Blog do Eliomar

Últimos posts

Mais de 6,7 milhões fazem primeira prova do Enem hoje; conheça as regras

Hoje (5) é o primeiro dia de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os 6,73 milhões de candidatos inscritos vão fazer provas de redação, linguagens (língua portuguesa e língua estrangeira) e ciências humanas (geografia, história, filosofia, sociologia e conhecimentos gerais).

O exame começa a ser aplicado às 13h30, no horário de Brasília, e os candidatos terão cinco horas e 30 minutos para concluir a prova. Além da redação, a prova terá 90 questões objetivas.

Foi resolvida ontem (4) a disputa jurídica em relação à redação: decisão da ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), definiu a suspensão da regra que proibia o desrespeito aos direitos humanos na redação. Assim, ainda que o texto seja ofensivo aos direitos humanos, ele não receberá nota zero. O Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) decidiram acatar a decisão do STF e não vão recorrer, em nome da segurança jurídica e da tranquilidade de quem vai fazer o exame.

A segunda prova será no dia 12 de novembro, com questões de matemática e ciências da natureza. Este é o primeiro ano que o Enem é realizado em dois domingos consecutivos. Até o ano passado, as provas eram realizadas em um único fim de semana, sábado e domingo.

Os portões abrem às 12h e fecham às 13h, no horário de Brasília. Com o horário de verão e diferenças de fusos horários, os estudantes precisam ficar atentos, pois vários estados estão com a hora local diferente da capital federal. A aplicação do exame começa 30 minutos após o fechamento dos portões.

Para fazer a prova é fundamental apresentar documento de identidade original com foto e usar caneta esferográfica de tinta preta, fabricada com material transparente. Outra cor de tinta impossibilita a leitura óptica do cartão de respostas.

É proibido o uso de celular ou qualquer aparelho eletrônico durante as provas. Os aparelhos terão de ser colocados em um porta-objetos com lacre, que deverá ficar embaixo da cadeira até o fim das provas.

O aluno poderá deixar o local após duas horas do início da prova. Só é possível sair com o caderno de questões nos últimos 30 minutos antes do fim das provas. Caso descumpra qualquer uma dessas regras, será eliminado.

(Agência Brasil)

Centenário da Revolução Russa é oportunidade para esquerda voltar à fonte original do socialismo e do marxismo

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (5):

O centenário da Revolução Russa de 1917 é uma ocasião propícia para esquerda fazer uma autocrítica de seu legado histórico e voltar a beber na fonte original do socialismo e do marxismo, reconhecendo o “aborto histórico” da experiência soviética, tratada, equivocadamente, como “socialista”. Tomou-se o gato por lebre.

Mesmo assim, foi um evento que proporcionou mudanças marcantes no mundo, pois, graças a ele, os governos burgueses, temerosos de revolução semelhante em seus países, se viram obrigados a fazer concessões aos trabalhadores, incorporando, em suas constituições, direitos sociais e legislações trabalhistas, então inexistentes. Assim como a reconhecer a organização autônoma dos trabalhadores, através de sindicatos, associações e partidos próprios.

Frise-se, porém, que, sem a participação da União Soviética, provavelmente Hitler teria sido o vencedor da II Guerra Mundial. O fato é que, depois de 74 anos, em 1991, o projeto desmoronou, melancolicamente, como um castelo de cartas, quase sem resistência.

Por que a classe operária não foi em seu socorro, tanto na União Soviética, como no Exterior? A raiz estaria na sua não identificação com o sistema criado pela ação voluntarista e equivocada de Lênin, em 1917, de tentar realizar um atalho na História e construir o socialismo num país agrário, semifeudal e que nunca conhecera a democracia política. Sua iniciativa negou as premissas do socialismo científico, preconizado por Marx. Para este, o socialismo, seria um rebento saído das entranhas do capitalismo desenvolvido, quando este tivesse esgotado todas as suas potencialidades produtivas.

