Blog do Eliomar

Últimos posts

TJ do Ceará vai aplicar dia 1º de julho a prova objetiva do concurso para juiz

860 1

Marcada para 1º de julho (domingo), às 8 horas (horário local), a prova objetiva do concurso público para juiz substituto do Judiciário do Ceará. O certame será aplicado em Fortaleza e terá duração de cinco horas. Os locais de realização do teste poderão ser consultados a partir de 25 de junho, no site www.cespe.unb.br/concursos/tjce_18_juiz. A informação é da assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Estado.

A data e as orientações estão no Edital nº 9, do TJCE), publicado nessa quinta-feira (14/06). O candidato deverá comparecer ao local designado com antecedência mínima de uma hora do início do exame, com caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente, comprovante de inscrição e documento de identidade original.

Será eliminado quem, durante o teste, utilizar aparelhos eletrônicos, como calculadoras, agendas, celulares, smartphones, tablets, gravadores, pendrive, mp3 player ou similar, qualquer receptor ou transmissor de dados e mensagens, bipe, notebook, palmtop, Walkman, máquina fotográfica e controle de alarme de carro. Também é proibido utilizar relógios, óculos escuros, protetor auricular, lápis, lapiseira/grafite, marca-texto e/ou borracha, além de chapéu, boné, gorro e similares.

É importante que o candidato leia todas as instruções do Edital nº 1, de 15 de fevereiro de 2018, especialmente os itens 8 e 19. A seleção oferece 50 vagas para o cargo de juiz substituto, incluindo três reservadas a pessoas com deficiência e dez para candidatos negros. O concurso está sendo executado pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe). O presidente da Comissão Examinadora é o desembargador Washington Araújo, vice-presidente do TJCE.

Ministério da Cultura quer 3% da arrecadação das Loterias da Caixa

O Ministério da Cultura propôs que 3% da arrecadação das Loterias Federais da Caixa Econômica Federal passem a ser destinados diretamente pela estatal a projetos culturais. Segundo o ministro Sérgio Sá Leitão, a medida protegeria os recursos de contingenciamentos, uma vez que eles seriam destinados aos projetos sem que passassem pelo Tesouro Nacional. Sá Leitão disse que cortar recursos da cultura em tempos de crise é uma “postura burra”. “Não existe outra palavra para definir isso”, afirmou.

“Cortar dinheiro da cultura não é uma postura inteligente diante de um quadro de crise econômica e queda da arrecadação tributária. Estava me referindo especificamente a essa questão”, disse o ministro, explicando que o termo usado não se referia ao corte recente feito pelo governo que redirecionou verbas da área para a segurança pública.

A proposta está sendo trabalhada por técnicos dos ministérios da Cultura, Fazenda, Casal Civil e Planejamento desde terça-feira (12) e foi construída em conjunto com a Caixa nos últimos meses, antes mesmo de a Medida Provisória 841 ter sido publicada. A medida redistribuiu recursos das Loterias Federais para o Ministério da Segurança Pública e reduziu o percentual destinado ao Fundo Nacional de Cultura, que era de 3% e caiu para entre 0,5% e 1%. Esses 3%, segundo o ministro, já não chegavam aos projetos porque eram contingênciados.

“Estamos construindo uma solução para que haja destinação dos recursos das loterias à cultura e que essa destinação efetivamente chegue ao setor”, explicou.

A alternativa proposta pelo Ministério da Cultura não retira recursos que foram destinados à segurança e cria um novo programa de fomento. Os projetos receberiam os recursos da Caixa por meio de editais públicos, que seriam controlados por um Comitê Gestor, presidido pelo ministéiro. Ainda está em estudo se a maneira de propor a alteração será uma nova Medida Provisória ou um adendo à que já foi publicada.

(Agência Brasil)

A Vida entre Copas

Com o título “Vida entre Copas”, eis artigo de Neivia Justa, jornalista, executiva e criadora do Movimento #ondeestãoasmulheres. Ela conta sua experiência como torcedora nas últimas Copas, num contraponto aos cenários deste País de tantas contradições. Confira:

Somos conhecidos como o País do futebol, mas será que, como sugere o protagonista do filme “Além do Homem”, de Willy Biondani, nós, brasileiros, vivemos anestesiados entre Copas? O que temos feito da vida nesses ciclos de quatro anos?

