Blog do Eliomar

Últimos posts

Presença de Capitão Wagner com Collor e Eurípedes causa surpresa

316 11

 

A presença de Capitão Wagner, que até pouco tempo se dizia “não-político”, ao lado do ex-presidente Fernando Collor de Melo, cassado por corrupção, e do presidente nacional do Pros, Eurípedes Junior, que em outubro último chegou a ter mandado de prisão temporária expedido na Operação Partialis, que apurava desvios na Prefeitura de Marabá (PA), gerou desconforto entre apoiadores.

A presença de Wagner foi amplamente destacado por Eurípedes, por meio do Facebook, mas, na página do deputado federal eleito pelo Ceará, sequer uma linha.

Collor, inclusive, acena para Renan Calheiros (MDB-AL), na disputa à presidência do Senado.

(Foto: Facebook)

Baixa resposta do quadro de reserva faz PM adiar apresentação para sexta-feira

139 4

Pouco menos de 300 dos 1.200 policiais do quadro de reserva da Polícia Militar atenderam à convocação para a reintegração dos ativos da corporação, de acordo com dados até esta quarta-feira (16).

Diante da baixa resposta, o Comando Geral da PM estendeu para a sexta-feira (18) o prazo final da apresentação dos convocados, que receberão gratificação extra entre R$ 950 a R$ 1,3 mil.

Segundo a PM, a dificuldade maior estaria no contato com o quadro de reserva, pois muitos estariam em sítios no interior do Estado, além de não possuírem WhatsApp ou mesmo aparelho celular.

(Foto: Reprodução)

Inep vai eliminar mais de 42 mil caixas de avaliações do Saeb e Enem

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) vai eliminar 42.429 caixas de documentos relativos ao Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2012 a 2015. A autorização foi dada pelo Arquivo Nacional e publicada hoje (16) no Diário Oficial da União.

Os documentos incluem folhas de respostas, controle de frequência, questionários socioeconômicos, cadernos de provas e formulários de controle de aplicação, que reúnem fichas de ocorrências e atas de sala, entre outras informações.

Segundo o Inep, os arquivos foram considerados sem valor para a guarda permanente pelo Arquivo Nacional. Quem quiser ter acesso aos documentos e solicitar cópias pode fazê-lo no período de 30 dias. A relação dos arquivos que serão eliminados está disponível no portal do Inep.

De acordo com a autarquia, o objetivo da eliminação é otimizar o uso do espaço físico e promover economia com a diminuição de custos operacionais. “A medida também assegura a manutenção e a preservação de conjuntos documentais relevantes”, diz em nota.

Faziam parte do Saeb nos anos considerados, a Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA), Avaliação Nacional da Educação Básica (Aneb) e a Avaliação Nacional do Rendimento Escolar (Anresc), conhecida como Prova Brasil. Em 2019, as siglas ANA, Aneb e Anresc deixarão de existir e todas as avaliações passarão a ser identificadas pelo nome Saeb. A educação infantil passará a ser também avaliada.

O Saeb é aplicado em todo o território nacional com o objetivo de medir a qualidade do ensino nas escolas brasileiras. Já o Enem é usado para o ingresso no ensino superior e é preciso inscrever-se para participar do exame.

(Agência Brasil)

Mais uma lei que ninguém pediu

115 1

Em artigo no O POVO desta quarta-feira (16), o presidente da Abrasel no Ceará, Rodolphe Trindade, critica projetos de lei que não colaboram com a economia ou no conforto do consumidor. Confira:

No último dia 2 de janeiro, o deputado estadual David Durand (PRB) apresentou uma lei que foi aprovada na Assembleia Legislativa do Ceará. Ela obriga, entre outras coisas, todas as empresas com atividade no Ceará, incluindo bares e restaurantes, a mostrarem nos cardápios, nas gôndolas e nas etiquetas de preços, os impostos de cada produto oferecido. A multa por descumprimento é pesada: R$ 127,82 por produto que não dispor a informação.

