Blog do Eliomar

Últimos posts

Boca de urna aponta vitória de Angela Merkel com 33,5% dos votos

A aliança conservadora formada pela União Democrata-Cristã (CDU), da chanceler alemã, Angela Merkel, ganhou neste domingo (24) as eleições com 33,5% dos votos, 12% a mais que o Partido Social Democrata (SPD), conforme a pesquisa de boca de urna feita pela emissora pública de TV ZDF.

A ultradireitista Alternativa para a Alemanha (AfD) ficou em terceiro lugar, com 13%.

(Agência Brasil)

Fortaleza deverá desembarcar no antigo aeroporto nesta tarde

A Infraero deverá deslocar o desembarque da equipe do Fortaleza, procedente de São Paulo, na tarde deste domingo (24), para o antigo aeroporto, no bairro Via União, como forma de evitar impacto na operacionalidade do Aeroporto Internacional Pinto Martins.

A equipe conseguiu nesse sábado (23) o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro do próximo ano, após perder para o Tupi/MG, em Juiz de Fora, por 1 a 0, as beneficiado pela vitória no joga de ida, no Castelão, por 2 a 0.

Um grande número de torcedores deverá receber os atletas tricolores no desembarque.

Principais candidatos, Merkel e Schulz votam nas eleições da Alemanha

A chanceler da Alemanha e candidata pela União Democrata-Cristã (CDU), Angela Merkel, votou neste domingo (24) em Berlim nas eleições gerais, enquanto seu principal adversário, Martin Schulz, líder do Partido Social-Democrata (SPD), foi às urnas em Würselen, no oeste do país.

Cerca de 61,5 milhões de alemães estão aptos a votar. O presidente da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, que também já votou, convocou a população a comparecer às zonas de votação para cumprir com seus deveres como cidadãos. “Quem não vota deixa que outros decidam sobre o futuro do nosso país”, afirmou Steinmeier.

As últimas pesquisas indicam uma vitória tranquila de Merkel, com uma vantagem de 14 pontos percentuais sobre Schulz. O terceiro lugar do pleito deve ficar com a ultradireitista Alternativa para a Alemanha (AfD), que chegará pela primeira vez ao parlamento do país.

As primeiras pesquisas de boca de urna serão divulgadas nesta tarde, quando serão fechadas as 73,5 mil seções eleitorais e quando também terá início a apuração dos votos.

(Agência Brasil)

Terceiro setor é tema de debate em evento do CRCCE e MPCE nesta segunda-feira

O Conselho Regional de Contabilidade e o Ministério Público do Ceará promovem nesta segunda-feira (25) o II Encontro Cearense do Terceiro Setor. O evento e dirigido a profissionais da contabilidade, operadores do Direito e representantes de entidades não governamentais em atuação no estado.

O encontro será aberto às 8h30, no Auditório da Procuradoria Geral da Justiça (Rua Assunção, 1100, José Bonifácio), por uma mesa composta pela presidente do CRCCE, Clara Germana Rocha, pela coordenadora do Centro de Apoio a Fundações e Entidades de Interesse Social, Rita Dalva Martins, entre outras autoridades.

A programação se estenderá por todo o dia. O interessado em participar e e conferir a programação, deve acessar este link ou ligar para o número 3455-2904/ 3455-2925. O evento é gratuito, mas a organização pede a doação de dois quilos de leite em pó. O evento faz parte da programação da Semana do Contador.

O CRCCE é parceiro do Ministério Público no esforço de qualificar as entidade do terceiro setor quanto às capacidades de se planejar, de ampliar receitas e de prestar contas da despesas realizadas em projetos sociais. Esta segunda edição do Encontro tem como tema central Projetar o Futuro é Unir Competências.

Um dos cinco painéis da programação tratará de Transparência, Governança e Prestação de Contas, tendo como mediadora a presidente do CRCCE, Clara Germana Rocha e, como debatedora, a coordenadora da Comissão de Voluntariado da Classe Contábil, Cláurea Tavares.

(CRCCE)

Militares não precisam ficar inertes numa eventual situação de caos, diz ministro do STF

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (24):

Há um profundo mal-estar nos meios democráticos após as declarações ameaçadoras do general da ativa Antônio Hamilton Mourão, aventando a possibilidade de uma intervenção autônoma dos militares: “nós estamos numa situação de (…) ‘aproximações sucessivas’. Até chegar o momento em que ou as instituições solucionam o problema político, pela ação do Judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos os ilícitos, ou então nós teremos que impor isso”.

