Blog do Eliomar

Últimos posts

Temer autoriza uso de forças federais para desbloquear rodovias

O governo federal autorizou o uso de forças federais de segurança para liberar as rodovias bloqueadas pelos caminhoneiros caso as estradas não sejam liberadas pelo movimento.

O anúncio foi feito há pouco pelo presidente Michel Temer, em pronunciamento no Palácio do Planalto. A decisão foi tomada após reunião no Gabinete de Segurança Institucional (GSI), que contou com a participação de ministros e do presidente.

“Quero anunciar um plano de segurança imeadiato para acionar as forças federais de segurança para desbloquear as estradas e estou solicitando aos governadores que façam o mesmo. Não vamos permitir que a população fique sem os gêneros de primeira necessidade, que os hospitais fiquem sem insumos para salvar vidas e crianças fiquem sem escolas. Quem bloqueia estradas de maneira radical será responsabilizado. O governo tem, como tem sempre, a coragem de dialogar; agora terá coragem de usar sua autoridade em defesa do povo brasileiro.”

(Agência Brasil)

“Não vamos encerrar o movimento tão cedo!” , diz presidente de associação dos caminhoneiros

O presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, disse hoje (25) não acreditar que os milhares de profissionais que desde a última segunda-feira (21) interditam parcialmente as estradas de quase todo o país voltem à normalidade nos próximos dois dias.

“Este final de semana vai ser para montarmos as estratégias que adotaremos a partir de segunda-feira. Na minha visão, não vamos encerrar o movimento tão cedo”, declarou Fonseca à Agência Brasil.

“A barra está pesada. A revolta [dos caminhoneiros] está grande e ninguém está querendo sair [da paralisação]. De hoje para segunda-feira eu vou tentar uma manifestação para resolver [o impasse], mas, para isso, eu vou ter que ter uma conversinha com o governo federal”, acrescentou o sindicalista.

Ontem (24), Fonseca deixou uma reunião no Palácio do Planalto enquanto ela estava em andamento. No encontro, nove das 11 entidades representativas do setor de transporte assinaram um acordo com o governo federal para tentar pôr fim à paralisação. Em troca do compromisso da Petrobras manter pelos próximos 30 dias o preço reduzido do óleo diesel nas refinarias e do governo estudar formas de baratear o preço dos combustíveis, as lideranças sindicais que assinaram o acordo prometeram suspender o movimento por 15 dias. A proposta foi recusada pela União Nacional dos Caminhoneiros (Unicam) e pela Abcam, que representa cerca de 700 mil trabalhadores.

“Eu fui lá defender um único item que, a meu ver, é o principal: o fim da cobrança da alíquota do PIS/Cofins e da Cide sobre o óleo diesel”, pontuou o presidente da Abcam, classificando outros pontos da pauta de negociação, como a suspensão da cobrança do pedágio sobre o eixo suspenso, como uma “esmola para caminhoneiros”.

Em nota, a Abcam repudiou o acordo assinado. “Ao contrário de outras entidades que se dizem representantes da categoria, a Abcam, não trairá os caminhoneiros. Continuaremos firmes com pedido inicial: isenção da alíquota PIS/Cofins sobre o diesel, publicada no Diário Oficial da União”.

Bloqueios continuam

Mesmo após o anúncio da assinatura do acordo, os caminhoneiros continuam mantendo os bloqueios nas estradas. A própria Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou, esta manhã, que não tinha registradonenhuma desmobilização nas rodovias do país.

Alegando que ninguém aguenta mais a alta dos preços dos combustíveis no país, Fonseca reconheceu que o movimento vem contando com a simpatia de uma ampla parcela da opinião pública e dos formadores de opinião, mas que isso tende a mudar à medida que os reflexos da paralisação começarem a impactar o cotidiano da população.

“Quem inicialmente nos apoiou, amanhã vai nos acusar pela falta de alimentos, combustível, medicamentos…Queremos encerrar este movimento com o mesmo apoio da opinião pública e de todos que nos ajudaram e estamos trabalhando nesta linha, mas isso precisa ser uma coisa bem organizada e vamos ter que voltar a ter uma conversinha com o governo”, acrescentou Fonseca.

Há pouco, o presidente Michel Temer anunciou que acionou as forças de segurança para desbloquear as estradas e garantir “a livre circulação e o abastecimento”.