América/MG vence Guarani e retoma vice-liderança do Vozão

Com um gol do ataque do Ceará, em 2014, o América Mineiro venceu o Guarani, por 1 a 0, nesse sábado (4), em pleno estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, e reassumiu a vice-liderança da Série B do Campeonato Brasileiro, no complemento da 33ª rodada. Aos 14 minutos do primeiro tempo, Felipe Amorim passou pela defesa paulista e tocou para Bill aproveitar a primeira oportunidade de gol do time mineiro.

Com o resultado, o América passa a ter 96,7% de chances de acesso à Série A, segundo o site Chance de Gol, contra 88,7% do Ceará, 79% do Paraná e 32,3% do Oeste, esse último a três pontos do Vozão e o quinto colocado na tabela de classificação. De acordo com o mesmo site, o líder Internacional possui 99,3% de chances de retornar à elite do futebol brasileiro.

Na terça-feira (7), no Castelão, o Ceará recebe o desesperado Guarani de Campinas, que está com 28,8% de chances de rebaixamento. O time paulista possui o segundo pior aproveitamento como visitante na competição, com apenas duas vitórias em 16 jogos, além de 10 derrotas e quatro empates.

Rússia suspende compra de carne do Brasil, mas ministro diz que procedimento é normal

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, afirmou nesse sábado (4) que a suspensão temporária das importações de carne bovina do frigorífico Mataboi, de Goiás, anunciada ontem pela Rússia, é uma medida normal. O ministro disse que, até o momento, as informações que detém são somente aquelas repercutidas pela mídia e que a medida é “coisa é do dia a dia”.

Segundo Maggi, o aumento de controle de qualidade pela Rússia não têm ligação com a Operação Carne Fraca. Ele disse que a pasta ainda não recebeu um comunicado oficial.

“Tudo que eu sei é pela imprensa. É absolutamente normal acontecer esse tipo de evento, com suspensão temporária ou, às vezes, mais prolongada, quando o importador detecta uma inconformidade”, disse o ministro, em áudio distribuído à imprensa.

O Serviço Federal de Vigilância Sanitária e Veterinária da Rússia anunciou ontem a suspensão temporária das importações e disse que a carne estava fora do padrão sanitário do controle adotado por aquele país. As autoridades russas também impuseram controles mais rígidos a outros cinco frigoríficos brasileiros: JBS, Aurora, Frigol, Irmãos Gonçalves (Frigon) e Frigoestrela.

“Vamos fazer a checagem, vamos comunicar aos frigoríficos que foram citados e eles deverão tomar as medidas cabíveis para fazer a correção”, completou.

A assessoria do frigorífico JBS disse que não vai se manifestar sobre o assunto.

(Agência Brasil)

Turismo em parques nacionais deve crescer 11% neste ano

O número de visitantes em parques nacionais deve aumentar 11,5% neste ano. A estimativa é do instituto Euromonitor International, organização voltada para análises de mercado. A projeção é que, em 2018, 8,6 milhões de pessoas visitem as unidades de conservação.

Se for concretizada, a estimativa vai mostrar um movimento de ampliação da visibilidade desse destino entre os turistas. Segundo levantamento do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o número foi de 8 milhões de visitantes em 2015, sendo 7,3 milhões em 2014, 6,4 milhões em 2013 e 5,7 milhões em 2012.

Os parque nacional mais visitado naquele ano foi o da Tujuca, com 2,9 milhões de visitantes. Jericoacoara teve 780 mil visitantes. Hoje há 72 parques nacionais, com 22% das 324 unidades de conservação distribuídas por todo o território e que totalizam cerca de 79 milhões de hectares.

Ainda de acordo com o levantamento do ICMBio, em 2015 a atividade turística nas unidades de conservação federais movimentou mais de R$ 1 bilhão nos municípios próximos e gerou cerca de 43 mil empregos. O valor agregado total, de acordo com o estudo, chegaria a R$1,5 bilhão.