O benefício dessa lei é zero, afinal, o que ganha o consumidor em saber antecipadamente quanto o poder público encarece o produto? Qual o benefício desta lei ao cidadão? Essa nova lei que apareceu é esdrúxula!

Qual a problemática? Na hora que eu quiser comprar um produto de um pequeno artesão ou um pequeno produtor não será possível. Eles não dispõem dessas informações em seus produtos, afinal, esta lei gera uma demanda de informações em cadeia.

E se eu quiser fazer o meu cardápio do dia com produtos frescos que eu comprei no mercado na mesma manhã, será impossível! O contador terá que rastrear todos os impostos dos produtos que compõem o prato oferecido. Comida a quilo, no self-service? Uma colherada de arroz e duas de feijão têm 2% de ICMS, 4% de ISS, 8% do Simples…

Isso sem contar o tamanho do cardápio! Certos cardápios de restaurante vão virar uma “Bíblia”. A lei não traz nada de bom, só mais burocracia. Aliás, já existe a lei federal nº 12.741/12, de 8 de dezembro de 2012, que obriga a se colocar, no cupom fiscal, o cálculo de impostos.

Infelizmente, o Legislativo insiste em fazer leis sem antes dialogar com aqueles que serão afetados. Afinal, somos parte da sociedade como um todo e nós podemos, juntos, elaborar leis que sejam apresentadas como grandes avanços societários.

E outra questão é: quem vai fiscalizar? Todos nós sabemos que a fiscalização não chega à grande maioria do Estado e o poder público não tem braços para isto.

Portanto, essa é mais uma lei que ninguém pediu e só irá gerar mais custos e muito trabalho desnecessário. Ela pode acarretar, ainda, em diminuição de empregos e fechamento de empresas.

Rodolphe Trindade

Presidente da Abrasel no Ceará

Ministério do Meio Ambiente suspende contratos por 90 dias

Pelos próximos 90 dias, o Ministério do Meio Ambiente suspendeu todos os convênios e parcerias da pasta e autarquias com organizações não governamentais. O órgão determinou um levantamento das despesas.

A medida envolve parcerias e contratos dos distintos fundos do ministério com o terceiro setor. A ordem se estende aos convênios, acordos de cooperação, atos e projetos.

Em nota, divulgada pelo Ministério do Meio Ambiente, a assessoria informa que ocorrerá avaliação e ajustes dos contratos que “tenham condições de ter continuidade”.

“O diagnóstico permitirá a avaliação daqueles que tenham condições de ter continuidade, bem como dos que eventualmente mereçam reparos. A Medida Provisória 870, que estabelece a organização básica dos órgãos da Presidência da República e dos ministérios, também tornou necessário esse reexame.”

O texto informa também que na análise “serão examinados condições, prazos e volumes dos acordos pactuados”.

(Agência Brasil)

Polícia apreende 700 quilos de explosivo no Bom Jardim

Operação da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), realizada na manhã desta quarta-feira, 16, resultou na apreensão de aproximadamente 700 kg de explosivos, no Bom Jardim, em Fortaleza. O material provavelmente seria utilizado em novos atentados criminosos na Capital e Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

As primeiras análises da apreensão dão conta de 23 caixas de emulsão explosiva e rolos de cordel detonante. A ocorrência ainda está em andamento.

As informações foram confirmadas pelo titular da especializada, delegado Harley Filho. As investigações da Polícia Civil apontam que os explosivos agora recuperados seriam o restante da carga de 5 toneladas que foi apreendida pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no último sábado, no bairro Jangurussu. O material havia sido roubado três semanas antes em Aquiraz.