(Agência Brasil)

Paralisação dos Caminhoneiros – OAB adia Exame de Ordem deste domingo

A segunda fase do XXV Exame de Ordem Unificado, marcada para este domingo (27/5), foi suspensa devido ao protesto de caminhoneiros e ao bloqueio de rodovias.

A coordenação responsável pelo exame concluiu que não haveria condições de entregar e aplicar as provas “de forma uniforme, com segurança, sigilo e eficiência em todo o território nacional”, conforme nota publicada pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil.

DETALHE – A nova data ainda não foi divulgada. A coordenação diz que os inscritos serão informados sobre o novo cronograma.

Prefeitura avança em obras de dois túneis na Via Expressa

A Prefeitura de Fortaleza informa estar avançando, em ritmo acelerado, nas obras dos dois túneis em construção na Avenida Almirante Henrique Sabóia (Via Expressa), no Papicu. No atual estagio das obras, segundo a assessoria de imprensa do Paço Municipal, foram iniciados os serviços de escavação do túnel longitudinal que serão finalizados com a construção da laje de fundo, que receberá a nova pavimentação em concreto.

No local já foram finalizadas as obras de drenagem, estacas e a construção da laje superior do equipamento, por onde irá passar o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), permitindo a conclusão da linha que interligará os bairros Mucuripe e Parangaba.

As obras foram iniciadas em julho de 2017, sob a Av. Almirante Henrique Saboia, no trecho compreendido entre as avenidas Padre Antônio Tomás e Santos Dumont. As intervenções, que estão com 75% de suas estruturas e estacas finalizadas, têm entrega prevista para dezembro deste ano.

Quando concluído, o túnel longitudinal terá 370m de comprimento, sendo 74m coberto. O novo equipamento irá possibilitar mais agilidade no tráfego, sem interferências naquele trecho, permitindo a implantação do corredor Parangaba/Papicu e também a passagem do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), cuja execução da obra é de responsabilidade da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor).

Túnel Alberto Sá

O segundo túnel sob a Via Expressa está sendo construído na Avenida Alberto Sá, no Papicu. O equipamento possibilitará a conexão direta da via com as ruas Tavares Coutinho e Ana Bilhar, além de permitir a eliminação de quatro semáforos existentes na avenida, fazendo com que o transporte coletivo tenha acesso expresso no cruzamento com a Via Expressa.

O novo equipamento terá cerca de 460m de comprimento e área coberta de 80m. A laje superior do túnel ganhará ainda uma pequena praça, com projeto semelhante ao já implantado no túnel Dep. Wellington Landim, localizado na Av. Engenheiro Santana Júnior. As obras deste equipamento foram iniciadas em dezembro de 2017 e serão concluídas em julho de 2019.

As obras no túnel da Avenida Alberto Sá estão com 15% de execução. No local já foram realizadas a retirada do canteiro central e a desapropriação de parte dos imóveis, possibilitando o alargamento da via para as obras de infraestrutura. Atualmente as equipes trabalham na construção dos pilares centrais e nas paredes laterais do novo túnel.

Com custo de R$ 67 milhões, financiados pela Caixa Econômica Federal com recursos do FGTS, os dois túneis possuirão quatro faixas de tráfego – sendo duas por sentindo – projeto paisagístico, nova pavimentação, postes de iluminação com luz branca, calçadas e ciclovia.

(Foto – Divulgação)

Paralisação dos Caminhoneiros leva Prefeito de Sao Paulo a decretar estado de emergência

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), decretou, nesta sexta-feira (25), estado de emergência por causa do excesso de protestos de caminhoneiros. A informação é do Portal G1.

Com o decreto, a cidade pode apreender combustível estocado de postos privados, por exemplo, e fazer compras sem licitação. Também permite realizar gastos sem depender de empenho orçamentário.

“O prefeito determinou também a criação de um comitê de crise que vai avaliar e tomar as medidas necessárias. Caso continue a situação de desabastecimento provocado pelas manifestações, pode haver decretação de feriado municipal. O estado de emergência pode evoluir para estado de calamidade pública”, diz a nota.

“Dentre as medidas a serem adotadas estão a suspensão de serviços administrativos não essenciais com vistas à economia de combustível. O prefeito determinou também a criação de um comitê de crise que vai avaliar e tomar as medidas necessárias. Caso continue a situação de desabastecimento provocado pelas manifestações, pode haver decretação de feriado municipal. O estado de emergência pode evoluir para estado de calamidade pública”, diz o texto.