Fazendo uma retrospectiva pessoal, meus primeiros registros remetem à Copa de 1982, quando o Brasil já era tricampeão. Lembro da minha alegria adolescente nos jogos na casa da minha avó e do “hino”: “dá-lhe dá-lhe bola, meu Canarinho vai deixar a gaiola, vai pra Espanha de mala e viola…”

Em 1986, eu estava mais interessada em curtir o último ano do colégio e definir a carreira que seguiria. Só lembro dos gigantescos sombreiros mexicanos. A propaganda da Fiat, na Copa de 1990, está gravada na minha memória: “Lazzaroni brasiliano, técnico de la squadra brasiliana, a la guida de una Uno brasiliana, piacere io sono il papa”. Três meses antes do início dos jogos, o Plano Collor havia confiscado nossas poupanças.

Em 1994, tivemos o alento do tetracampeonato nos EUA, quando ainda sofríamos com a morte trágica de Ayrton Senna. Já em 1998, assisti a primeira vitória do Brasil, narrada em turco, e nossa derrota para a França, narrada em grego, cercada de franceses por todos os lados, em pleno cruzeiro pelo Mediterrâneo na minha última viagem de solteira.

Em 2002, enquanto eu comemorava meu primeiro ano de casada, numa viagem entre Grécia e Itália, o Brasil fazia sua errática campanha nas sedes do Japão e da Coreia do Sul. A edição da Alemanha, em 2006, marcou minha estreia como mãe-torcedora com minhas filhas, nascidas em 2003 e 2005. A Copa da África do Sul, em 2010, passou por nós sem deixar vestígios. Jamais me esquecerei do choro inconsolável da minha caçula, na Copa do Brasil em 2014, quando ela tinha oito anos e nós perdemos para a Alemanha por 7×1.

Ontem começou a Copa da Rússia. Minhas filhas são adolescentes. Estamos passando o Brasil a limpo. O algoritmo diz que a Canarinha vai ganhar. E assim seguimos a vida…

*Neivia Justa neivia@uol.com.br

Jornalista, executiva e criadora do movimento #ondeestãoasmulheres

Danilo endossa emenda que quer redução do número de senadores e deputados

236 1

O deputado federal Danilo Forte (PSDB) endossou a proposta de Emenda à Constituição (PEC) que visa enxugar a máquina pública. O texto prevê a redução do número de senadores por Estado, de três para dois, e de deputados federais, baixando a mínima de 8 para 4 e a máxima de 70 para 65. Com isso, o Senado passaria de 81 para 54 cadeiras e a Câmara de 513 para 395. A quantidade de estaduais no País também cairia de 1.059 para 804.

“Enquanto alguns apresentam propostas para criar ainda mais impostos para o cidadão pagar, acreditamos que o essencial é enxugar a máquina pública e acabar com a corrupção para começarmos a reorganizar as contas do Brasil”, justifica o parlamentar. O documento já possui 120 das 171 assinaturas necessárias para protocolar a proposta.

Caso a matéria seja aprovada, no Ceará a quantidade de deputados federais passa de 22 para 18 e de estaduais de 46 para 39. De acordo com a proposta de autoria do deputado Nilson Leitão (PSDB-MT), só com a redução de parlamentares federais seria economizado, no mínimo, R$ 1,3 bilhão por legislatura.

Gonzaga Mota disponibiliza mais de 700 publicações ao público

O ex-governador Gonzaga Mota promoverá neste sábado, das 9 às 19 horas, a Feira de Livros dos Escritores Cearenses. Vai colocar à disposição dos interessados, em sua Livraria, mais de 700 publicações.

SERVIÇO

*Livraria dos Escritores do Ceará – Avenida Santos Dumont, 3130 – Bairro Aldeota.

(Foto – Divulgação)

General Theóphilo terá encontro com lideranças dos movimentos católicos

O General Theophilo, pré-candidato do PSDB ao Governo do Ceará, vai ter encontro com lideranças católicas neste sábado, a partir das 15 horas, na rua Osvaldo Cruz, 1221 – no bairro Aldeota.

Hora de expor suas propostas para o Estado e seu pensamento acerca de questões como aborto, valorização da família e direitos humanos.

