edição do Programa de Fortalecimento da Gestão Pública. Criado em 2006, o objetivo do programa é promover, em cidades com até 50 mil habitantes, boas práticas de aplicação e prestação de contas dos recursos públicos por meio da capacitação de agentes municipais.”

(Site da CGU)

Pimentel só decide se disputa o Senado em março

“O ministro José Pimentel (Previdência Social) só vai decidir se disputará ou não cadeira de senador em março próximo. Foi o que ele disse para esta Vertical, adiantando que até lá só pensará em cumprir sua obrigação à frente da pasta. Lembrado de que seu nome é defendido por vários setores que vão além do seu partido, o PT, acentuou: “Os nomes que aparecem engrandecem a política do Ceará e, no caso do PT, estamos aguardando definições internas como a renovação dos diretórios estaduais e municipais agora em novembro”. Sobre a possibilidade de disputar com Tasso Jereissati (PSDB), avisou: “Faço política a favor das famílias, dos trabalhadores e nunca contra pessoas”. 

(Coluna Vertical, do O POVO)

Secretário da Segurança retoma atividades reunindo Conselho Superior das Políciais

Nest segunda-feira, a partir da 8 horas, o secretário da Segurança Pública e Defesa Social do Estado, Roberto Monteiro, retoma a rotina da pasta, após 30 dias de licença de saúde. O encontro ocorrerá no Palácio da Segurança, no bairro São Gerardo, em Fortaleza.

Monteiro comandará reunião do Conselho Superior das Policiais, ocasião em que avaliará o período em que esteve ausente em razão de cirurgia e definirá novas ações da SSPDS até o fim deste ano.

O Conselho é formada por todos os dirigentes da área da segurança pública no Estado (PM, Polícia Civil, Bombeiros, Ronda, CPRVe outros) e se constitui numa espécie de organismo de orientação do setor, onde são propostas ações e avaliados programas.

Mais uma mulher é assassinada no Ceará

Mais uma mulher é assassinada no Ceará. O fato se registrou nesse domingo na cidade do Crato (Região do Cariri). Por cíumes, segundo familiares, Janiel Oliveira (22) matou com nove facadas sua mulher, Edilânia Gomes Tomás (26). 

Janiel está foragido, segundo informou nesta segunda-feira o Comando do Policiamento do Interior (CPI).

Surge mais um nome na lista de “presidenciáveis” da OAB do Ceará

Mais um nome surge na lista de candidatos à presidência da OAB do Ceará. Agora é o ex-presidente da Associação Jovens Advogados do Estado, Edson Santana. Ele, inclusive, já montou equipe de assessores e vem trabalhando. Aguarda só o período da inscrição das chapas, o que deve ser definido em breve pela cúpula da Ordem.

Além de Santana, estão nesse páreo o atual presidente da Caixa de Assistência dos Advogados do Ceará (Caace), Valdetário Monteiro, e, possivelmente, Erinaldo Dantas que, segundo vários setores da Ordem, poderá ser o candidato da situação se o atual presidente, Hélio Leitão, desistir de postular um terceiro mandato.

TCU amplia parceria nos Estados contra corrupção

bira

Órgãos e entidades de controle da administração pública assinam nesta segunda-feira (17), em Palmas (TO), acordo para articular ações contra desvios de dinheiro público e fortalecer o combate à corrupção. A parceria instala a Rede de Controle da Gestão Pública no Tocantins, que visa fortalecer a integração entre as instituições que fiscalizam do uso de recursos públicos.

Já implantada em sete estados, a rede foi idealizada pelo presidente Ubiratan Aguiar. Segundo ele, a atuação da rede será pautada por ações coordenadas e preventivas, que, como demonstra a experiência do TCU, são mais eficazes para coibir a prática de corrupção.

O ministro do TCU José Jorge de Vasconcelos e representantes da Controladoria-Geral da União (CGU), do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins, da Caixa Econômica Federal (CEF), do Banco do Brasil (BB), da Delegacia da Receita Federal, da Superintendência da Polícia Federal, da Procuradoria da República no Estado, da Procuradoria-Geral do Ministério Público do Estado e da Advocacia-Geral da União (AGU) assinam o acordo. Há possibilidade de novas adesões.

A participação no fórum é aberta ao público e as inscrições podem ser feitas pelo portal TCU, onde também está disponível a programação.

(Site do TCU)

Candidatura de Luizianne pode não evitar disputar

ilrio1

“Apesar do esforço do deputado federal José Guimarães (PT-CE) em ter Luizianne Lins (PT) como única candidata à presidência estadual do partido, dificilmente o nome da prefeita de Fortaleza conseguirá o consenso pretendido.

O atual presidente, Ilário Marques, já havia sinalizado sua disposição em continuar à frente do cargo. No fim de semana, ele passou o fim de semana em campanha, com agenda de visitas ao Interior.