O comitê será presidido pelo prefeito e será composto pelos secretários de Justiça, Governo, Comunicação, Fazenda, Segurança Urbana, Procurador Geral do Município.p

Presidente do BC – Cenário externo se torna mais desafiador para o Brasil

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, disse, na manhã de hoje (25), que o cenário externo ficou mais desafiador e que as reações da política monetária a choques externos não podem ser “nem oito, nem oitenta”. Ilan Goldfajn fez palestra de abertura do 20º seminário anual de metas para a inflação, na sede do Banco Central no Rio de Janeiro.

“O cenário internacional tem se tornado mais desafiador e os efeitos de movimentos nas economias avançadas sobre as economias emergentes podem ser relevantes. A normalização nos níveis de taxas de juros em algumas economias maduras tem produzido ajustes em preços de ativos e volatilidade nas condições financeiras no mercado internacional”, disse o presidente do BC.

Goldfajn defendeu que as respostas da política monetária brasileira a choques externos não podem ser automáticas e disse que choques externos devem ser combatidos apenas no impacto secundário que poderão ter na inflação prospectiva. “Nem oito, nem oitenta. Não dá para ignorar o impacto de um choque externo na nossa inflação, mas também não há uma relação mecânica entre o choque externo e a política monetária”.

O presidente do BC enumerou ao menos três fatores de risco que devem ser levados em conta na avaliação do cenário básico do Copom para a inflação. Segundo Goldfajn, a possível propagação, por mecanismos inerciais, do nível baixo de inflação pode produzir trajetória prospectiva abaixo do esperado.

Além disso, uma frustração das expectativas sobre a continuidade “das reformas e ajustes necessários na economia brasileira” pode afetar prêmios de risco e elevar a trajetória da inflação no horizonte relevante para a política monetária.

Ainda na avaliação do economista, o risco dessa elevação se intensifica em uma continuidade da reversão do cenário externo para economias emergentes. “É preciso também enfatizar que a aprovação e implementação das reformas, notadamente as de natureza fiscal, e de ajustes na economia brasileira são fundamentais para a sustentabilidade do ambiente com inflação baixa e estável”.

(Agência Brasil)

Mesmo que o Piauí não seja aqui, o exemplo vale

Com o título “Mesmo que o Piauí não seja aqui, o exemplo vale”, eis artigo do jornalista Guálter George, editor de Política do O POVO, que pode ser lido no O POVO desta sexta-feira. Confira:

Muitos dirão, e dizem, que os movimentos certeiros dos articuladores do governador Camilo Santana (PT) nos últimos dias, que desfalcaram a oposição e ampliaram a sua já enorme base aliada, definiram a disputa sucessória no Ceará em 2018. Não acredite. A realidade, graças a Deus e aos eleitores, é muito menos incerta do que fazem crer estes conchavos de bastidores, nem sempre chancelados por quem efetivamente detém o voto.

Para quem considerar que assim não é, valho-me de um exemplo que parece bastante simbólico de como as coisas costumam funcionar no mundo real da política.

Aconteceu no vizinho Piauí, 24 anos atrás. PSDB e PFL viviam às turras, num cenário de relações rompidas e conversa nenhuma, acompanhados à distância por um (P)MDB que desempenhava um papel de coadjuvante na disputa local pelo poder. Um dia, às vésperas da disputa pelo governo, tucanos e pefelistas amanheceram amigos de infância e anunciaram um acordo histórico que, acreditava-se, definia Átila Lira como futuro governador. A eleição, a partir daquele momento, parecia uma questão de mera formalidade a ser cumprida com alguma preguiça por votantes e votados. Pois é, alguém esqueceu de botar o eleitor na equação e, finalizado o processo, estava eleito o azarão peemedebista Mão Santa, que começara a caminhada com apenas 3% das intenções de voto e o apoio de menos de 20% dos 224 prefeitos que há no estado, quase nenhum de município importante.