Ao contrário das notícias que o davam como contrariado com o subordinado, o comandante do Exército, general Eduardo Vilas Bôas, convalidou os conceitos deste a respeito da legalidade de uma ação militar autônoma, e afirmou que não o iria punir, em entrevista ao jornalista Pedro Bial, em seu programa de TV.

Acontece que, pelo artigo 142 da Constituição Federal, as Forças Armadas não podem tomar a iniciativa de intervenção na vida do País, a não ser quando convocadas por um dos três Poderes da República. Fora disso seria golpe, como fez questão de frisar o ministro do STF Marco Aurélio de Melo. “E isso precisa ser excomungado”, arrematou, em entrevista concedida à revista Conjur.

Mas, concedeu que os militares não precisam ficar inertes numa eventual situação de caos: “Caos é quando as policias militares não foram suficientes para segurar as ruas. Teria que ser uma situação conflituosa, de quase guerra civil, e havendo ineficácia das forças repressivas (…). Agora, é um ato extremo, só [cabível] quando não houver realmente como segurar. Mas não para combater a corrupção”. Esse é o entendimento dos que se pautam pela Constituição.

Para os segmentos democráticos é imperativo e urgente que o STF explicite a interpretação correta do Art.142 da Constituição Federal, que trata da intervenção militar, escoimando toda ambiguidade. Não cabe aos militares fazer essa interpretação. Pois um equívoco por parte de quem tem as armas na mão pode trazer uma nova tragédia à democracia brasileira. Há quem ache uma ingenuidade essa ponderação, diante da evidência histórica de que a força do direito pouco pode fazer diante do direito da força.

Mas, nesse caso, ao menos ficaria exposta a ilegalidade e o embuste. Portanto, cabe à OAB, ABI, CNBB e outras entidades da sociedade civil que lutaram pelo Estado Democrático de Direito, segundo os críticos, impetrar no STF o pedido de aclaramento público e definitivo do polêmico artigo, fechando brechas à ambiguidade.

É verdade que a sociedade brasileira, em sua expressão esmagadora, está indignada diante do descalabro ético que se acumulou ao longo de décadas no aparelho de estado brasileiro (inclusive antes e durante a ditadura, como confessou a Odebrecht e asseverou, em artigo, o empresário Ricardo Semler, ao se referir à Petrobras). Alguém se lembra dos casos Capemi, Coroa Brastel, Brasilinvest, Paulipetro, grupo Delfin, projeto Jari? É mito dizer que não havia corrupção durante a ditadura. Ela continuou nos governos democráticos e alcança sua máxima degradação após a destituição de Dilma Rousseff e a ascensão de uma “quadrilha” ao poder, segundo os autos da acusação.

Câmara conclui reforma política e discute denúncia contra Temer esta semana

O recebimento da denúncia contra o presidente Michel Temer pelos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça e a conclusão dos debates da reforma política dominarão a pauta da Câmara dos Deputados nesta semana. As sessões do plenário estão marcadas para começar a partir das 11h30 de terça-feira (26).

Até o momento, não há definição se a Câmara dividirá a denúncia e fará análises separadas. Isso porque a acusação do Ministério Público Federal também envolve os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha e da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco.

“O entendimento, a Secretaria-Geral da Mesa trará com solidez. A primeira impressão é de que é sim possível haver essa análise conjunta, e a solução que for dada pela Câmara dos Deputados terá acompanhada a questão dos ministros. A autorização da Câmara, é focada, no meu entender, na responsabilidade do presidente. Os ministros já podem ser investigados pelo Supremo Tribunal Federal”, disse o líder do DEM, deputado Efraim Filho.

Para começar a tramitação na Câmara, a denúncia entregue na noite da quinta-feira (21) precisa ser lida no plenário em sessão com quórum de pelo menos 51 deputados. Segundo o regimento interno, lida a denúncia, cabe ao primeiro-secretário da Câmara, deputado Giacobo (PR-PR) comunicar ao presidente Temer sobre o recebimento da denúncia. Paralelamente, a peça segue para análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

A expectativa do presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) é de que a votação no plenário aconteça no início de outubro. A expectativa do parlamentar é decidir sobre a denúncia “o mais rápido possível, mas respeitado o regimento”.