Os turistas gastaram em consumo direto R$ 1,1 bilhão. Os setores mais beneficiados com as despesas foram o de hospedagem, com R$ 267 milhões, de alimentação, com R$ 241 milhões, e de combustível, com R$ 206 milhões.

(Agência Brasil)

Floresta arranca empate com Fortaleza, conquista a Fares Lopes e garante vaga na Copa do Brasil

235 1

Após sair perdendo logo aos 2 minutos de jogo, o Floresta arrancou o empate diante do Fortaleza, no segundo tempo, e garantiu o título da Taça Fares Lopes, na tarde deste sábado, 4, no Castelão. Por ter melhor campanha na competição, o Verdão tinha a vantagem de jogar pela igualdade no placar. No jogo de ida, as equipes também empataram por 1 a 1.

Apesar de ter conquistado o maior objetivo do ano, o acesso para a Série B, o Tricolor do Pici encerra a temporada sem conquistar um título. Além da final da Fares Lopes, o Leão disputou a decisão da Série C, ficando com vice-campeonato após ser derrotado para o CSA.

Com o resultado na Fares Lopes, o Fortaleza vê ameaçada a sua participação na Copa do Brasil 2018. O título do torneio da Federação Cearense de Futebol (FCF) dava vaga direta para a competição nacional. Agora, o Tricolor depende do ranking da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), com poucas chances de alcançar uma vaga.

O Fortaleza abriu o placar aos 2 minutos de jogo, em rápida jogada do ataque tricolor que terminou com gol de Pablo. Após sair em desvantagem, o Floresta se lançou à frente em busca do empate.

Num primeiro momento, o Fortaleza conseguiu controlar o ímpeto do Floresta e seguia criando chances perigosas. Ronny desperdiçou duas oportunidades para matar o jogo, após receber passes dentro da área e finalizar mal.

O Verdão começou a mudar o controle da partida após os 30 minutos da primeira etapa. O time criou várias jogadas e, por pouco, não empatou a partida com Edson Cariús. Apesar disso, a equipe da Vila Manoel Sátiro foi para o vestiário em desvantagem.

No segundo tempo, o Fortaleza voltou melhor que o Floresta, que não conseguia levar perigo à defesa tricolor. Diferente do primeiro tempo, os times criaram poucas chances, e parecia que o Leão conseguiria, de forma tranquila, segurar o resultado. O time comandado por Daniel Frasson ainda chegou a balançar às redes mais uma vez, com Vinicius Baiano, mas o árbitro marcou impedimento.

Até que aos 26 minutos da segunda etapa, Felipinho foi puxado por Bruno Melo dentro da área e árbitro marcou pênalti. Edson Cariús cobrou e deixou tudo igual.

O Tricolor, mesmo com um a menos, passou a atacar mais o Floresta em busca da virada, enquanto o Verdão se segurava. Aos 47 minutos, Jô teve a bola do jogo para dar o título ao Leão, mas desperdiçou. Aos 50 minutos, árbitro apitou o fim da partida, consagrando a equipe da Vila Manoel Sátiro.

(O POVO Online)

Aumento surpresa da gasolina em Fortaleza será questionado no Procon, assegura Chico Lopes

O fortalezense foi surpreendido neste feriadão de Finados com de 5% no preço da gasolina. Segundo o deputado federal Chico Lopes (PCdoB-CE), “os motoristas de Fortaleza foram surpreendidos por mais um aumento da gasolina, sem qualquer justificativa, em percentual muito além da inflação, de forma totalmente desproporcional ao atual momento de crise e de arrocho vivido pelo cidadão comum, que trabalha pelo pão de cada dia e que vêm todos os preços serem influenciados pela alta da gasolina”.