(O POVO Online / Foto Gustavo Simão – Especial para O POVO)

Delegados se colocam à disposição do Estado contra o crime organizado

307 3

Cerca de 400 policiais, dentre eles delegados da Polícia Civil cearense, em processo de aposentadoria, se colocaram à disposição do Estado para enfrentar a onda de ataques que ocorre desde o início do ano. Diante da grave situação que amedronta os cidadãos, a Associação dos Delegados de Polícia Civil do Estado do Ceará (Adepol/CE) protocolará um ofício, ao Palácio da Abolição, a fim de formalizar a vontade das autoridades em retomar os postos nas atividades de investigação à cargo da Polícia Judiciária.

Alguns delegados estiveram reunidos na sede da Adepol, onde se prontificaram a retornar às atividades investigativas até que a paz seja restabelecida no Ceará. Segundo os delegados, apesar do reforço das forças federais e policiais militares de outros estados para intensificar o policiamento ostensivo, há necessidade de reforço dos serviços de investigação, enquanto durarem os ataques, quanto no momento posterior, de modo a que todos os infratores sejam responsabilizados criminalmente em face dos delitos praticados.

De acordo ainda com os delegados, o reforço não irá gerar despesa extra para o Estado. Asseguram ainda que estão sensíveis a uma causa maior: “o bem-estar social e a manutenção da paz no seio da família cearense”.

A Adepol destaca que a disponibilidade dos policiais equivale a um concurso público, sem gastos para o erário, quando o estado incorporaria uma força de trabalho de cerca de 400 policiais, sem a necessidade de desembolsar nenhum recurso, pois todos já são formados e plenamente capacitados para o exercício da atividade de Polícia Judiciária.

O grupo agora aguarda que o governador Camilo Santana encaminhe à Assembléia Legislativa um projeto de lei reformulando o inciso ll do art. 3o da Lei complementar 92/2011.

(Foto: Divulgação)

Quina paga R$ 3,8 milhões nesta quarta-feira

A Quina voltou a acumular e paga nesta quarta-feira (16) um prêmio de R$ 3,8 milhões, segundo estimativa da Caixa Econômica Federal. Os números sorteados na noite dessa terça-feira (15) foram: 04 – 34 – 55 – 58 e 63. As apostas podem ser feitas até as 19 horas (horário de Brasília), ao preço mínimo de R$ 1,50.

Já a Mega-Sena também acumulou e pagará R$ 27 milhões nesta quinta-feira (17), de acordo ainda com estimativa da Caixa. Os números sorteados ontem foram: 04 – 19 – 27 – 35 – 40 e 44.

Governo prevê investimentos de R$ 25 bilhões em segurança hídrica

O Ministério do Desenvolvimento Regional prevê investimentos de R$ 25 bilhões em 114 obras para ampliar o abastecimento de água no país. Do total de projetos, 66 são no Nordeste. As iniciativas fazem parte do Plano Nacional de Segurança Hídrica, em elaboração pela Agência Nacional de Águas (ANA) e que deve ser lançado em abril deste ano.

De acordo com a pasta, o plano vai priorizar intervenções estruturantes e estratégicas, contemplando obras dos estados e da União. Estão sendo mapeadas infraestruturas como barragens, sistemas adutores, canais e eixos de integração, consideradas necessárias à oferta de água para abastecimento humano e o uso em atividades produtivas. O governo vai priorizar a conclusão dos empreendimentos já em andamento.

O ministério uniu os antigos Integração Nacional e das Cidades e passou a agrupar órgãos com atuação no setor hídrico, como a própria ANA e o Conselho Nacional de Recursos Hídricos. Para o ministro Gustavo Canuto, a reestruturação permite centralizar e unificar o gerenciamento numa única instituição, fortalecendo o Sistema Nacional de Gerenciamento dos Recursos Hídricos.

“O principal desafio será encontrar novas alternativas para garantir a segurança hídrica, tanto em quantidade e qualidade de água ofertada”, destacou a pasta, por meio de comunicado.

