Blog do Eliomar

Últimos posts

Tucanos acreditam que Tasso quer favorecer Ciro Gomes na briga que trava com Aécio Neves

405 2

Aécio Neves deu para atirar na cara de ex-aliados o que fez por eles. O mineiro disse ao agora desafeto Tasso Jereissati que este só chegou à vice-presidência do PSDB por obra e mãos dele, Aécio. É o que informa a Coluna Radar, da Veja Online.

No PSDB paulista, aliás, cresce a desconfiança de que os últimos movimentos de Tasso (desde o desastrado programa eleitoral) sejam uma estratégia para implodir o partido e favorecer o conterrâneo Ciro Gomes em 2018. Não seria a primeira vez.

VAMOS NÓS – Você acredita na ideia de que Tasso pode voltar a dialogar politicamente com Ciro Gomes? Bem, se há uma reaproximação política do governador Camilo Santana (PT), via Cid Gomes, com o senador Eunício Oliveira (PMDB)…

VAMOS NÓS 2 – Correligionários do senador Tasso Jereissati se mostraram indignados com as insinuações dos tucanos paulistas e negam, peremptoriamente, qualquer reaproximação com Ciro, principalmente após 2010, quando alegam que o ex-ministro traiu Tasso, após Ciro ter votado em Eunício Oliveira e José Pimentel para o Senado.

TJCE alerta: Prazo para solicitar conciliação em precatórios do Estado termina nesta segunda-feira

O prazo para manifestar interesse em conciliar precatórios do Estado termina na próxima segunda-feira (06/11). São 1.189 credores aptos a participar, cujas requisições foram apresentadas até 1º de julho deste ano. A informação é da assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Ceará.

O pedido deve ser feito pelo advogado, por meio de petição, nos autos, ou pela parte diretamente na Assessoria de Precatórios do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE). É preciso apresentar documentos de identificação, sendo RG e CPF para pessoas físicas e CNPJ para as empresas, além dos dados bancários e do endereço atualizado.

Nos precatórios em que houver mais de um credor, é necessária a adesão de cada um deles. Poderão ainda optar pela participação nas audiências aqueles credores que não fizeram opção nos editais anteriores, bem como os que tiveram o pleito indeferido, desde que tenham solucionado a causa do indeferimento anterior.

Após o prazo para manifestação do desejo em conciliar, a Assessoria de Precatórios organizará a pauta de audiências, observando a ordem cronológica das requisições. As sessões relativas ao Edital nº 2/2017 devem ocorrer na Semana Nacional da Conciliação (27/11 a 1º/12). Nos meses de agosto e setembro, foram realizadas as conciliações do Edital nº 1/2017, que totalizaram mais de R$ 10 milhões em acordos com o Estado.

Precatório

Precatório é uma requisição de pagamento feita por um juiz à Presidência do Tribunal (de Justiça, do Trabalho ou Regional Federal), quando ocorre condenação do ente público (União, estados e municípios e respectivas autarquias, empresas públicas etc) em obrigação de pagar e que não cabe mais recurso.

Desafios para formação educacional de surdos no Brasil é o tema da redação do Enem 2017

O tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano é Desafios para Formação Educacional de Surdos no Brasil. A informação foi divulgada agora há pouco pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em sua conta no Twitter.

Pela primeira vez, o Enem terá videoprovas em Linguagem Brasileira de Sinais (Libras). A prova em Libras é um recurso que facilita a realização do exame para surdos e pessoas com deficiência auditiva que, por terem sido alfabetizados na linguagem dos sinais, têm mais dificuldade para realizar provas escritas.

Na Videoprova Traduzida em Libras, as questões e as opções de respostas são apresentadas em Língua Brasileira de Sinais por meio de um vídeo. O recurso terá o mesmo número, ordem e valor de questões da prova regular, além da garantia de qualidade e normas de segurança máxima de todas as provas do Enem. Só não serão integralmente traduzidas para Libras as questões de Língua Estrangeira Moderna. Nessas questões, somente os trechos originalmente em português serão traduzidos para Libras.

O tema da redação deste ano segue a tendência das últimas edições do Enem, que costuma abordar temas sociais. No ano passado, o tema foi Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil. Violência contra a mulher, publicidade infantil, lei seca e movimento imigratório também foram abordados nos últimos anos.