Embora Ilário ainda não tenha ainda dito publicamente se irá ou não se manter como candidato, caso se confirme o nome de Luizianne na disputa, O POVO apurou que ele não abre mão de concorrer, mesmo batendo de frente contra a principal líder do PT estadual.

Luizianne, por meio de sua assessoria, informou que só irá se pronunciar sobre as eleições internas do partido no próximo sábado, 22, dois dias antes de encerrar o prazo de inscrições. Havia a expectativa que Luizianne lançasse sua candidatura durante o encontro do grupo do deputado Guimarães – Campo Democrático – ocorrido no último sábado. Ela não compareceu ao evento.

Em negociação
Duas conversas serão determinantes na decisão que a prefeita vier a tomar. Uma, com o ministro da Previdência, José Pimentel (PT), aliado de Ilário, que estava previstas para ocorrer no último fim de semana. A outra, com o próprio Ilário, que provavelmente ocorrerá até amanhã.

Luizianne apareceu na disputa petista um dia após o anúncio de que o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), irá assumir a presidência estadual de sua legenda no dia 29 de agosto.

A data da indicação de Luizianne não foi coincidência. Caso assuma a presidência estadual, haverá mais facilidade que o PT possa formar alianças com outros partidos para o pleito de 2010. Esse é justamente o interesse de Guimarães em querer emplacar o nome da petista para a direção estadual.

Logo após o primeiro rumor de Luizianne entrar na disputa interna, Guimarães informou ao O POVO que o momento do PT é de buscar “um nome que seja capaz de pacificar as relações internas e a relação com o PCdoB, o PSB e o PMDB”.

Ilário Marques não seria a melhor opção para esse objetivo. Ele, ao contrário, vem se mostrando um dos principais críticos, dentro do partido, do governador Cid Gomes. ”

(Jornal O POVO)

Datafolha – Congresso vive sua pior crise e 74% querem a saída de Sarney

“A crise do Senado, agravada após a série de denúncias contra o seu presidente, José Sarney (PMDB-AP), levou o Congresso a atingir uma de suas piores avaliações já registradas, 44% de ruim ou péssimo, revela pesquisa Datafolha.

Segundo o levantamento, 74% dos brasileiros defendem que Sarney deixe a Presidência do Senado, sendo que 36% preferem um afastamento temporário e 38%, a renúncia dele.
Para 66% dos brasileiros, o senador está envolvido nas irregularidades que atingem o seu nome. Entre aqueles que dizem estar bem informados sobre esses casos, 86% acreditam no envolvimento dele. Apenas 10% não acreditam que o peemedebista tenha alguma relação com as denúncias.

“A maioria da população tomou conhecimento das denúncias contra Sarney. Por conta disso, a maioria acha que ele deve se afastar. Como a crise do Senado se arrasta há tanto tempo, isso acabou prejudicando a imagem do Congresso”, afirma Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha.

A maior parte das pessoas (78%) diz ter tomado conhecimento das denúncias. É justamente a parcela que tem a pior avaliação do Congresso (visto por 51% como ruim ou péssimo). A desaprovação cresce ainda mais entre os que afirmam estar bem informados sobre as denúncias (61%). Já entre aqueles que não se informaram sobre os casos envolvendo Sarney, apenas 23% desaprovam o Congresso.

A nova pesquisa Datafolha é a primeira após o agravamento da crise no Senado. Nesse período, foram descobertos os atos secretos utilizados, entre outras coisas, para nomeações e promoções de servidores.A situação piorou com o surgimento de várias denúncias contra Sarney, que vão de nepotismo a desvios de verba na fundação que leva seu nome.

Sarney foi alvo, no Conselho de Ética, de 11 pedidos de abertura de processo por quebra de decoro. O presidente do colegiado, Paulo Duque (PMDB-RJ), arquivou todos os pedidos.

O auge da crise ocorreu no começo do mês. Dois momentos foram marcantes: os ataques de Fernando Collor (PTB-AL) a Pedro Simon (PMDB-RS) e a troca de insultos entre Renan Calheiros (PMDB-AL) e Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Na semana passada, oposição e base governista negociaram um “acordão”. Por ele, Sarney se livraria das acusações, assim como o senador Arthur Virgílio (PSDB-AM), alvo de ação do PMDB, que o acusa de ter quebrado o decoro por ter, entre outras coisas, mantido funcionário-fantasma no gabinete.

Renan e mensalão
A desaprovação ao Congresso deu um salto de dez pontos percentuais na comparação com a última pesquisa, realizada em maio, quando 34% achavam o trabalho de senadores e deputados ruim ou péssimo.

Hoje, 14% acham o desempenho ótimo ou bom, contra 19% em maio. Para 36%, o desempenho é regular, ante 41% observado na pesquisa anterior.

