Blog do Eliomar

Últimos posts

Enem 2019 – Inscrições começam a partir das 10 horas desta segunda-feira

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 começam, a partir das 10 horas (no horário de Brasília) desta segunda-feira, e podem ser feitas até o dia 17, exclusivamente pela internet, por meio da Página do Participante. As provas estão marcadas para os dias 3 e 10 de novembro (dois domingos consecutivos). A taxa de inscrição custa R$ 85 e deve ser paga até o dia 23 de maio, de acordo com o cronograma do exame.

O participante terá até o dia 17 de maio para atualizar dados de contato, escolher outro município de provas, mudar a opção de língua estrangeira e alterar atendimento especializado e/ou específico. Depois dessa data, nenhuma informação poderá ser alterada.

O candidato que precisar de atendimento especializado e específico deve fazer a solicitação durante a inscrição. O prazo para pedidos de atendimento por nome social vai de 20 a 24 de maio.

Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir ainda este ano pode utilizar as notas no Enem, por exemplo, em programas de acesso à educação superior, de bolsas de estudo ou de financiamento estudantil.

A prova também pode ser feita pelos chamados treineiros – estudantes que vão concluir o ensino médio depois de 2019. Neste caso, os resultados servem somente para autoavaliação, sem possibilidade de concorrer efetivamente às vagas na educação superior ou para bolsas de estudo. Esses participantes devem declarar ter ciência disso já no ato da inscrição.

Isenção

Mesmo quem solicitou a isenção da taxa precisa se inscrever. Estudantes que entraram com recurso relacionado ao pedido de isenção já podem verificar o resultado. As informações foram divulgadas na quinta-feira (2) no Sistema Enem. É necessário fazer login para acessar o resultado.

(Com Agência Brasil)

Editorial do O POVO – “Um apelo ao ministro da Educação”

Com o título “Um apelo ao ministro da Educação”, eis o Editorial do O POVO desta segunda-feira:

O quadro é de justificada aflição entre os gestores das instituições públicas federais de ensino superior, em todo o País, com o bloqueio anunciado de 30% do orçamento previsto para o exercício financeiro de 2019. É impossível colocar em prática uma rearrumação emergencial que adeque as necessidades cotidianas a um corte de tal magnitude, o que torna real o risco de termos um sistema de ensino público inviabilizado, mantidas as circunstâncias, a partir de um período determinado do ano.

No caso do Ceará, de acordo com material assinado ontem pelo repórter Henrique Araújo, a perda chega, somada, a R$ 108 milhões em quatro instituições: UFC, IFCE, Unilab e UFCA. Um ambiente já marcado por carências e por verbas insuficientes, torna-se ainda mais desafiador a partir de decisões tomadas sem critérios claros e objetivos e dentro de uma lógica financeira linear insustentável à mais rasa das apreciações de caráter técnico que se faça.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, pode ter suas convicções pessoais e suas críticas à forma como funciona hoje o sistema público de ensino superior no Brasil. É natural que projete, com a equipe, mudanças para adequá-lo àquilo que pensa ser o mais correto, desde que seja capaz de entender que ações bruscas e com potencial objetivo de inviabilizar as instituições vão de encontro à expectativa da sociedade, ideologias e conceitos políticos à parte. Lembre-se que apenas no caso da UFC, voltando ao exemplo cearense, são 108 cursos de graduação, outros 123 de pós-graduação e uma comunidade total diretamente envolvida, contando-se apenas alunos, professores e servidores, superior a 32 mil pessoas.

É obrigação do ministro, mais do que apenas um direito, zelar pela aplicação rigorosa de todo recurso destinado à educação, garantindo-lhe a busca do objetivo de reverter números trágicos que o País apresenta no setor. Uma realidade que até justifica o anseio de mudança que Abraham Weintraub demonstra, porque não é uma responsabilidade objetiva dele e do governo ao qual serve, mas, em qualquer circunstância, os passos nesse sentido precisam ser calculados, sob risco de, ao contrário da intenção, agravar um quadro já crítico nas circunstâncias atuais.