Hoje (5) é o primeiro dia de prova do exame, e também terá provas de linguagens e ciências humanas. Os candidatos têm cinco horas e 30 minutos para concluir a prova. O exame começou a ser aplicado às 13h30min, no horário de Brasília, para cerca de 6,7 milhões de candidatos em todo o país.

(Agência Brasil)

Seminário Conexão Terceiro Setor com inscrições abertas a partir desta segunda

Será realizado na Unifor, entre os dias 6 e 8 de dezembro de 2017, o Seminário Conexão Terceiro Setor, evento que reunirá gestores e profissionais de entidades sem fins lucrativos – além de representantes do segmento empresarial e do poder público – para discutir conjuntamente desafios de gestão e estratégias de fortalecimento e profissionalização das Organizações da Sociedade Civil (OSCs) visando uma maior participação na implementação de políticas públicas.

O Seminário contará com palestras, painéis e uma área de exposição de estandes. Serão debatidos temas como o Marco Regulatório das OSCs, Alterações da legislação trabalhista no Terceiro Setor, Captação de recursos e incentivos fiscais, Investimento privado nas causas sociais, Transparência e contabilidade, entre outros.

O evento é totalmente gratuito e as inscrições podem ser feitas a partir desta segunda-feira (6) no siteseccontabil.com.br/seminario3setor. A iniciativa é da Fundação Raimundo Fagner e S&C Assessoria Contábil com apoio de parceiros.

SERVIÇO

Seminário Conexão Terceiro Setor

Data: 6 a 8 de dezembro de 2017 (manhã e tarde)

Local: Unifor – Fortaleza/CE

Inscrições: As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site seccontabil.com.br/seminario3setor, onde é possível acessar a programação.

Informações: (85) 3253-6623/3253-6309

Igualdade social e o fim do ensino privado

Em artigo no O POVO deste domingo (5), o professor da UFC e sociólogo André Haguette defende o capital cultural como combate à desigualdade social no Brasil. Confira:

Nas últimas semanas, este jornal publicou vários excelentes artigos apontando a urgência de diminuir a desigualdade no Brasil e isso por vários motivos que vão do necessário aumento da produtividade do trabalhador à diminuição da violência e à excelência ética. Quanto menor a desigualdade social de um país, maiores a produção de riqueza e a distribuição de renda e melhor a qualidade de vida. Quanto a isso, todos estão de acordo. Mas nenhum desses artigos se aventurou a explicar o que fazer para diminuir a desigualdade social entre nós. Vou tentar apontar caminhos.

Em primeiro lugar, dar continuidade às iniciativas tomadas por FHC e ampliadas pelos governos de Lula: contínuo aumento real do salário mínimo e transferência de renda via diversos programas sociais, desde que não haja transferência maior para os ricos por meio de subsídios, perdão de dívidas, Refis e “coisinhas” do gênero.

Em segundo, empreender uma reforma fiscal realmente justa e redistributiva, isto é, progressiva, que incida mais sobre o patrimônio e a renda do que sobre o consumo cotidiano, embora se tributasse fortemente o consumo de luxo. Todos os países hoje desenvolvidos seguem esse caminho fiscal (menos os Estados Unidos que, como é notório, são fortemente desiguais e racistas).

O terceiro caminho é mais arrochado e vai parecer ao leitor um “absurdo”, mas foi seguido por vários países como a Finlândia e o Canadá (Québec), entre outros. Sabe-se que a melhor forma de aumentar a renda e promover uma mobilidade social ascendente é através do “capital cultural”. Quem não tem capital cultural (educação, escolaridade) é candidato a uma vida precária e vulnerável; pelo contrário, quem desfruta de uma boa educação formal é candidato a ser “alguém” na vida. As classes altas e médias sabem muito bem disso: construíram redes de escolas particulares para seus filhos, abandonando a escola pública à sua própria sorte. A mais efetiva maneira de aumentar o grau de igualdade social é fornecer aos filhos de todas as classes sociais uma mesma escola de qualidade. Daí a necessidade de extinguir o ensino particular e universalizar o ensino público para todos. Com a chegada das classes com alto capital cultural, a escola pública elevaria seu padrão de qualidade, assim como a melhor rede universitária é a pública.

Uma quarta política, essa praticada por um grande número de países, consiste também na eliminação de nosso duplo sistema de saúde: extinção do atendimento médico privado para a consolidação do sistema público (SUS) para todos sem exceção, assim como o Canadá e a Inglaterra fizeram com excelência.