A taxa de reprovação voltou ao patamar de novembro de 2007, quando 45% diziam que o Congresso era ruim ou péssimo. Naquele momento, o Senado acabara de passar por outra crise, que culminou na renúncia de Renan da presidência.

O recorde negativo, de 48% de ruim ou péssimo, foi observado em agosto de 2005, no auge do escândalo do mensalão.Para a mais recente pesquisa, o Datafolha ouviu 4.100 pessoas entre os dias 11 e 13 de agosto. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.”

(Folha de São Paulo)

Datafolha – Alckmin lidera com folga; Ciro tem 12%

“Principal novidade no cenário político paulista para 2010, a possível candidatura de Ciro Gomes (PSB-CE) ao governo de São Paulo atinge de 12% a 18%, a depender do adversário, mas os tucanos Geraldo Alckmin ou José Serra ainda lideram com folga.

Na disputa paulista, quando o nome do PSDB é o do ex-governador Geraldo Alckmin, Ciro tem 12%, contra 46% do tucano. O desempenho do deputado federal pelo Ceará é pior que o da ex-prefeita Marta Suplicy (PT), que chega a 16% contra Alckmin, que fica com 43% com ela na disputa.

“O Ciro tem um percentual considerável como ponto de partida, mas isso não significa que ameace a liderança do Alckmin”, avalia o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino. “Não é um percentual desprezível”, afirma. É a primeira vez que o Datafolha inclui o nome de Ciro nos levantamentos sobre o governo paulista.

O quadro para a eleição ao governo de São Paulo ainda está indefinido, tanto no campo governista quanto na oposição, com vários nomes numa dura disputa de bastidores para conseguir a vaga.

Atual secretário de Desenvolvimento de São Paulo, Alckmin luta pela indicação do governo com nomes com desempenho mais fraco nas pesquisas -como o secretário estadual da Casa Civil, Aloysio Nunes Ferreira, e o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM)-, mas com apoio nos bastidores.

Na oposição, Ciro é o candidato preferido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas o próprio deputado federal pelo Ceará ainda tenta se viabilizar para a disputa à Presidência. Além disso, parte do PT paulista resiste a essa ideia, especialmente a ala ligada a Marta.
O resultado de Ciro no Estado é mais fraco do que no plano nacional, onde ele tem de 14% a 23% das intenções de voto na disputa pela Presidência, como publicou a Folha ontem.

No único cenário que permite comparação com pesquisas anteriores, Alckmin perdeu quatro pontos e está com 43% das intenções de voto, mas ainda permanece bem à frente da segunda colocada, Marta, com 16%. Nesse quadro, o ex-prefeito Paulo Maluf (PP) oscila de 9% para 11%.

Sem Alckmin na disputa, tanto Marta quanto Ciro sobem. A petista tem 22% quando o candidato governista é o prefeito Kassab, que fica com 20% -um empate técnico, já que a margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Kassab lidera com 22% sem Alckmin e sem Marta, situação em que Ciro tem 18%. O resultado é no limite da margem de erro. Num cenário muito pouco provável, com Ciro no limite para cima e Kassab no limite para baixo, ambos ficariam com 20% das intenções.

Alckmin tem desempenho superior ao de seu chefe, nome mais cotado dos tucanos para concorrer à Presidência da República -mas disputa com Aécio Neves (PSDB-MG) a indicação tucana e ainda tem a opção de escolher concorrer à reeleição em São Paulo.
Serra tem 36% contra Marta, que fica com 17%, e 38% contra Ciro, que nesse cenário tem 12%. O diretor do Datafolha atribuiu o fato de o governador ter índices menores do que o ex à vinculação de sua imagem à disputa nacional. “O Serra já está muito marcado como candidato a presidente”, afirma.

O percentual de Serra em São Paulo é semelhante à sua performance nacional, quando lidera com vantagem tranquila sobre os oponentes.”

(Folha de São Paulo)

O Senado romano é no Brasil?

Eis artigo de Frei Beto publicado no jornal Folha de São Paulo deste domingo. Uma leitura imperdível para bons questionamentos sobre nossa realidade política. Confira: 