Claro que não dá para apenas pegar o caso piauiense e transportá-lo para o Ceará. Há muitas variáveis a considerar, boa parte, inclusive, até apontando mais vigor comparativo nas perspectivas do General Teophilo, que a oposição deverá apresentar como candidato para enfrentar Camilo Santana, a começar pela relevância, política e eleitoral, de alguns dos poucos que ficaram ao seu lado para tocar a campanha. É o caso do senador Tasso Jereissati, principal fiador de uma candidatura que permanece no campo da incógnita considerando-se o desconhecimento do cearense sobre quem seja, o que pense e as soluções que tem para resolver os problemas e consolidar as potencialidades do Estado.

O que o exemplo do Piauí nos mostra de fundamental é que não existe, em política, vitória ou derrota de véspera. O fato de Camilo reunir em torno dele muitos partidos, vários líderes importantes, deputados de todas as ideologias, oferece a ele uma vantagem importante, sem lhe garantir antecipadamente a reeleição. Ou seja, é equivocada a ideia que vejo espalhada com entusiasmo por alguns de que ao juntar 24 partidos na coligação e trazer de volta aos braços governistas gente com o peso do senador Eunício Oliveira e de Domingos Filho, com seus respectivos grupos políticos, o governador assegurou sua permanência no Palácio da Abolição por mais quatro anos, a partir de janeiro de 2019.

No meio do caminho há uma eleição, a ser disputada em circunstâncias que ainda geram muitas incertezas, pelas novas regras de financiamento, o tempo mais curto e outras novidades que se juntam ao fato de ser a primeira disputa eleitoral sob efeito real da Lava Jato. Claro que Camilo dá os primeiros passos em vantagem, marcou um gol com as últimas adesões, mas, repito, precisará fazer campanha para ganhar. Quem duvida, olhe para o que aconteceu no Piauí naquele 1994 a cujo exemplo recorro e veja como as coisas nem sempre parecem assim tão fáceis de explicar.

Guálter George

gualter@opovo.com..br

Editor de Política do O POVO.

Bolsonaro recebe futuro coordenador de sua campanha no Ceará

1189 3

Jair Bolsonaro,Heitor Freire e o senador Magno Malta.

O empresário Heitor Freire, coordenador da futura campanha do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) no Ceará, passou toda esta semana em São Paulo. Ali, manteve reuniões com o pré-candidato.

Também conversou com o senador Magno Malta (ES) que, de acordo com Freire, tem tudo para sair vice na chapa do presidenciável.

Heitor também já está como pré-candidato a deputado federal.

(Foto – Divulgação)

General Theophilo fará caminhada pelo Centro de Fortaleza

O general Theophilo fará nesta sexta-feira, a partir das 15 horas, uma caminhada pelas ruas do Centro de Fortaleza. O objetivo é publicizar suas propostas e, principalmente, mostrar a face para o eleitorado que não o conhece.

Com ele, o deputado estadual e dirigente do Pros, Capitão Wagner, que ajudou a derrotar Camilo na Capital quando estava do lado do então candidato a governador, Eunício Oliveira.

Já Tasso Jereissati só participará dos eventos agendados pelo general na Região do Cariri, neste sábado. Um deles, missa que abrirá a festa de Santo Antônio, em Barbalha.

(Foto – Divulgação)

UFC manda nota de esclarecimento sobre ato que estava sendo divulgado pelo PT

Da Universidade Federal do Ceará, este Blog recebeu a seguinte nota, em tom de esclarecimento. Confira:

​Prezado Eliomar de Lima,

A propósito de nota publicada neste Blog, na edição dessa quinta-feira (24/5), encaminhamos abaixo esta nota:

“O reitor da Universidade Federal do Ceará, Prof. Henry de Holanda Campos, esclarece que a Instituição não autorizou o uso de espaço para a realização de evento de cunho partidário e que, em cumprimento à legislação pertinente, não cede as dependências da UFC para eventos dessa natureza.”

Atenciosamente,
Prof. Nonato Lima
Coordenador de Comunicação Social e Marketing Institucional da UFC.

(Foto – Divulgação)

Desembargadora que atacou Marielle continua ativa e pró-Bolsonaro

Apesar do furacão que sucedeu seus comentários sobre a morte de Marielle Franco, a desembargadora boquirrota Marilia Castro Neves parece não ter se intimidado com as redes sociais. É o que informa o jornalista Lauro Jardim, colunista do O Globo.

Ela continua em atividade no Facebook, onde é seguida por 10,6 mil usuários. Apesar de não compartilhar notícias falsas e opiniões polêmicas, como as que lhe renderam cinco procedimentos no Conselho Nacional de Justiça, divide outros pensamentos com seus amigos.