Hoje há uma febre nas classes médias e altas para fugir de um Brasil pobre, em crise e violento. O que os países de destino pretendido têm a oferecer, senão uma sociedade com igualdade social invejável, onde é bom viver? Por que não construir uma sociedade semelhante aqui, no Brasil? Essa sociedade poderá ser alcançada se dotarmos os nossos concidadãos de um sistema fiscal progressivo, de um mesmo capital cultural, via escolarização única, e um sistema de saúde público também único que atenda a todos igualmente. Defender esses caminhos é sonhar acordado? Não, é querer percorrer caminhos semelhantes àqueles que outros países trilharam com sucesso.

Luizianne Lins: Código Penal beneficia agressor da violência sexual

A deputada federal Luizianne Lins (PT) apresentou, na Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei n° 8989/2017, que propõe criar um novo artigo do Código Penal para tipificar casos de violência sexual contra mulheres ocorridos em locais públicos ou de grande aglomeração de pessoas.

O PL visa acabar com as lacunas do Código Penal que permitam interpretações da Lei em benefício do agressor.

Essa proposta foi pensada após diversos crimes sexuais cometidos contra mulheres em locais públicos serem divulgados pela imprensa, como o caso do Diego Ferreira de Morais, preso duas vezes na mesma semana pela prática de crimes sexuais contra mulheres dentro de ônibus na Av. Paulista, em São Paulo.

(Facebook de Luizianne Lins)

Juazeiro ignora cláusulas contratuais que sustentam o sistema de transportes

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (5):

Nossos governantes, com honrosas exceções, são reincidentes em fazer do setor de transportes um laboratório de políticas malfadadas em nome do povo. Logo numa área essencial, prevista na Constituição como responsabilidade dos governos e que só atenderá da melhor maneira aos cidadãos se for bem organizada e inserida em regras claras e públicas.

Aqui e acolá, emerge a irresponsabilidade. É o caso de Juazeiro do Norte, uma importante cidade que nasceu e cresceu de forma desorganizada e que vem, na última década, buscando um padrão adequado de desenvolvimento urbano.

Até recentemente, Juazeiro era conhecida pelo péssimo serviço de transporte público. Havia duas empresas que mantinham ônibus em péssimas condições, desconfortáveis, inseguros e poluidores. A idade média superava os 15 anos. Três anos é o tempo considerado ideal.

Em 2016, a Prefeitura da cidade decidiu, enfim, fazer licitação para instalar um serviço de transporte adequado. Tudo como manda o figurino, incluindo as audiências públicas. Porém, o setor anda combalido e os empresários do ramo reticentes. Resultado: somente uma empresa topou concorrer.

A referida empresa (Via Metro) já é conhecida por operar no sistema metropolitano do Cariri e o de Fortaleza. Lá, começou a atuar com frota de idade média abaixo dos 3 anos, sistema eletrônico de pagamento, aplicativo para permitir a localização e tempo de chegada. Ou seja, um padrão igual ao de qualquer cidade que tenha serviço de referência.

Mas o populismo sempre vinga. Após seguidos mandatos federais, Arnon Bezerra assumiu a Prefeitura. Em 2017, o contrato público completou um ano e a cláusula de reajuste foi solenemente ignorada. Não é uma novidade. É usual os gestores não respeitarem os contratos de concessão.

Isso mesmo: o poder público, que antes o implorou para fazer o investidor fazer o investimento passa a ignorar as cláusulas contratuais que sustentam o sistema. Qual a ideia subjacente? Politizar uma questão técnica e fazer com que os concessionários entrem na roda viva da dependência em relação ao plantonista do poder. Ora, ora! O País já sabe muito bem onde isso costuma acabar. Hoje, já se considera a rescisão do contrato. Sabem quem vai pagar a conta? Claro, os de sempre. Tudo o que foi conquistado vai implodir e o caos urbano vai se impor. Creiam, senhores. A concessão desenfreada de direitos e gratuidades que se junta ao desrespeito dos contratos é a desgraça que destrói um dos serviços públicos mais importantes para a vida dos cidadãos.

Aguardem: as vans e lotações vão se fazer valer na terra de Cícero Romão Batista.

Aumento de 4,5% no gás de cozinha passa a valer hoje

As refinarias aumentaram a partir da 0h de hoje (5) os preços do gás de cozinha para uso residencial em botijões de até 13 kg (GLP P-13). O aumento é de 4,5%, em média.