Rio São Francisco

Outra prioridade, de acordo com o ministério, é o Projeto de Integração do Rio São Francisco. O Eixo Leste foi entregue em março de 2017 e abastece cerca de 1 milhão de habitantes em 35 cidades da Paraíba e de Pernambuco. No Eixo Norte, as estruturas necessárias à passagem da água do Rio São Francisco estão em fase final e devem ser concluídas no primeiro semestre deste ano.

Água marinha

O aproveitamento da água do mar como fonte hídrica, segundo a pasta, também é uma tecnologia em estudo. A proposta é que cidades litorâneas, muitas vezes dependentes de reservatórios de outras localidades dos estados, possam ser abastecidas com água marinha dessalinizada.

Dessa forma, mananciais do interior seriam preservados, permitindo maior capacidade de atendimento às demandas hídricas da população local. No momento, segundo a pasta, uma planta dessalinizadora na região metropolitana de Fortaleza está em processo de implementação.

(Agência Brasil)

Chove em 84 municípios do Ceará nesta quarta-feira

Choveu em 84 dos 184 municípios do Ceará, nesta quarta-feira (16), segundo dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). Apesar da boa previsão de chuva, Fortaleza teve apenas 3,8 milímetros, mesmo assim no bairro Messejana. A previsão para amanhã (17) é de possibilidade de chuva pela manhã, com máxima de 30°C.

Confira as maiores chuvas no Estado nesta quarta-feira:

Groaíras (66 mm), Horizonte (59 mm), Uruburetama (57 mm), Ibiapina (55.4 mm), Frecheirinha (49 mm), Amontada (48 mm), Cascavel (48 mm), São Gonçalo do Amarante (45.8 mm), Pacajus (45.2 mm), Itapajé (40.2 mm) e Santa Quitéria (40 mm).

(Foto: Arquivo)

Morre a atriz e ex-frenética Edyr de Castro

Morreu nesta terça-feira (15), aos 72 anos, a atriz e cantora Edyr de Castro. Ela era integrante do grupo As Frenéticas, que surgiu nos meados dos anos 1970.Segundo a família, a atriz teria morrido de de falência múltipla dos órgãos, após anos acometida pelo Mal de Alzheimer.

Edyr fez sucesso nas telas no musical “Hair” e “Menino Maluquinho”, além de participações nas obras “Tenda dos Milagres” (1985), “Cambalacho” (1986), “Anos Rebeldes” (1992), “Por Amor” (1997), “Cabocla” (2004) e “Sinhá Moça”.

(Foto: Arquivo)

Aposentados acima do salário mínimo ganharão reajuste de 3,43% do INSS

Os segurados da Previdência que recebem acima do salário mínimo terão seus benefícios reajustados em 3,43%, conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

O índice foi oficializado por meio de portaria do Ministério da Economia, publicada hoje (16), no Diário Oficial da União (DOU). O reajuste é retroativo a 1º de janeiro de 2019.

O teto dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) passa a ser de R$ 5.839,45 (antes era de R$ 5.645,80). As faixas de contribuição ao INSS (Instituto do Seguro Social) dos trabalhadores empregados, domésticos e trabalhadores avulsos também foram atualizadas.

O INSS informou que as alíquotas são de 8% para aqueles que ganham até R$ 1.751,81; de 9% para quem ganha entre R$ 1.751,82 e R$ 2.919,72; e de 11% para os que ganham entre R$ 2.919,73 e R$ 5.839,45. Essas alíquotas, relativas aos salários de janeiro, deverão ser recolhidas apenas em fevereiro, uma vez que, em janeiro, os segurados pagam a contribuição referente ao mês anterior.

Valores definidos
O piso previdenciário, valor mínimo dos benefícios do INSS (aposentadoria, auxílio-doença, pensão por morte) e das aposentadorias dos aeronautas, será de R$ 998,00. O piso é igual ao novo salário mínimo nacional, fixado em R$ 998 por mês em 2019.