O encontro foi articulado pelo deputado estadual Carlos Matos (PSDB), nome dos mais respeitados no setor da Igreja, em especial na área da renovação Carismática Católica.

(Foto – ALCE)

Assembleia Legislativa muda expediente durante jogos da Seleção Brasileira

Durante as partidas da Seleção Brasileira na Copa do Mundo 2018, na Rússia, o expediente da Assembleia Legislativa sofrerá mudanças. A Portaria 041/2018, assinada pelo primeiro-secretário do Poder Legislativo, Audic Mota (PSB) disciplina horários. Na etapa inicial da competição, a portaria não contempla apenas o jogo inicial do Brasil contra a seleção da Suíça, pois ocorrerá neste domingo, a partir das 15 horas.

Conforme o texto legal, o expediente do Poder Legislativo será das 14 horas às 18 horas quando os jogos se realizarem às 9 horas. Este é o caso da partida do Brasil contra Costa Rica, no dia 22 de junho (sexta-feira).

No dia 27 de junho (quarta-feira), a Seleção enfrentará a Sérvia às 15 horas. Desta forma, conforme estabelecido na Portaria, o expediente será das 8 horas às 13 horas na Assembleia.

Demais fases

A Portaria estabelece ainda que a Casa funcionará em regime de ponto facultativo nos dias em que os jogos aconteçam às 11 horas ou 12 horas. Caso o Brasil se classifique em primeiro no Grupo A, de que faz parte, uma partida será realizada neste horário no dia 2 de julho (segunda-feira). Na hipótese de passar para as Oitavas de Final na segunda colocação no seu grupo, a Seleção jogará no dia 3 de julho (terça-feira), também às 11 horas.

Caso chegue às Quartas de Final, o Brasil poderá jogar no dia 6 de julho (sexta-feira), às 15 horas, ou no dia 7 de julho (sábado), às 11 horas. Na hipótese de vir a jogar no dia 6 de julho, conforme já definido pela Portaria, o expediente da AL-CE será das 8 horas às 13 horas. Este horário se repete com a possibilidade de o Brasil chegar às Semifinais. Neste caso, a Seleção poderá jogar no dia 10 de julho (terça-feira) ou no dia 11 (quarta-feira).

As partidas decisivas do torneio não são contempladas pela Portaria. Seja na disputa pelo terceiro lugar, no dia 14 de julho (sábado), às 11 horas, ou na grande final, no dia 15 de julho (domingo), às 12 horas, os servidores e servidoras do Poder Legislativo estarão na torcida pela Seleção Brasileira fora dos dias úteis de expediente.

Vacinação contra a polio começa em agosto

Em meio ao aumento de casos de poliomielite identificados na Venezuela, o Ministério da Saúde informou que a campanha de vacinação contra a doença no Brasil deve ocorrer de 6 a 24 de agosto.

Por meio de nota, o ministério informou que, atualmente, a cobertura vacinal no Brasil contra a poliomielite é de 77%. Diante de casos identificados na Venezuela, a pasta enviou nota de alerta para estados e municípios sobre a importância de alcançar e manter cobertura maior ou igual a 95%, além da necessidade de notificação e investigação imediata de todo caso de paralisia flácida aguda que apresente início súbito em indivíduos menores de 15 anos.

“O Ministério da Saúde ressalta que a vacinação é de extrema importância para manter o país livre da circulação de poliovírus, tanto nas ações de rotina como na Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite”, destacou o comunicado.

Fiocruz promove hoje (08), campanha de vacinação contra sarampo e paralisia infantil. Além da vacinação há diversas atividades educativas promovidas pela instituição (Tomaz Silva/Agência Brasil)
Campanha de vacinação contra a poliomielite será realizada de 6 a 24 de agosto – Tomaz Silva/Arquivo Agência Brasil
O governo brasileiro reforçou que as vacinas que integram o Calendário Nacional de Vacinação são seguras e eficazes. O esquema vacinal da poliomielite é composto por três doses da vacina inativada (injetável), administradas aos dois, quatro e seis meses. Aos 15 meses e aos 4 anos, a criança recebe a vacina oral.