O presidente Michel Temer tem até dez sessões para apresentar a defesa na CCJ. Enquanto apresenta a defesa, o presidente da CCJ, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), deverá definir o relator da proposição. Após apresentação da defesa, a CCJ tem até cinco sessões para elaborar e votar o parecer, que poderá ser pela aceitação ou pelo arquivamento da denúncia. Independentemente da decisão da Comissão, a decisão final sobre a abertura de investigação contra o presidente da República cabe ao plenário da Câmara.

(Agência Brasil)

Coreia do Norte diz que sistema nuclear só será usado como “última opção”

A Coreia do Norte afirmou nesse sábado (23), na Organização das Nações Unidas (ONU), que está entrando na fase “final” do estabelecimento de um sistema nuclear que tem fins de defesa e só será utilizado como “última opção”.

“Estamos prestes a completar a nossa capacidade nuclear”, afirmou na Assembleia Geral da ONU o ministro de Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong Ho.

Ele informou que recentemente o seu país testou com sucesso uma bomba de hidrogênio que poderia ser montada em um míssil intercontinental, “como parte dos esforços para chegar ao objetivo de completar uma força nuclear”. Ri Yong não mencionou em que data o teste foi feito, mas poderia ser o realizado em 3 de setembro e considerado por especialistas como a bomba mais poderosa desde que o país deu início aos ensaios nucleares, em 2006.

O ministro disse que, para o seu país, este esquema procura ser um “elemento dissuasório” para evitar que os Estados Unidos possam realizar “uma invasão militar”. “O nosso objetivo é estabelecer um equilíbrio de poder com os Estados Unidos”, insistiu.

Em um discurso de cerca de meia hora, ele qualificou como “injustas” as sanções impostas pelo Conselho de Segurança da ONU pelos testes balísticos e nucleares da Coreia do Norte e disse que “é absurdo pensar” que com estas sanções seu país mudará de rumo sobre o tema.

(Agência Brasil)

Fortaleza está de volta à Série B

O Fortaleza conseguiu o acesso à Série B do próximo, na noite deste sábado (23), em Juiz de Fora, ao perder para o Tupi, por 1 a 0, mas foi beneficiado pelo resultado do jogo de ida, quando venceu o time mineiro, no Castelão, por 2 a 0.

A partida foi tensa, do início ao fim, principalmente depois que o Tupi marcou o gol, a sete minutos do final do jogo, além de mais quatro minutos de acréscimo.

Com defesas difíceis, o goleiro tricolor Marcelo Boeck foi o melhor jogador em campo.

Ceará vira pra cima do Brasil de Pelotas e mantém disputa pelo G4

Após encerrar o primeiro tempo sob vaias de sua torcida, quando deixou o Castelão na desvantagem no placar, por 1 a 0, gol de Misael, aos 40 minutos, quando o atacante do Brasil de Pelotas aproveitou um bate-rebate na área, o Ceará virou a partida na segunda etapa, com gols de Leandro Carvalho, aos 19 minutos, e Ricardinho, 10 minutos depois, com um golaço por cobertura.

Com o encerramento da 25ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, o Ceará encostou no G4, com 41 pontos, um ponto a menos que o Vila Nova, que ocupa a quarta posição na tabela de classificação.

Na terça-feira (26), o Ceará volta a campo no estádio do Arruda, diante do Santa Cruz.

SÉRIE C

Pelo mata-mata da Série C, o Fortaleza segue empatando com o Tupi, em 0 a 0, em partida ainda no primeiro tempo. Mais cedo, o Sampaio Corrêa garantiu acesso à Série B do próximo ano, ao empatar em São Luís, em 1 a 1, diante do Volta Redonda.

Angela Merkel se aproxima da quarta vitória nas eleições legislativas alemãs

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, está cada vez mais próxima de sua quarta vitória eleitoral, enquanto seu principal oponente deste domingo (24), o social-democrata Martin Schulz, tenta dar um perfil próprio ao seu partido, que nos últimos quatro anos integrou a grande coalizão de governo.

As últimas pesquisas preveem entre 36% e 37% de votos para a aliança conservadora formada pela União Democrata-Cristã (CDU), de Merkel, e a União Social-Cristã (CSU) da Baviera, abaixo dos resultados de 2013, mas entre 13 e 17 pontos percentuais à frente do Partido Social Democrata (SPD).