“De menos de R$ 4,00 a gasolina saltou para R$ 4,20 na maioria dos postos de Fortaleza. Isso da noite para o dia e em pleno feriadão, sem anúncio, o que impediu que os motoristas pelo menos fizessem um último abastecimento com preço menor. Também é sinal de prática deliberada de cartel, porque todos os postos aumentaram o preço no mesmo percentual e ao mesmo tempo”, apontou o deputado federal cearense, avaliando que o caso é de quebra do princípio da publicidade e da clareza quanto aos preços cobrados, ferindo o Código de Defesa do Consumidor.

“Vamos debater essa questão com o Procon Fortaleza e com a Comissão de Defesa do Consumidor, da Câmara dos Deputados. Não é possível que o consumidor fique à mercê desse tipo de ação sorrateira e em pleno feriadão, com um novo reajuste da gasolina, somando ao que já havia sido feito recentemente”, disse.

Donald Trump inicia primeira viagem oficial à Ásia neste fim de semana

O presidente dos EUA desembarcará no Japão neste domingo (4) para a primeira etapa da viagem de 12 dias pela Ásia. A visita ao continente é a mais longa de um presidente norte-americano em mais de 25 anos.

Além do Japão, Donald Trump visitará Coreia do Sul, China, Vietnã e Filipinas. O tema mais importante da agenda é tratar da crise causada por repetidos testes nucleares feitos pela Coreia do Norte. Trump conversará com os líderes regionais em busca de uma frente unida para enfrentar a questão.

Em Pequim, o presidente deve pressionar a China, principal aliada dos norte-coreanos, a endurecer a postura contra o país.

No caminho para a Ásia, Trump e a primeira-dama Melania fizeram uma escala no Havaí e visitaram o memorial de Pearl Harbor, construído nas ruínas do navio USS Arizona. A embarcação foi atingida no ataque do Japão à ilha norte-americana no pacífico, durante a segunda guerra mundial.

Durante a estadia na Ásia, Trump pode ainda se reunir com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, em meio aos encontros de cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec), marcada para semana que vem, no Vietnã. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, informou que Washington e Moscou conversam para marcar a reunião.

(Agência Brasil)

Eunício Oliveira deverá fazer aliança eleitoral com Camilo Santana

Em artigo sobre as eleições do próximo ano, o sociólogo e consultor político Luiz Cláudio Ferreira Barbosa avalia o fim da aliança PMDB/PSDB no Ceará e a aproximação Eunício/Camilo. Confira:

O senador Eunício Oliveira (PMDB) já vem mantendo uma aliança administrativa com o governador Camilo Santana (PT) nos últimos 90 dias. Eunício Oliveira é o grande responsável pela vinda de muitos recursos financeiros do Governo Federal para os cofres do Governo do Estado do Ceará. O PMDB cearense deverá fazer parte do novo arco de aliança de Camilo Santana, nas eleições de 2018.

O senador Tasso Jereissati (PSDB) não aceitou a candidatura ao cargo de governador do Estado do Ceará, numa chapa majoritária de agremiações partidárias oposicionistas (PMDB – PSDB – PR – SD – PSD), que na minha avaliação funcionou com uma senha política-eleitoral para o senador peemedebista estreitar a sua aliança administrativa com Camilo. Tasso é adversário do presidente Michel Temer (PMDB). Camilo Santana não é adversário do Governo Federal.

O governador tem feito muitos elogios ao senador Eunício Oliveira em eventos do Governo Estadual, diante dos recursos financeiros do Governo Federal. Camilo deverá convidar Eunício para ocupar a vaga de candidato à reeleição ao Senado na chapa majoritária governista. Os futuros eventos públicos deverão ter como principais estrelas nos palanques: Eunício Oliveira e Camilo Santana.

O fim do bloco oposicionista do PMDB e do PSDB, em solo cearense, já havia acontecido quando o senador Tasso Jereissati saiu da base aliada do presidente Michel Temer. Eunício Oliveira não encontrou resistência da parte do governador Camilo, em relação ao Governo Federal. O senador peemedebista e o governador cearense são aliados na esfera pública da área administrativa, existindo então um enorme potencial de aliança eleitoral.