O último caso de infecção pelo poliovírus selvagem no Brasil ocorreu em 1989. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que três países ainda são considerados endêmicos para a doença – Paquistão, Nigéria e Afeganistão.

(Com Agência Brasil)

Hora de torcer pelo Brasil, mas sem vestir o amarelo

456 2

Com o título “A Copa e a vergonha do amarelo”, eis artigo de Demétrio Andrade, jornalista e sociólogo. O articulista vai torcer pela Canarinho, mas sem vestir o amarelo, numa alusão ao cenário político do País. Confira:

Estou francamente otimista com a participação do Brasil na Copa. Acho este time o melhor que já vi desde o de 1982 – uma referência de bom futebol pra mim para o resto da vida. Em 2014, a despeito da euforia de sediar um mundial, tínhamos um treinador ultrapassado e um time fraco. Sem qualquer demérito pra quem é apaixonado pela seleção, para mim, comparados ao de 1982, os demais escretes – com raríssimas exceções – eram pífios. Assistia por que gosto muitíssimo de futebol, do evento, de beber com os amigos, mas sem muita paixão. Este ano, dá até pra torcer. Só não dá pra torcer de amarelo.

Antes que o leitor classifique precipitadamente tal julgamento como uma reação passional de um mero esquerdista revoltado com o golpe – que de fato sou – preciso esclarecer que tal decisão vai bem além disso. Meu instinto democrático, além de minhas leituras e práticas políticas, me ensinaram a respeitar pontos de vista diferentes. Mesmo discordando radicalmente delas, reconheço que as manifestações pró-impeachment tiveram um significado importante para história recente do país. E, além disso, ninguém é dono do verde, do amarelo, do vermelho ou de qualquer outra cor.

Porém – na vida sempre existem os poréns – analisando hoje friamente o que ocorreu, cada vez mais tenho convicção de que aqueles milhões de pessoas levaram à ruas – mesmo concordando que alguns tinham boas intenções – tudo o que me é digno de pena e repulsa, à exceção do combate à corrupção. Desde o simples analfabetismo político, passando pelo oportunismo rasteiro, indo até a ode à ditadura militar.

Aqueles milhões de pessoas, acreditando que estavam exercendo um imaculado civismo – talvez usando termos como política, ética e cidadania pela primeira vez em suas vidas – ajudaram a criar uma onda tosca de conservadorismo e repressão, questionando avanços fundamentais num país gigantescamente desigual e injusto como o nosso.

Entraram no rolo do ódio dos “manifestoches” os direitos humanos, as conquistas do público LBGT, cotas em concursos para negros, programas sociais de distribuição de renda para pobres, políticas educacionais inclusivas, liberdade de debate de conteúdo de professores em escolas, respeito aos cultos religiosos, tolerância com o comportamento sexual alheio, existência de partidos e sindicatos, leis trabalhistas e tantos outros avanços.

Esta carga simbólica é muito negativa e muito recente pra mim. Não vou nem falar da CBF, este antro de múmias desonestas. O que não quero mesmo é botar uma camisa amarela agora e ser confundido com estes tipos que cultivam a acefalia cultural e política. Alguém poderia contra-argumentar dizendo que isso é besteira, já que não vou deixar de usar meus gloriosos e sofridos mantos do Fortaleza e do Vasco não obstante as torcidas de ambos os times com certeza conterem milhões de reacionários.

Pois eu digo: nenhuma destas camisas de clubes foi maculada sendo usada como marca de um golpe que reuniu o que há de pior no pensamento político: fascismo, repressão, violência e autoritarismo. E que jogou, de forma irresponsável, um país ajustado economicamente, com prestígio internacional crescente, com avanços sociais incontestáveis, numa crise aguda, ferindo talvez de morte nossa tão combalida democracia. A rigor, nosso linguajar cotidiano bem que podia, a meu ver, já carimbar a expressão “amarelo de vergonha”.

*Demétrio Andrade

Jornalista e sociólogo.

Liderança do PSDB torra R$ 20 mil em refeição

O apetite do PSDB pela cota parlamentar é insaciável. Segundo informa a Coluna Radar, da Veja Online, nesta sexta-feira, a liderança tucana na Câmara dos Deputados torrou R$ 19.649,00 nos primeiros cinco meses deste ano.