Segundo a Petrobras, que anunciou o aumento na sexta-feira (3), a causa principal do reajuste é a “alta das cotações do produto nos mercados internacionais, influenciada pela conjuntura externa e pela proximidade do inverno no hemisfério norte”. Ainda conforme a companhia, a variação do câmbio também contribuiu para a necessidade do aumento.

O valor de elevação anunciado é o aplicado sobre os preços praticados nas refinarias, sem incidência de tributos. Como a legislação brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, o preço para o consumidor dependerá de cada distribuidora e revendedora.

Se o reajuste for repassado integralmente ao consumidor final, o botijão pode chegar a aumentar em média 2%, uma alta de R$ 1,21, segundo os cálculos da companhia – mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos.

(Agência Brasil)

Mais de 6,7 milhões fazem primeira prova do Enem hoje; conheça as regras

Hoje (5) é o primeiro dia de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os 6,73 milhões de candidatos inscritos vão fazer provas de redação, linguagens (língua portuguesa e língua estrangeira) e ciências humanas (geografia, história, filosofia, sociologia e conhecimentos gerais).

O exame começa a ser aplicado às 13h30, no horário de Brasília, e os candidatos terão cinco horas e 30 minutos para concluir a prova. Além da redação, a prova terá 90 questões objetivas.

Foi resolvida ontem (4) a disputa jurídica em relação à redação: decisão da ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), definiu a suspensão da regra que proibia o desrespeito aos direitos humanos na redação. Assim, ainda que o texto seja ofensivo aos direitos humanos, ele não receberá nota zero. O Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) decidiram acatar a decisão do STF e não vão recorrer, em nome da segurança jurídica e da tranquilidade de quem vai fazer o exame.

A segunda prova será no dia 12 de novembro, com questões de matemática e ciências da natureza. Este é o primeiro ano que o Enem é realizado em dois domingos consecutivos. Até o ano passado, as provas eram realizadas em um único fim de semana, sábado e domingo.

Os portões abrem às 12h e fecham às 13h, no horário de Brasília. Com o horário de verão e diferenças de fusos horários, os estudantes precisam ficar atentos, pois vários estados estão com a hora local diferente da capital federal. A aplicação do exame começa 30 minutos após o fechamento dos portões.

Para fazer a prova é fundamental apresentar documento de identidade original com foto e usar caneta esferográfica de tinta preta, fabricada com material transparente. Outra cor de tinta impossibilita a leitura óptica do cartão de respostas.

É proibido o uso de celular ou qualquer aparelho eletrônico durante as provas. Os aparelhos terão de ser colocados em um porta-objetos com lacre, que deverá ficar embaixo da cadeira até o fim das provas.

O aluno poderá deixar o local após duas horas do início da prova. Só é possível sair com o caderno de questões nos últimos 30 minutos antes do fim das provas. Caso descumpra qualquer uma dessas regras, será eliminado.

(Agência Brasil)

Centenário da Revolução Russa é oportunidade para esquerda voltar à fonte original do socialismo e do marxismo

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (5):

O centenário da Revolução Russa de 1917 é uma ocasião propícia para esquerda fazer uma autocrítica de seu legado histórico e voltar a beber na fonte original do socialismo e do marxismo, reconhecendo o “aborto histórico” da experiência soviética, tratada, equivocadamente, como “socialista”. Tomou-se o gato por lebre.

Mesmo assim, foi um evento que proporcionou mudanças marcantes no mundo, pois, graças a ele, os governos burgueses, temerosos de revolução semelhante em seus países, se viram obrigados a fazer concessões aos trabalhadores, incorporando, em suas constituições, direitos sociais e legislações trabalhistas, então inexistentes. Assim como a reconhecer a organização autônoma dos trabalhadores, através de sindicatos, associações e partidos próprios.

Frise-se, porém, que, sem a participação da União Soviética, provavelmente Hitler teria sido o vencedor da II Guerra Mundial. O fato é que, depois de 74 anos, em 1991, o projeto desmoronou, melancolicamente, como um castelo de cartas, quase sem resistência.

Por que a classe operária não foi em seu socorro, tanto na União Soviética, como no Exterior? A raiz estaria na sua não identificação com o sistema criado pela ação voluntarista e equivocada de Lênin, em 1917, de tentar realizar um atalho na História e construir o socialismo num país agrário, semifeudal e que nunca conhecera a democracia política. Sua iniciativa negou as premissas do socialismo científico, preconizado por Marx. Para este, o socialismo, seria um rebento saído das entranhas do capitalismo desenvolvido, quando este tivesse esgotado todas as suas potencialidades produtivas.