Luiz Cláudio Ferreira Barbosa, sociólogo e consultor político

Inep diz que não vai recorrer de decisão do Supremo sobre redação do Enem

Após derrota no Supremo Tribunal Federal em ação que pedia que as redações com teor ofensivo aos direitos humanos recebessem nota zero, o Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgaram nota em que comunicam que acatam a decisão do Supremo Tribunal Federal e que não vão recorrer da decisão. “O MEC e o Inep entendem que os participantes do Enem 2017 precisam fazer a prova com segurança jurídica e com a tranquilidade necessária ao Exame”, diz o documento.

Diante da decisão, o MEC e o Inep reforçaram aos participantes do Enem 2017 que não haverá anulação automática da redação que violar os direitos humanos, como previa o edital do Enem. “Continuam em vigor os critérios de correção das cinco competências, conforme estabelecido na Cartilha de Participante – Redação no Enem 2017”, conclui a nota.

A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, decidiu neste sábado (4) manter a decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região que determinou a suspensão da regra prevista no edital do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que diz que quem desrespeitar os direitos humanos na prova de redação pode receber nota zero.

A decisão que suspendeu a norma do edital do Enem, no último dia 26, foi do Tribunal Regional Federal da 1ª Região e atendeu a um pedido da Associação Escola Sem Partido, que alegou que a regra era contrária à liberdade de expressão.

(Agência Brasil)

Sindiônibus alerta para crime da catraca, mas esquece do crime contra a ortografia

Não há dúvidas da melhoria no transporte público em Fortaleza, principalmente após a instalação de ares-condicionados nos ônibus, além das faixas exclusivas, veículos novos e do bilhete único.

As melhorias passaram a atrair usuários da classe média e, acredite, também da classe alta. Como resultado, um passageiro mais exigente e atento a tudo.

É o que nos mostra um estudante do Ensino Médio, leitor do Blog, que aponta três erros em um único aviso no interior da linha Grande Circular.

O primeiro ocorre na falta da crase. O segundo traz tarjeta, palavra derivada de tarja, escrita com “g”. E o terceiro aponta “identas”, ao invés de “isentas”.

(Foto: Leitor do Blog)

Cerca de 19% dos candidatos ao Enem ainda não acessaram o cartão de inscrição

Até a manhã deste sábado (4) cerca de 19% dos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 ainda não haviam acessado o Cartão de Confirmação da Inscrição. A menor porcentagem de acesso curiosamente é entre os ausentes de 2016, que se inscreveram novamente no Enem 2017. Dos 499.958 participantes nessa condição, a porcentagem de acesso é de 74%.

Entre os que já cumpriram essa obrigação, 81% dos participantes do Exame 2017 já tinham acessado seu cartão de confirmação da inscrição. Nesse grupo os chamados “treineiros”, têm a maior taxa de acesso: dos 523.415 inscritos nessa condição, mais de 92% já sabem seu local de prova.

O Enem 2017 será aplicado amanhã (5) e no próximo domingo (12), para 6.731.300 pessoas.

(Agência Brasil)

Quantos projetos há em um governo

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (4), pelo jornalista Érico Firmo:

Henrique Meirelles (PSD) disse que é pré-candidato a presidente da República. Depois da repercussão negativa, explicou que não era bem isso que queria dizer. Por sua assessoria, ele disse que o ministro da Fazenda apenas disse ter consciência de que é pré-candidato. A pergunta foi essa mesma — se ele tinha essa consciência — e ele respondeu exatamente nesse contexto. Ocorre que, se está consciente da pré-candidatura, é porque se reconhece na condição de potencial concorrente.

Mais que isso, ele analisa que há cenário fértil para alguém com o perfil dele. “O campo é favorável, sim. Favorável para o que eu chamo de um candidato reformista no sentido de alguém que toque as reformas e a modernização da economia brasileira como está ocorrendo. Não há dúvida de que hoje essa posição reformista é importante”, afirmou à Veja.