Há uma multiplicação de contas para lá de salgadas. No dia 21 de março, por exemplo, sorvidos R$ 825 numa cafeteria de Brasília. Poucos dias depois, outro gasto que salta aos olhos: foram R$ 725 num restaurante árabe da capital.

O banquete, claro, é bancado pelo dinheiro público.

Aílton Lopes faz pré-campanha em Crateús e Tamboril

O presidente do PSOL do Ceará e pré-candidato ao Governo, Ailton Lopes, estará neste sábado, no Sindicato dos Comerciários de Crateús. No encontro, haverá um debate sobre planos de uma futura gestão socialista.

Direito à água, terra, educação, saúde e assistência social estarão em pauta no evento, que começa às 8 horas e se estendendo até 12 horas. “Todas estas temáticas são muito sensíveis para um Estado onde o governo tira água do povo para dar às termelétricas”, exemplificou Ailton.

O pré-candidato comparecerá ainda, nesta tarde de sábado, da Parada pela Diversidade em Tamboril.

Datena admite agora disputar a Presidência da República

Depois da desistência de Luciano Huck, um novo apresentador se assanha a disputar a Presidência da República nas eleições 2018.

Em entrevista ao O Estado de S. Paulo, José Luiz Datena, da rádio e TV Bandeirantes não descartou encarar a empreitada. “Eu me proponho a ser candidato ao Senado. Agora, se pintar a possibilidade de ser candidato à Presidência, talvez eu tente ajudar o meu País. Quero ser candidato para ajudar o povo”, disse.

O maior adversário de Camilo está dentro do PT

443 1

Da Coluna Política, do O POVO desta sexta-feira, assinada pelo jornalista Érico Firmo, uma boa avaliação do cenário sucessório onde Camilo Santana (PT), pelo visto, dorme com inimigos declarados em sua casa partidária. Confira:

A postura de Camilo Santana (PT) em relação a Ciro Gomes (PDT) na campanha presidencial produz previsível conflito dentro do partido do governador. No O POVO de terça, o colega Eliomar de Lima mostrou que a ex-prefeita Luizianne Lins (PT) está disposta a enfrentar Camilo em disputa interna para a definição do candidato a governador pelo partido. Isso no caso de Camilo apoiar Ciro no lugar de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Presidente do PT em Fortaleza por mais dez dias, Acrísio Sena fez pronunciamento na Câmara no mesmo dia, no qual respondia a Luizianne. Ele minimizou diferenças entre Ciro e Lula. “Não são duas candidaturas antagônicas, mas dois candidatos de centro-esquerda, que se contrapõem à política conservadora, neoliberal e autoritária dos apoiadores de Temer”. Acrísio disse que o PT precisa “compreender e absorver” as especificidades de cada Estado. A disputa está narrada nas colunas do Eliomar nos dois últimos dias.

Em bom português, Acrísio disse que o partido precisa entender que o líder do grupo que governa o Ceará é Ciro. Que o partido não estaria no poder não fosse pelo PDT. A polêmica não é nova. Na verdade, tem se dado em todas as últimas eleições, desde que o grupo de Luizianne e o de Ciro e Cid Gomes passaram a se estranhar. Agora, porém, é mais sério. Afinal, Ciro concorre a presidente.

No ano passado, muito se disse e se discutiu sobre a posição de Camilo em relação a candidatura de Ciro. Há alguns meses, com Lula ainda solto, perguntei ao governador sobre o assunto e a resposta não poderia ter sido mais Camilo Santana: “No momento que o Brasil vive, é fundamental a contribuição do Ciro e é fundamental a contribuição do Lula”. Insisti e ele ressaltou: “Não estou falando de candidatura”. Eu perguntava, claro, sobre candidatura. O equilibrismo da resposta parece não dizer nada, mas é revelador de um modo de ação. Como já escrevi nesta semana, eu apostaria nesse equilibrismo na próxima campanha.

Com um fator extra: Lula não será candidato, salvo uma tremenda reviravolta. Então, a questão que está colocada é entre Ciro e algum candidato do partido que não se sabe nem quem será. Nesse meio do caminho, Acrísio será substituído na presidência do PT de Fortaleza por Deodato Ramalho, aliado de Luizianne.