A disputa real está pelo terceiro lugar, pelo qual brigam o Partido Liberal, que não conseguiu superar a cláusula de barreira de 5% de votos em 2013; a Alternativa para a Alemanha (AfD), que pretende ser o primeiro partido de ultradireita da história a entrar no Bundestag (câmara baixa do Parlamento); e as legendas A Esquerda e Os Verdes.

Os 12 anos à frente do governo e uma legislatura marcada pela crise dos refugiados, com a chegada de cerca de 1,3 milhão de solicitantes de asilo ao país, parecem não ter abalado o poder de Merkel, que continua liderando as pesquisas.

O mandato prestes a terminar ficará marcado por leis como as que introduziram o salário mínimo interprofissional e a diminuição da idade de aposentadoria para determinadas categorias, propostas social-democratas que Merkel assumiu sem complexos e que podem inclusive lhe valer pontos em detrimento do SPD.

Na última sessão com projetos legislativos na ordem do dia, a chanceler votou “não” ao casamento homossexual defendido pelos social-democratas, mas pouco depois, com a lei aprovada, afirmou se sentir satisfeita com a nova situação.

(Agência Brasil)

Zezinho Albuquerque reforça contatos no Interior de olho na vice de Camilo Santana

O presidente da Assembleia Legislativa, Zezinho Albuquerque (PDT), só pensa mesmo naquilo:  sair candidato a vice na reeleição do governador Camilo Santana (PT) em 2018.
O homem está tão decidido que, além do programa de combate às drogas que leva ao Interior, estreita, cada vez mais, seus contatos com lideranças do Interior.,
Nesta semana, recebeu várias lideranças como os ex-prefeitos Jurandir Fonteles (Moraújo) e Divaldo Soares (Viçosa do Ceará)Também o prefeito de Moraújo, Áquila Cunha (PDT).
Ciro e Cid Gomes deixam Zezinho à vontade. Camilo Santana, até agora, nada comentou a respeito da composição de sua chapa. Por enquanto, trabalha para reforçar sua imagem.
(Foto – Arquivo)

Inácio Arruda aguarda a passagem da carruagem eleitoral

O ex-senador Inácio Arruda, hoje secretário da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do governo de Camilo Santana pode disputar mandato em 2018.

O PCdoB não quer abrir mão do legado político de Inácio que, com a decisão de Chico Lopes de postular reeleição ao Senado, teria como futuro postular vaga de deputado estadual.

Inácio, que até chega a ser lembrado para disputar de novo o Senado, adotou, no momento, aquela postura de fingir-se de morto e aguardar a passagem da carruagem.

Temer vai lançar programa para que famílias deixem o Bolsa Família

Na próxima semana o presidente Michel Temer deverá lançar um novo programa social, cujo objetivo é elevar a renda de 1 milhão de famílias para que elas possam deixar o Bolsa Família em 2 anos.

O nome é sugestivo: Progredir, que oferecerá cursos de qualificação profissional, ajudará na seleção de oportunidades de trabalho e disponibilizará R$ 3 bilhões em microcrédito para famílias de baixa renda, inscritas no Cadastro Único dos programas sociais do governo federal, explicou Terra.

Bipolaridade de amor e ódio com Lula desgasta Ciro

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (23), pelo jornalista Érico Firmo:

Ciro Gomes (PDT) ressurgiu como alternativa presidencial na esteira das incertezas sobre a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Astuto, percebeu que havia filão eleitoral e tanto de centro-esquerda na oposição a Temer. Tentou surfar nesse segmento. Até agora, não decolou.

Ciro disputa eleições há 35 anos. Tantas quanto Lula, mais que Aécio Neves (PSDB), Bolsonaro, Marina Silva (Rede)… Não convence muito como “novo”. A bipolaridade de amor e ódio com Lula e o PT também não ajuda. Desgasta a imagem tanto com simpatizantes quanto com quem odeia os petistas.

Izolda Cela para suplente de senador?

O maridão Veveu Arruda (PT) e sua Izolda.

A vice-governadora Izolda Cela pode até não pensar em mandato ano que vem, mas, para algumas lideranças do seu PDT e da área de influência do governador Camilo Santana, ela não pode ficar excluída do processo.

Há setores querendo que Izolda ocupe uma das vagas de suplência de senador. Se Cid Gomes for mesmo consolidado para essa disputa, teria Izolda nessa condição, defendem alguns pedetistas.

(Foto – Balada In)