Mais que isso, ele já antevê o que acredita que será a pauta de 2018: a questão da pobreza. “A campanha será pautada na política social. Estou preparado para enfrentar esse discurso populista do PT. Diria até que estou acostumado, pois já tive embates com o PT que eram exatamente iguais quando era presidente do Banco Central no governo Lula”.

Observe-se o que ele diz: 1) Sabe que é candidato; 2) acredita que o cenário é favorável para alguém com perfil dele; 3) Já vislumbra o assunto central da campanha, e diz estar preparado para ele.

A vontade dele de se viabilizar candidato é evidente. Porém, como ele também sabe, não basta querer. Disputar a Presidência é “questão de oportunidade e destino”, Meirelles afirma. “Existem condições políticas e condições eleitorais que precisam ser analisadas”. Ele não é candidato ainda, mas quer e espera ter condições de ser.

E aí a coisa se complica. Meirelles trabalha para estar em condições de ser candidato. A informação surpreendeu e desagradou o Palácio do Planalto. O governo não quer antecipar o debate sucessório. Sabe que isso enfraquece o atual presidente, que não está lá com essas forças todas. De modo que Meirelles não é, em princípio, o candidato de Michel Temer (PMDB).

Ocorre que o maior partido da base aliada, o PSDB, também planeja ter candidato. Provavelmente Geraldo Alckmin, embora João Dória corra por fora. Também não é o candidato do presidente. Os partidos vêm em turbulência na relação e podem até romper.

De modo que dois alicerces do governo planejam candidaturas sem o presidente, cuja impopularidade é um obstáculo. O futuro da administração, desse jeito, é uma incógnita.

Meirelles apresenta seu perfil reformista como vantagem, mas sua fala atrapalha bastante as futuras reformas. Por dois motivos. O primeiro e maior: forças políticas que tenham seus próprios candidatos resistirão a apoiar uma proposta que é a principal plataforma eleitoral de outro postulante. A reforma deixa de ser de Temer, principalmente, e passa a ser de Meirelles. Outra questão passa a ser a própria disposição do ministro para se desgastar, por exemplo, com a mudança nas aposentadorias, em pleno ano eleitoral.

O projeto de Meirelles tenta reeditar, no governo Temer, o que foi Fernando Henrique Cardoso (PSDB) no governo Itamar Franco. Naquela época, o presidente havia assumido após impeachment. FHC comandou uma grande mudança na economia e virou presidente.

Algumas diferenças: Itamar não era impopular como Temer. E, principalmente, não há um Plano Real no horizonte. Em 1994, havia a hiperinflação como espectro a combater. Meirelles controlou a inflação, mas não chegou a ser uma fração do que era há 23 anos. O crescimento retornou, mas ainda tímido. A projeção para 2018 é de 3%. Não é propriamente um índice chinês. Com Dilma Rousseff (PT), o País chegou a ter expansão de 3,9%. Com Luiz Inácio Lula da Silva (PT), chegou a subir 7,6%. O atual governo, é óbvio, tem o mérito da recuperação após grave recessão. Mas dificilmente será o bastante para eleger alguém. No último ano de FHC, o PIB subiu 3,1%. O PSDB perdeu aquela eleição e Lula foi eleito.

Para que tenha chance um candidato ligado ao atual governo ou à equipe econômica, precisa haver uma maciça criação de empregos. É o único drama hoje equivalente minimamente ao que foi a hiperinflação. Em caso de significativa recuperação do nível de emprego, uma candidatura como a de Meirelles poderia se beneficiar. E ele sabe disso. “O que resolve a questão social é a criação de emprego. Desemprego elevado, com 13 milhões de pessoas na rua, como o governo anterior deixou, não há política social que resolva. Então, acho que o tema da campanha vai ser por aí, independentemente de quem seja o candidato de centro ou o do PT”, disse na mesma entrevista.