Pela correlação de forças do PT, até a ex-prefeita sabe que é impossível tirar de Camilo a candidatura. A eventual disputa interna, todavia, seria desgaste imprevisto. Instabilidade num cenário que não apresenta adversário que tenha se mostrado até agora competitivo. Pelo histórico e o peso político, Luizianne é uma oponente mais difícil de enfrentar que qualquer dos candidatos colocados para disputar o governo com Camilo.

BNDES publica edital de desestatização de distribuidoras

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) publicou hoje (15) o edital de desestatização das seis distribuidoras de energia elétrica controladas pela Eletrobras, no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). As empresas são a Amazonas Energia (AM), Boa Vista Energia (RR), Cepisa (PI), Ceal (ALde), Ceron (RO) e Eletroacre (AC). Pelo edital, a entrega das propostas acontecerá na B3 (BM&FBovespa, a nova bolsa de valores) no próximo dia 19 de julho, das 9 as 12 horas. O leilão acontecerá às 10 horas do dia 26 de julho. Empregados e aposentados das distribuidoras poderão adquirir o equivalente a 10% das ações. Segundo o comunicado do BNDES, a desestatização se dará mediante a concessão de serviço público de distribuição de energia, associada à transferência do controle acionário das empresas.

O banco lembra que no primeiro trimestre desse ano já foram realizadas audiências públicas para cada uma das distribuidoras, posteriormente divulgadas no portal eletrônico www.bndes.gov.br/distribuidoras-eletrobras e publicadas no Diário Oficial da União e em jornais de grande circulação.

As informações do BNDES indicam que o Tribunal de Contas da União (TCU), paralelamente, realizou fiscalização e aprovou, na sessão de 30 de maio último, o terceiro estágio do processo, que contempla as fases de atribuição da competência de gestor ao BNDES, a contratação dos estudos e a modelagem de desestatização.

Melhorias

A avaliação do banco de fomento do país, é de que “a desestatização das distribuidoras visa proporcionar um aumento dos investimentos, melhorias de gestão operacional, expansão da rede de distribuição, aumento da qualidade dos serviços prestados e a melhoria do seu desempenho econômico-financeiro”.

Além disso, segundo o BNDES, a reestruturação societária das distribuidoras, com a transferência do controle das empresas à iniciativa privada, “permitirá que a Eletrobras concentre investimentos e esforços nas áreas de geração e transmissão, que são as atividades principais da companhia”.

SERVIÇO

O edital, seus anexos, bem como todas as informações sobre a desestatização poderão ser obtidos no sítio eletrônico www.bndes.gov.br/distribuidoras-eletrobras.

(Com Agência Brasil)

DPU de Sobral inscreve para estágio

A Defensoria Pública da União inscreve, até o próximo dia 24 de junho, para preenchimento de 6 (seis) vagas de estágio para estudantes de Direito na unidade de Sobral (Zona Norte). Do total, 5 (cinco) são destinadas a ampla concorrência e 1 (uma) para candidatos com deficiência, além de cadastro de reserva. A informação é da assessoria de imprensa da DPU.

A inscrição, que é gratuita, está disponível no sítio do CIEE (www.ciee.org.br), na seção estudantes/processos seletivos/defensoria pública da união – processos/Processo DPU – Sobral/CE – 01/2018. Podem participar do processo seletivo estudantes devidamente matriculados no curso de Direito, a partir do 5º semestre, de Instituição de Ensino Superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e que, no momento da contratação, não sejam prováveis concludentes. No ato da inscrição, o candidato deverá sugerir qual o turno de sua preferência para a execução do estágio, entre os disponíveis: manhã e tarde.

O processo seletivo constará de uma Prova Objetiva e uma Prova Discursiva, que serão realizadas na data de 1º de julho de 2018, com duração de quatro horas. As informações sobre os locais e o horário de realização das provas serão divulgadas, a partir do dia 25 de junho de 2018, no sítio eletrônico do CIEE (www.ciee.org.br). O conteúdo programático a ser avaliado consta do Anexo Único do edital de seleção. O resultado final da seleção será divulgado, na data provável de 9 de agosto de 2018, na sede da Defensoria Pública da União em Sobral e no site do CIEE (www.ciee.org.br).