Para aqueles que recebem a pensão especial devida às vítimas da síndrome da talidomida, o valor sobe para R$ 1.125,17, a partir de 1º de janeiro de 2019.

No auxílio-reclusão, benefício pago a dependentes de segurados presos em regime fechado ou semiaberto, o salário de contribuição terá como limite R$ 1.364,43.

O Benefício de Prestação Continuada da Lei Orgânica da Assistência Social – destinado a idosos e a pessoas com deficiência em situação de extrema pobreza -, a renda mensal vitalícia e as pensões especiais para dependentes das vítimas de hemodiálise da cidade de Caruaru (PE) também sobem para R$ 998,00. Já o benefício pago a seringueiros e a seus dependentes, com base na Lei nº 7.986/89, passa a valer R$ 1.996,00.

A cota do salário-família passa a ser de R$ 46,54 para o segurado com remuneração mensal não superior a R$ 907,77, e de R$ 32,80 para quem tem remuneração mensal superior a R$ 907,77 e inferior ou igual a R$ 1.364,43.

Fator de reajuste dos benefícios concedidos de acordo com as respectivas datas de início, aplicável a partir de janeiro de 2019.

(Agência Brasil)

A defesa dos direitos humanos, a população trabalhadora e o mundo do crime

214 4

Resultado de imagem para joao arruda professor ufc

Com o título “A defesa dos direitos humanos, a população trabalhadora e o mundo do crime”, eis artigo de João Arruda, sociólogo e professor da UFC. Confira:

Temos acompanhado, nas duas últimas décadas, o crescimento vertiginoso de uma “ética política” extremamente nociva à sociedade. Já hegemônica entre os chamados formadores de opinião de esquerda, ela se caracteriza por legitimar todas as práticas criminosas, atribuindo a sua ocorrência a uma reação legítima dos oprimidos contra os seus opressores burgueses. Figuras destacadas da militância política da esquerda brasileira como Erika Kokay, Márcia Tiburi, Maria do Rosário, Benedita da Silva, entre outros, são as expressões maiores desse vômito ético asqueroso.

Como expressão da nova luta de classes, esta “ética política” surge historicamente com o fim do chamado socialismo real e é o resultado de uma nefasta simbiose entre o pieguismo cristão e o equivocado coitadismo neomarxista. Esse pernicioso concubinato, em suas manifestações cotidianas, comete uma grave inversão de valores, com consequências seríssimas sobre o dia a dia da população: ela vergonhosamente criminaliza o cidadão trabalhador e, enfaticamente, vitimiza todas as formas de ações criminosas praticadas pela escória parasita da sociedade.

No Ceará, como em regra em todo o Brasil, o crime organizado vem se beneficiando enormemente desse equívoco pseudo humanista. Aceita como verdades ululantes pela quase totalidade dos partidos autointitulados de esquerda, seus pressupostos têm servido para legitimar inadmissíveis concessões à população carcerária, permitindo, inclusive, que os chefões do crime organizado tenham o controle absoluto dos presídios, de onde comandam os seus rendosos negócios ilícitos, sob a proteção do Estado.

As consequências desses equívocos estão aí: o Ceará está enfrentando a maior onda de violência da sua história. Já são quase 15 dias de terror e não encontramos perspectiva de que a violência pare no curto prazo. O clima social é de pânico. Enquanto isso, o cearense, notadamente a sua população mais carente, está sendo enormemente penalizada pelo terrorismo imposto pela bandidagem. Vítimas de todas as formas de violência e constrangimento, nossos irmãos da periferia estão impedidos de exercer os seus direitos mais elementares, o direito ao trabalho, pois, além dos constantes toques de recolher, os seus meios de locomoção estão sendo depredados e os instrumentos de trabalho dos autônomos destruídos.

Foi nesse ambiente de extrema insegurança e desespero dos cearenses que li, neste conceituado blog, com um misto sentimento de indignação e perplexidade, a infeliz, esdrúxula e inoportuna nota do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos, nota, por sinal, subscrita por mais de 40 entidades portadoras dos mesmos equívocos.