Nos últimos dias, fez um elogio ao presidenciável Jair Bolsonaro: “Ouvir as propostas de Bolsonaro renova a minha esperança em voltarmos a ser um país sério e respeitado!!!!”

Em outro momento, Marilia compartilhou uma mensagem nos seguintes termos: “Não acredite em tudo que te falaram sobre mim… a verdade é bem pior”

Fies 2018 – Prazo para renovação de contrato termina nesta sexta-feira

Hoje (25) é o último dia para renovar o contrato do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para o primeiro semestre deste ano. Segundo o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), cerca de 1,1 milhão de financiamentos devem ser renovados.

Os contratos do Fies precisam ser aditados todo semestre. O pedido é feito inicialmente pelas instituições de ensino e depois as informações devem ser validadas pelos estudantes pela internet, no Sistema Informatizado do Fundo de Financiamento Estudantil (SisFies).

No caso das renovações que tenham alguma alteração nas cláusulas do contrato, o estudante precisa levar a nova documentação ao agente financeiro – Banco do Brasil ou Caixa Econômica Federal – para concluir o processo. Nos aditamentos simplificados, a renovação é formalizada a partir da validação do estudante no sistema.

O Fies concede financiamento a estudantes em cursos superiores não gratuitos, com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação. Os estudantes que ingressaram no programa a partir de 2018 aderiram ao Novo Fies, que tem diferentes modalidades, possibilitando juros zero e uma escala de financiamentos que varia conforme a renda familiar do candidato.

(Agência Brasil)

Carlos Mesquita aponta a incoerência política de Eunício Oliveira

O vereador Carlos Mesquita (Pros) lembra para o Blog que foi expulso do então PMDB – com pedido de mandato, pelo senador Eunício Oliveira.

Ele fez questão de lembrar que Eunício agora anda dizendo que não vota com o MDB e até desafia quem o expulse da legenda.

Ele aponta a incoerência daquele que um dia foi seu algoz.

(Foto – CMFor)

No aeroporto de Brasília, combustível só dura até o fim desta manhã

As reservas de querosene de aviação no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitscheck, em Brasília, só são suficientes para a manhã de hoje (25), segundo a concessionária Inframerica. A paralisação dos caminhoneiros, que chega ao quinto dia em todo o país, impede que o combustível chegue até o aeroporto. Dois voos precisaram ser cancelado no início desta manhã.

Todos os aviões que pousarem hoje no terminal aéreo e que necessitem de abastecimento ficarão em solo até o fornecimento de combustível no aeroporto ser normalizado. O contingenciamento do combustível no aeroporto já vinha ocorrendo desde a terça-feira (22).

“Apesar do agravamento da situação, ainda não há previsão de regularização do estoque de combustível. A concessionária aguarda a liberação dos caminhões”, informou a concessionária em nota.

Nos últimos dias apenas dez caminhões chegaram ao aeroporto, todos sob escolta policial. Em dias normais, o terminal recebe uma média de 20 desses veículos. Até o início da manhã desta sexta-feira, não há registro de entrada de novos caminhões.

(Com Agência Brasil)

Escolas conveniadas e o velho erro histórico

Na gestão Juraci Magalhães, havia muita escola em prédio alugado e sem condições de funcionar. Veio a Era Luizianne Lins (PT), que tentou mudar esse cenário que, pelo visto, insiste em continuar na atual gestão.

O caso do piso que cedeu numa creche municipal causando a morte de Hannah Evelyn, 4, não ganhou repercussão na Câmara Municipal.

Ali, a maioria esmagadora é aliada do Paço Municipal.

Mesmo com acordo, caminhoneiros prosseguem os bloqueios

O quinto dia seguido de manifestações de caminhoneiros começa com trânsito lento. O número de impedimentos aumentou e já são 13 trechos bloqueados nas estradas do Estado. O mais recente começou nesta manhã, às 6h30min, no km 5 da BR-222, na altura do Tabapuá, em Caucaia.

Os relatos são de congestionamento intenso.

Interdição total ocorreu no sentido Fortaleza, com desvio pelo bairro Potira. Quem vai no sentido Caucaia/Fortaleza encontrou dificuldades para passar pelos bloqueios. Logo após passar da Lagoa do Tabapuá, o fluxo melhora. Uma pequena faixa está liberando a passagem.