Remuneração

O estagiário receberá bolsa mensal no valor de R$ 800,00 (oitocentos reais), além de auxílio transporte no valor de R$ 8 (oito reais) por dia trabalhado, observada a legislação pertinente. A carga horária será de 20 (vinte) horas semanais, a ser exercida no horário do expediente da unidade contratante, sem prejuízo das atividades discentes.

SERVIÇO

*Para mais informações, confira o edital completo, disponível em: http://bit.ly/DireitoDPUsobral ou no sítio eletrônico do CIEE (www.ciee.org.br).

 

 

Atividade econômica cresce 0,46% em abril

Depois de três meses de queda, a atividade econômica registrou crescimento em abril. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), dessazonalizado (ajustado para o período), apresentou crescimento de 0,46%, de acordo com dados divulgados hoje (15). De acordo com os dados revisados, houve queda de 0,67% em janeiro, de 0,04% em fevereiro e de 0,51%, em março.

Na comparação com o mesmo mês de 2017 (sem ajuste para o período), houve crescimento de 3,7%. No ano, a expansão chegou a 1,55%. Em 12 meses, o crescimento ficou em 1,52%.

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar suas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic.

O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

O indicador foi criado pelo BC para tentar antecipar, por aproximação, a evolução da atividade econômica. Mas o indicador oficial é o Produto Interno Bruto (PIB – a soma de todas as riquezas produzidas no país), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

(Agencia Brasil)

Por revitalização e valorização do Centro de Fortaleza

Com o título “A gentileza de ordenar e valorizar o Centro”, eis artigo do presidente da CDL Fortaleza, Assis Cavalcante. No texto ele, afirma que “ordenar e valorizar o Centro é, antes de tudo, resgatar quem somos e planejar quem seremos” Confira:

Tempos atrás, no sul da África, vivia uma tribo que não usava sapatos porque a areia e a grama eram macios. Contudo, tendo de ir à cidade resolver assuntos de cartório ou de hospital, receber dinheiro ou participar de festas, as pessoas precisavam calçar-se. E o jeito era apelar para o inconveniente de pedir sapatos emprestados. Até que um dia um homem sábio resolveu o problema: abriu uma tenda de aluguel de sapatos. Instalado à sombra de grande árvore, pendurou nos galhos sandálias, chinelos, alpargatas, botas, botinas, enfim, calçados de toda cor, tipo e tamanho.

As pessoas alugavam o sapato que queriam, iam à cidade resolver seus assuntos e, na volta, o devolviam. Evidente que tinham de pagar o aluguel. Sabe qual? No final da tarde, depois que todos haviam terminado o serviço, tomado banho no rio, jantado, o povo da vila se reunia para ouvir a pessoa que tinha alugado o sapato contar, com riqueza de detalhes, por onde aquele sapato tinha andado… Se o sábio da vila africana morasse na capital cearense, e dele eu alugasse um par de pisantes, o pagamento seria a contação dos caminhos trilhados por minhas chinelas tipo ‘currulepe’ (de couro com cabresto) pelo Centro de Fortaleza. Pagaria feliz o aluguel por haver pisado os chãos das Praças do Ferreira, Leões e José de Alencar; das ruas Major Facundo, Liberato Barroso e Governador Sampaio; o Cineteatro São Luiz, o Museu do Ceará, a Catedral e o Passeio Público. Que histórias eu contaria sobre os caminhos percorridos pelas currulepes?

De pessoas que vi em situação de rua, necessitadas do justo ordenamento pelo poder público. Dos calçadões carentes de urgente reforma que vi, a reclamarem obras duradouras. Dos camelôs que presenciei aos montes, com seus comércios a necessitarem de séria e urgente readequação. Contaria histórias do bairro de invejável ICMS que clama por segurança pública das boas – efetiva, inteligente, ostensiva; e que pleiteia a presença mais eficaz da guarda municipal, em todos os quadrantes. Histórias de um Centro pulsante, vibrante, apaixonante.

Que os nossos pés ligeiros tenham uma só e única direção: o Centro de Fortaleza, com toda a sua grandeza e humanidade. Ordenar e valorizar o Centro é, antes de tudo, resgatar quem somos e planejar quem seremos. Respeite o Centro!

*Assis Cavalcante

assisvisao@secrel.com.br

Presidente da CDL, empresário e escritor.