O problema é que emprego é indicador que demora a se recuperar. Com crescimento do PIB a 3%, dificilmente haverá uma onda capaz de eleger presidente.

STF mantém decisão que proíbe zerar redação que desrespeitar direitos humanos

A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, decidiu neste sábado (4) manter a decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região que determinou a suspensão da regra prevista no edital do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que diz que quem desrespeitar os direitos humanos na prova de redação pode receber nota zero.

O tema foi levado ao Supremo em recursos da Advocacia-Geral da União (AGU) e da Procuradoria-Geral da República (PGR).

A decisão que suspendeu a norma do edital do Enem, no último dia 26, foi do Tribunal Regional Federal da 1ª Região e atendeu a um pedido da Associação Escola Sem Partido, que alega que a regra era contrária à liberdade de expressão. O Inep só foi notificado da decisão judicial na quarta-feira (1), e aguardava o inteiro teor do acórdão.

O Enem será realizado amanhã (5) e no dia 12, em todo o país.

(Agência Brasil)

Ex-ministra de Dilma agora é vendedora de cosméticos

255 2

Erenice Guerra, a amicíssima de Dilma Rousseff que deixou o governo petista afogada em denúncias, agora atua como vendedora de uma multinacional de cosméticos, a Jeunesse.  É bem difícil enxergá-la nessa condição.

A informação é da Coluna Radar, da Veja Online.

A ex-ministra foi demitida após VEJA publicar duas denúncias de que seu filho, Israel Guerra, estava ligado um suposto esquema de cobrança para intermediar projetos privados.

Ministro da Justiça deve explicações

Editorial do O POVO deste sábado (4) avalia posicionamento do ministro Torquato Jardim, que afirmou que o Rio de Janeiro não controla mais a Polícia Militar. Confira:

O ministro da Justiça, Torquato Jardim, que vinha mantendo postura discreta desde a sua polêmica nomeação pelo presidente Michel Temer, irrompeu de maneira tempestuosa no noticiário. Declarou, sem meias palavras, que o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), e seu secretário da Segurança, Roberto Sá, não controlam a Polícia Militar; que o comando da corporação é fruto de “acerto” com deputados estaduais e os comandantes de batalhão são “sócios” do crime organizado.

Mesmo sob duras críticas dos atingidos, o ministro não recuou, afirmando que já esperava a reação. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), deputado eleito pelo Rio de Janeiro, também entrou na contenda, afirmando que o ministro agiu “de forma infantil e irresponsável”, pois teria “jogado fora” o trabalho iniciado pela força-tarefa da segurança que está agindo no Rio. Pode-se entender, portanto, que a força-tarefa estaria investigando casos de corrupção envolvendo PMs, e o ministro teria “falado demais”, na expressão de Rodrigo Maia, atrapalhado as investigações.

Depois da explosão inicial dos que se sentiram ofendidos, as críticas ao ministros arrefeceram um pouco, porém, o mal-estar entre os aliados do presidente continua.

Agora, o caso está assim: Rodrigo Maia quer que Michel Temer venha a público dar explicações; Pezão, do mesmo partido de Temer (PMDB), interpelou judicialmente o ministro da Justiça no Supremo Tribunal Federal (STF) e a Comissão de Segurança da Câmara pretende convocar o ministro para ouvi-lo sobre o assunto.

Mas, a despeito de qualquer outra consideração, o ministro da Justiça deve explicações à sociedade. Fosse um comentarista a levantar tais suspeitas — de fato, a probabilidade de haver corrupção em setores da PM é bastante alta — seria aceitável. Mas, uma coisa é a especulação que um analista pode fazer da situação, outra, bem diferente, é o ministro da Justiça fazer acusação de tal gravidade, como se fosse mero comentarista.

Portanto, o que se espera agora é que ele apresente as provas do que afirmou e informe quais as providências estão sendo tomadas para resolver o problema.