A nota se inicia com uma genérica referência à violência, que atinge o cotidiano do povo da periferia das cidades cearenses, mas é unilateral e concentra a sua ênfase na preocupação com a integridade física e emocional dos marginais. Segundo ela, há “notícias de arbitrariedade e extremo uso da força cometidas por agentes de segurança pública, tais como invasão de domicílios, violência em abordagens policiais, suspeita de flagrantes forjados e prisões arbitrárias nas periferias das cidades cearenses…(que) têm recebido notificações por parte de familiares quanto à ausência de informações em relação à localização de presos e mesmo quanto à adoção de procedimentos e práticas atentatórias a dignidade e a integridade física e psicológica de homens e mulheres em diversas unidades prisionais do Estado”. Diz ter “recebido notificações específicas sobre ocorrências de castigos físicos. Finalmente, o CEDDH conclama a Justiça e os órgão de defesa de direitos humanos para que haja uma pactuação interinstitucional com vistas a monitorar e acompanhar as medidas que têm sido adotadas por órgãos estaduais e federais no âmbito da gestão penitenciária e da segurança pública do Estado, incluindo os excessos e arbitrariedades no uso da força por agentes públicos nas periferias das cidades cearenses”

Como vemos, nenhuma palavra sobre a necessidade de monitorar a violência dos marginais sobre as forças policiais e sobre a população em geral. Nenhuma palavra de solidariedade às vítimas da violência terrorista. Não é por acaso que o imaginário coletivo tem um conceito tão negativo dessa instituição que se propõe a ter uma missão tão nobre, mas que insiste em reduzir os direitos humanos a uma sectária defesa dos criminosos.

Senhoras e senhores que defendem a bandidagem como expressão máxima dos direitos humanos, lembrem-se que as ideias não são neutras, mas que podem ter consequências catastróficas.

Felizmente, a firme decisão do governador Camilo Santana, na contramão da tradição petista, indica que essa tácita aliança entre os equivocados defensores dos direitos humanos e o submundo do crime está com os seus dias contados. Esta otimista percepção reforça a minha convicção da justeza de Nietzschen, quando chamava atenção para o fato de que alguns homens, pela perniciosidade das suas ideias, já nascem póstumos.

João Arruda

Sociólogo e professor da UFC

(Foto: Prefeitura de Fortaleza)

Prefeito anuncia circulação normal de ônibus a partir da noite desta quarta-feira

O prefeito Roberto Cláudio anunciou, agora há pouco, por meio de redes sociais, que a partir desta quarta-feira (16), o sistema de transporte coletivo terá operação normal no período noturno. A informação é da assessoria de imprensa do Paço Municipal.

Um esquema especial montado em parceria pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da ETUFOR, Sindiônibus e forças de segurança do Estado, vai garantir a operação no período noturno já a partir de hoje,
contando com um reforço intensificado da polícia.

Setor de serviços fica estável entre outubro e novembro

O volume do setor de serviços no país manteve-se estável na passagem de outubro para novembro de 2018. O segmento vem de uma queda de 0,3% de agosto para setembro e de estabilidade de setembro para outubro.

Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada hoje (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com novembro de 2017, houve um crescimento de 0,9%, mas o setor registrou leve queda de 0,1% no acumulado do ano. No acumulado de 12 meses, o segmento manteve-se estável, interrompendo uma sequência de 41 taxas negativas.

A receita nominal cresceu 0,5% de outubro para novembro, 3,8% na comparação com novembro de 2017, 2,6% no acumulado do ano e 2,8% no acumulado de 12 meses.

Das cinco atividades analisadas pelo IBGE, quatro tiveram alta na passagem de outubro para novembro: serviços prestados às famílias (0,4%), serviços de informação e comunicação (0,8%) serviços profissionais, administrativos e complementares (0,1%) e transportes, serviços auxiliares de transportes e correio (0,3%).