A Polícia Rodoviária Federal está no local dando orientações. A fila de carros é extensa. Na av. Mister Hull, o relato de lentidão é o mesmo.

(O POVO Online)

Mercado vê governo fragilizado por causa da greve dos caminhoneiros

As reações do governo e do Congresso ao levante dos caminhoneiros surpreenderam analistas do mercado, que viram alguns de seus principais interlocutores se mostrarem incapazes de administrar a crise. O Planalto, avaliam, evidenciou seu esfacelamento político e arrastou a Petrobras para perto do cadafalso. Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) virou meme em grupos de investidores após subestimar em R$ 8 bilhões o impacto do projeto que tirou da cartola em aceno a grevistas.

O erro de Maia na votação de texto que zeraria alíquotas do Pis/Cofins foi alvo de críticas até de correligionários. Entre investidores, o democrata, que por meses percorreu bancos e corretoras pregando austeridade e agenda liberal, foi chamado de “vereador federal”, numa menção ao seu apequenamento.

Sem garantia de que a greve será encerrada, o governo vai centrar forças em alardear os termos do acordo para desmobilizar o maior número possível de manifestantes —e especialmente as transportadoras.

(Foto – Pedro Ladeira, da Folhapress)

Ciro Gomes e um voto a menos em casa

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta sexta-feira:

Acendeu o sinal vermelho entre alguns membros da Confederação Nacional da Indústria (CNI), quando o assunto é a disputa presidencial. Entre diretores e conselheiros, principalmente, o nome do ex-ministro Ciro Gomes (PDT), por exemplo, não anda bem aceito.

O que chama a atenção é que entre os que dizem não saber em quem votar está o ex-presidente da Federação das Indústrias do Estado (Fiec), Roberto Macêdo. Ele vê o cenário presidencial turvo, com nomes que não lhe agradam.

Indagado sobre Ciro Gomes, ex-governador do Ceará, foi enfático: “Não tenho nomes!” Macêdo se diz cético sobre os pré-candidatos e mais preocupado ainda com o cenário do País, onde a economia, segundo diz, não reage e a política é surpreendida, a cada dia, por investigações à base da Lava Jato.

O conselheiro da CNI confessa: não só cético, mas desesperançoso. No dia 4 de julho, em Brasília, a entidade ouvirá os presidenciáveis, o que poderá ser boa chance para o empresário, assim como esmagadora faixa da população, mudar seus conceitos.

(Foto – PDT)

Fortaleza não combina mesmo com chuva

Fortaleza continua despreparada para chuvas. Nas últimas horas, vários alagamentos reapareceram nas ruas da cidade, por conta de pancada de chuva.

Este trecho de alagamento é na Avenida Bezerra de Menezes que, antes da obra de reurbanização feita pela gestão Luizianne lins (PT) e completada pela gestão Roberto Cláudio (PT), não registrava nenhum tipo de problema. Obra feita nas pressas dá nisso.

A previsão da Funceme para esta sexta-feira é de chuva no Centro-Norte do Estado principalmente. Até 6 horas, já foram registradas algumas chuvas nos seguintes municípios:

Forquilha (Posto: Ac. Forquilha) : 15.2 mm

Itapajé (Posto: Itapaje) : 14.8 mm

Barroquinha (Posto: Barroquinha) : 12.1 mm

Acaraú (Posto: Lagoa Do Carneiro) : 10.3 mm

Bela Cruz (Posto: Prata) : 9.2 mm

Itapiúna (Posto: Fazenda Boa Vista) : 8.0 mm

Granja (Posto: Pessoa Anta) : 7.0 mm

Paracuru (Posto: Poço Doce) : 5.0 mm

Itapiúna (Posto: Itapiuna) : 2.2 mm

 

(Foto  – Paulo MOska)

Preocupado com pesquisas, FHC quer se reunir com Alckmin

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso está preocupado com um possível vexame de Geraldo Alckmin nas urnas presidenciais. É o que informa a Coluna Radar, da Veja Online.

Por conta disso, FHC decidiu marcar um encontro com o ex-governador para traçar novas estratégias de campanha. Alckmin tem caído seguidamente nas intenções de voto.

Divulgada no último dia 14, a pesquisa da Confederação Nacional do Transporte mostrou que o tucano encolheu de 8,6%, para 5,3% entre o eleitorado.