América/MG vence Guarani e retoma vice-liderança do Vozão

Com um gol do ataque do Ceará, em 2014, o América Mineiro venceu o Guarani, por 1 a 0, nesse sábado (4), em pleno estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, e reassumiu a vice-liderança da Série B do Campeonato Brasileiro, no complemento da 33ª rodada. Aos 14 minutos do primeiro tempo, Felipe Amorim passou pela defesa paulista e tocou para Bill aproveitar a primeira oportunidade de gol do time mineiro.

Com o resultado, o América passa a ter 96,7% de chances de acesso à Série A, segundo o site Chance de Gol, contra 88,7% do Ceará, 79% do Paraná e 32,3% do Oeste, esse último a três pontos do Vozão e o quinto colocado na tabela de classificação. De acordo com o mesmo site, o líder Internacional possui 99,3% de chances de retornar à elite do futebol brasileiro.

Na terça-feira (7), no Castelão, o Ceará recebe o desesperado Guarani de Campinas, que está com 28,8% de chances de rebaixamento. O time paulista possui o segundo pior aproveitamento como visitante na competição, com apenas duas vitórias em 16 jogos, além de 10 derrotas e quatro empates.

Rússia suspende compra de carne do Brasil, mas ministro diz que procedimento é normal

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, afirmou nesse sábado (4) que a suspensão temporária das importações de carne bovina do frigorífico Mataboi, de Goiás, anunciada ontem pela Rússia, é uma medida normal. O ministro disse que, até o momento, as informações que detém são somente aquelas repercutidas pela mídia e que a medida é “coisa é do dia a dia”.

Segundo Maggi, o aumento de controle de qualidade pela Rússia não têm ligação com a Operação Carne Fraca. Ele disse que a pasta ainda não recebeu um comunicado oficial.

“Tudo que eu sei é pela imprensa. É absolutamente normal acontecer esse tipo de evento, com suspensão temporária ou, às vezes, mais prolongada, quando o importador detecta uma inconformidade”, disse o ministro, em áudio distribuído à imprensa.

O Serviço Federal de Vigilância Sanitária e Veterinária da Rússia anunciou ontem a suspensão temporária das importações e disse que a carne estava fora do padrão sanitário do controle adotado por aquele país. As autoridades russas também impuseram controles mais rígidos a outros cinco frigoríficos brasileiros: JBS, Aurora, Frigol, Irmãos Gonçalves (Frigon) e Frigoestrela.

“Vamos fazer a checagem, vamos comunicar aos frigoríficos que foram citados e eles deverão tomar as medidas cabíveis para fazer a correção”, completou.

A assessoria do frigorífico JBS disse que não vai se manifestar sobre o assunto.

(Agência Brasil)

Turismo em parques nacionais deve crescer 11% neste ano

O número de visitantes em parques nacionais deve aumentar 11,5% neste ano. A estimativa é do instituto Euromonitor International, organização voltada para análises de mercado. A projeção é que, em 2018, 8,6 milhões de pessoas visitem as unidades de conservação.

Se for concretizada, a estimativa vai mostrar um movimento de ampliação da visibilidade desse destino entre os turistas. Segundo levantamento do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o número foi de 8 milhões de visitantes em 2015, sendo 7,3 milhões em 2014, 6,4 milhões em 2013 e 5,7 milhões em 2012.

Os parque nacional mais visitado naquele ano foi o da Tujuca, com 2,9 milhões de visitantes. Jericoacoara teve 780 mil visitantes. Hoje há 72 parques nacionais, com 22% das 324 unidades de conservação distribuídas por todo o território e que totalizam cerca de 79 milhões de hectares.

Ainda de acordo com o levantamento do ICMBio, em 2015 a atividade turística nas unidades de conservação federais movimentou mais de R$ 1 bilhão nos municípios próximos e gerou cerca de 43 mil empregos. O valor agregado total, de acordo com o estudo, chegaria a R$1,5 bilhão.

Os turistas gastaram em consumo direto R$ 1,1 bilhão. Os setores mais beneficiados com as despesas foram o de hospedagem, com R$ 267 milhões, de alimentação, com R$ 241 milhões, e de combustível, com R$ 206 milhões.