“ATÉ QUANDO , ó Catilina, abusarás da nossa paciência?”, indagou Marco Túlio Cícero ao senador Lúcio Sérgio Catilina, a 8 de novembro de 63 a.C., em Roma. Flagrado em atitudes criminosas, Catilina se recusa a renunciar ao mandato.
Cícero, orador emérito, respeitado por sua conduta ética na política e na vida pessoal, pôs em sua boca a indignação popular: “Por quanto tempo ainda há de zombar de nós essa tua loucura? A que extremos se há de precipitar a tua audácia sem freio? Nem a guarda do Palatino, nem a ronda noturna da cidade, nem os temores do povo, nem a afluência de todos os homens de bem, nem este local tão bem protegido para reunião do Senado, nem o olhar e o aspecto destes senadores, nada disso conseguiu perturbar-te? Não sentes que os teus planos estão à vista de todos?”.
“Ó tempos, ó costumes!”, exclamou Cícero, movido por atormentada perplexidade diante da insensibilidade do acusado. “Que há, pois, ó Catilina, que ainda agora possas esperar, se nem a noite, com suas trevas, pode manter ocultos os teus criminosos conluios; nem uma casa particular pode conter, com suas paredes, os segredos da tua conspiração; se tudo vem à luz do dia, se tudo irrompe em público?”
Jurista, Cícero se esforçou para que Catilina admitisse os seus graves erros: “É tempo, acredita-me, de mudares essas disposições; desiste das chacinas e dos incêndios. Estás apanhado por todos os lados. Todos os teus planos são para nós mais claros que a luz do dia”.
Se Catilina permanecia no Senado, não era apenas a vontade própria que o sustentava, mas sobretudo a cumplicidade dos que teriam a perder, com a renúncia dele, proveitos políticos. Daí a exclamação de Cícero: “Em que país do mundo estamos nós, afinal? Que governo é o nosso?”.
Cícero não temia ameaças e expressava o que lhe ditava o decoro: “Já não podes conviver por mais tempo conosco; não o suporto, não o toler o, não o consinto. (…) Que nódoa de escândalos familiares não foi gravada a fogo na tua vida? Que ignomínia de vida particular não anda ligada à tua reputação? (…) Refiro-me a fatos que dizem respeito não à infâmia pessoal dos teus vícios, não à tua penúria doméstica e à tua má fama, mas sim aos superiores interesses do Estado e à vida e segurança de todos nós”.
Os crimes de Catilina escancaravam-se à nação. Seus próprios pares o evitavam, como assinalou Cícero: “E agora, que vida é essa que levas? Desejo neste momento falar-te de modo que se veja que não sou movido pelo rancor, que eu te deveria ter, mas por uma compaixão que tu em nada mereces. Entraste há pouco neste Senado. Quem, dentre esta tão vasta assembleia, dentre todos os teus amigos e parentes, te saudou? Se isso, desde que há memória dos homens, a ninguém aconteceu, ainda esperas que te insultem com palavras quando te encontras esmagado pela pesadíssima condenação d o silêncio?”.

Catilina fingia não se dar conta da gravidade da situação. Fazia ouvidos moucos, jurava inocência, agarrava-se doentiamente a seu mandato.
“Se os meus escravos me temessem da maneira que todos os teus concidadãos te receiam”, bradou Cícero, “eu, por Hércules, sentir-me-ia compelido a deixar a minha casa; e tu, a esta cidade, não pensas que é teu dever abandoná-la? E se eu me visse, ainda que injustamente, tão gravemente suspeito e detestado pelos meus concidadãos, preferiria ficar privado da sua vista a ser alvo do olhar hostil de toda a gente; e tu, apesar de reconheceres, pela consciência que tens dos teus crimes, que é justo e de há muito merecido o ódio que todos nutrem por ti, estás a hesitar em fugir da vista e da presença de todos aqueles a quem tu atinges na alma e no coração?”

Cícero não demonstrava esperança de que seu libelo fosse ouvido: “Mas de que servem as minhas palavras? A ti, como pode alguma coisa faz er-te dobrar? Tu, como poderás algum dia corrigir-te?”. E não poupou os políticos que, apesar de tudo, apoiavam Catilina: “Há, todavia, nesta ordem de senadores, alguns que ou não veem aquilo que nos ameaça ou fingem ignorar aquilo que veem”.

Acuado, Catilina se refugiou na Etrúria e morreu em 62 a.C. Cícero, afastado do Senado por Júlio César, foi assassinado em 43 a.C. Um século depois, Calígula, desgostoso com o Senado, nomearia senador seu cavalo Incitatus, com direito a 18 assessores, um colar de pedras preciosas, mantas de cor púrpura e uma estátua, em tamanho real, de mármore com pedestal em marfim.

Atriz Juliana Paes divulga site

juju

Eis como estreou, neste domingo, o site da atriz Juliana Paes. Ela esteve neste domingo no programa do Faustão (Globo) falando sobre a novela Caminho das Ìndias, ocasião em que aproveitou para divulgar o site (www.julianapaes.com.br).

“Aqui a gente vai te contar tudo o que está acontecendo na minha carreira, projetos, ensaios bacanas, viagens, todas as novidades. E se eu souber de dicas e segredinhos bacanas para compartilhar com você, será aqui também que a gente vai se encontrar. O site é um presente pra você que tem estado lado a lado comigo nestes dez anos de carreira.”