Por outro lado, os outros serviços tiveram queda de 0,2%.

(Agência Brasil)

PF prende em São Paulo suspeito de participar do assassinato no Ceará de chefes do PCC

Agentes da Polícia Federal (PF) prenderam Jefte Ferreira dos Santos na manhã desta quarta-feira, 16. Ele é suspeito de ter envolvimento na execução de Rogério Jeremias de Simone, conhecido como Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, o Paca. O homem foi encontrado em casa de praia em Itanhaém, litoral sul de São Paulo, de acordo com informações do portal G1.

Gegê e Paca eram chefes do Primeiro Comando da Capital (PCC) e moravam no Ceará até serem mortos em 15 de fevereiro de 2018 no município de Aquiraz. Jefte era considerado foragido após ser denunciado pelo Ministério Publico. Ele é acusado de ter participado da ação fornecendo apoio logístico para a execução e transporte para os algozes.

Agora detido, ele deve ser transferido para o Ceará, onde as investigações ocorrem.

(O POVO Online / Foto: Reprodução)

A Lei da recompensa e a lei do silêncio

69 1

Da Coluna Eliomar de Lima, no O POVO desta quarta-feira (16), pelo jornalista Demitri Túlio:

De 2013 para cá, quando as “facções criminosas” passaram a territorializar de maneira violenta comunidades em bairros de Fortaleza, foi decretada a Lei do Silêncio. Para não serem executados, desaparecerem ou terem a casa tomada, moradores passaram a ter de fazer de conta que não dividiam o cotidiano na favela com o traficantes e assassinos armados a qualquer hora.

Foram obrigadas a seguir regras determinadas pelo “crime”. Ficar calado virou uma questão de sobrevivência já que o Estado não garantia a segurança. A Lei da Recompensa propõe, de um dia para o outro, que se quebre o silêncio com a paga de prêmio pela delação. Não haveria aí um equívoco e uma inversão de papéis? Transferir para quem já vive acuado a responsabilidade de um trabalho que seria de inteligência policial?

Pode-se até evitar um crime ou contribuir com a prisão de um ou mais bandidos, mas a vulnerabilidade em uma comunidade como a Unidos Venceremos, no Jangurussu, por exemplo, é grande. A delação, muitas vezes, torna todos suspeitos.

Até hoje, a SSPDS não conseguiu garantir que pessoas expulsas das moradias pelas facções retornassem. No máximo, enviou viatura para acompanhar a mudança. Garantirá que a informação não saltará do papel ou que um servidor corrupto não vazará?

O governo já se questionou por qual motivo moradores de comunidades não fazem delações já que há telefones disponíveis há muito tempo?

No mundo todo, a figura do “informante” é usada pelas polícias. O problema é premiar a “atividade” ou estabelecer relações promíscuas. Assim nascem os “almas”, aquele povo que até anda armado e dá carteirada.

IGP-10 começa ano com deflação de 0,26%

O Índice Geral de Preços–10 (IGP-10), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), registrou deflação (queda de preços) de 0,26% em janeiro.

Em dezembro de 2018, o indicador já havia tido uma deflação de 1,23%. Apesar da queda de preços nos dois meses, o IGP-10 acumula inflação de 6,8% em 12 meses.

Dos três subíndices que compõem o IGP-10, apenas o Índice de Preços ao Produtor Amplo, que monitora o comportamento dos preços no atacado, teve deflação em janeiro: -0,59%. Ainda assim, foi uma deflação mais moderada do que a do mês anterior (-1,83%).

O Índice de Preços ao Consumidor, que analisa o comportamento do varejo, teve inflação de 0,45% em janeiro, ante uma deflação de 0,09% em dezembro. A inflação do Índice Nacional de Custo da Construção subiu de 0,12% em dezembro para 0,29% em janeiro.

(Agência Brasil)