(Agência Brasil)

Floresta arranca empate com Fortaleza, conquista a Fares Lopes e garante vaga na Copa do Brasil

235 1

Após sair perdendo logo aos 2 minutos de jogo, o Floresta arrancou o empate diante do Fortaleza, no segundo tempo, e garantiu o título da Taça Fares Lopes, na tarde deste sábado, 4, no Castelão. Por ter melhor campanha na competição, o Verdão tinha a vantagem de jogar pela igualdade no placar. No jogo de ida, as equipes também empataram por 1 a 1.

Apesar de ter conquistado o maior objetivo do ano, o acesso para a Série B, o Tricolor do Pici encerra a temporada sem conquistar um título. Além da final da Fares Lopes, o Leão disputou a decisão da Série C, ficando com vice-campeonato após ser derrotado para o CSA.

Com o resultado na Fares Lopes, o Fortaleza vê ameaçada a sua participação na Copa do Brasil 2018. O título do torneio da Federação Cearense de Futebol (FCF) dava vaga direta para a competição nacional. Agora, o Tricolor depende do ranking da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), com poucas chances de alcançar uma vaga.

O Fortaleza abriu o placar aos 2 minutos de jogo, em rápida jogada do ataque tricolor que terminou com gol de Pablo. Após sair em desvantagem, o Floresta se lançou à frente em busca do empate.

Num primeiro momento, o Fortaleza conseguiu controlar o ímpeto do Floresta e seguia criando chances perigosas. Ronny desperdiçou duas oportunidades para matar o jogo, após receber passes dentro da área e finalizar mal.

O Verdão começou a mudar o controle da partida após os 30 minutos da primeira etapa. O time criou várias jogadas e, por pouco, não empatou a partida com Edson Cariús. Apesar disso, a equipe da Vila Manoel Sátiro foi para o vestiário em desvantagem.

No segundo tempo, o Fortaleza voltou melhor que o Floresta, que não conseguia levar perigo à defesa tricolor. Diferente do primeiro tempo, os times criaram poucas chances, e parecia que o Leão conseguiria, de forma tranquila, segurar o resultado. O time comandado por Daniel Frasson ainda chegou a balançar às redes mais uma vez, com Vinicius Baiano, mas o árbitro marcou impedimento.

Até que aos 26 minutos da segunda etapa, Felipinho foi puxado por Bruno Melo dentro da área e árbitro marcou pênalti. Edson Cariús cobrou e deixou tudo igual.

O Tricolor, mesmo com um a menos, passou a atacar mais o Floresta em busca da virada, enquanto o Verdão se segurava. Aos 47 minutos, Jô teve a bola do jogo para dar o título ao Leão, mas desperdiçou. Aos 50 minutos, árbitro apitou o fim da partida, consagrando a equipe da Vila Manoel Sátiro.

(O POVO Online)

Aumento surpresa da gasolina em Fortaleza será questionado no Procon, assegura Chico Lopes

O fortalezense foi surpreendido neste feriadão de Finados com de 5% no preço da gasolina. Segundo o deputado federal Chico Lopes (PCdoB-CE), “os motoristas de Fortaleza foram surpreendidos por mais um aumento da gasolina, sem qualquer justificativa, em percentual muito além da inflação, de forma totalmente desproporcional ao atual momento de crise e de arrocho vivido pelo cidadão comum, que trabalha pelo pão de cada dia e que vêm todos os preços serem influenciados pela alta da gasolina”.

“De menos de R$ 4,00 a gasolina saltou para R$ 4,20 na maioria dos postos de Fortaleza. Isso da noite para o dia e em pleno feriadão, sem anúncio, o que impediu que os motoristas pelo menos fizessem um último abastecimento com preço menor. Também é sinal de prática deliberada de cartel, porque todos os postos aumentaram o preço no mesmo percentual e ao mesmo tempo”, apontou o deputado federal cearense, avaliando que o caso é de quebra do princípio da publicidade e da clareza quanto aos preços cobrados, ferindo o Código de Defesa do Consumidor.

“Vamos debater essa questão com o Procon Fortaleza e com a Comissão de Defesa do Consumidor, da Câmara dos Deputados. Não é possível que o consumidor fique à mercê desse tipo de ação sorrateira e em pleno feriadão, com um novo reajuste da gasolina, somando ao que já havia sido feito recentemente”, disse.