O governo e o ministro precisam demonstrar capacidade de ouvir vozes contrárias, considerando os aspectos técnicos da crítica e aceitando discutir ponderações sobre os efeitos nefastos de medidas radicais sobre o sistema de ensino público superior. Suspender o bloqueio orçamentário imposto às instituições atingidas e abrir um amplo debate com a sociedade seria um gesto de inteligência e de disposição de Weintraub e equipe para unir forças em torno da luta pela melhoria do ensino que as universidades em questão oferecem à população brasileira.

(Editorial do O POVO/Foto – Presidência da República)

Carro cai num buraco em via do Montese

236 3

Há várias semanas que moradores da rua Moacir Matos, no bairro Montese, apelavam por recuperação de buraco nessa via. Começpou pequeno e virou cratera, ao ponto de ser sinalizado com algumas estacas.

Só que na madrugada desta segunda-feira, motorista deste Fiat Vivace não observou os alertas e o carro acabou assim: com a frente enfiada na cratera.

A Polícia Militar esteve no local, mas não encontrou o motorista que, sem dúvida, tem motivos de sobra para tentar exigir reparações por parte do Município.

(Foto – Leitor do Blog)

Camilo fecha em São Paulo investimento com multinacional

214 1

O governador Camilo Santana (PT) inicia esta semana em São Paulo.

Ali, terá encontro com o presidente global de uma multinacional que deverá anunciar um investimento de peso no Ceará. O Palácio da Abolição não dá mais detalhes. Ele deve anunciar ainda, nas próximas horas, o investimento. Há expectativas de uma nova indústria.

Na parte de tarde, ainda na Capital paulista, o governador participará de reunião com empresários na Câmara Brasil-Espanha. Ele falará para esse grupo sobre oportunidades de negócios no Ceará, principalmente na área das energias renováveis

Camilo retornará no começo da noite para a Capital cearense.

(Foto – Divulgação)

Senado pede reciprocidade da Câmara na votação de propostas

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), prepara uma lista de propostas já aprovadas na Casa que não avançaram na Câmara. A ideia, segundo o parlamentar, é reunir até 30 matérias e pedir que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), inclua as propostas na pauta, em nome da reciprocidade. “Os senadores estão cobrando, com legitimidade, o princípio da reciprocidade: que a Câmara possa também fazer uma pauta de votação de matérias que o Senado já encaminhou e que não são pautadas”, disse Alcolumbre.

A lista de projetos do Senado com tramitação prioritária na Câmara dos Deputados foi proposta pelos líderes da Casa. Na lista, há desde penas mais duras para crimes ambientais a diretrizes nacionais para o combate ao diabetes.

O Projeto de Lei (PL) 550/2019, considerado uma resposta do Senado ao rompimento da Barragem em Brumadinho (MG), está na lista. O texto torna mais rígida a responsabilização civil, penal e administrativa das mineradoras, além de estabelecer multas de R$ 10 mil a R$ 10 bilhões para crimes ambientais — o valor varia conforme a extensão do dano e do potencial econômico do infrator.

A multa, quando aplicada, deverá ser revertida obrigatoriamente à região afetada. O texto também classifica como hediondo o crime de poluição ambiental quando resultar em morte, o que permite o aumento da pena em até quatro vezes. Na Câmara, a matéria será tema de uma comissão especial, ainda não constituída, antes de seguir para o Plenário da Casa.

Outra proposta que integra a lista é o PDS 61/2018, aprovado em junho de 2018, que autoriza a venda de etanol diretamente do produtor aos postos de combustíveis. De autoria do senador Otto Alencar (PSD-BA), o projeto foi uma resposta às reivindicações de caminhoneiros que organizaram uma greve em todo o país. Na Câmara, o texto precisará passar pelas comissões de Minas e Energia (CME) e de Constituição e Justiça (CCJ) antes de ir a Plenário.

O Projeto de Lei da Câmara (PLC) 133/2017, aprovado no início de março, cria a Política Nacional de Prevenção do Diabetes, a ser adotada pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O projeto teve origem na Câmara, recebeu emendas no Senado. Agora, essas alterações precisam ser confirmadas pelos deputados.

Basicamente, nesse caso, os senadores retiraram do texto obrigações já previstas em lei como menções ao direito às medicações e aos materiais de monitoramento da doença e a obrigatoriedade de exames de glicemia e de teor de açúcar em pronto-atendimentos e triagens, já feitos pelo SUS.

(Agência Brasil)

Em Cascavel, oposição ganha a Prefeitura

A oposição ganhou as eleições suplementares de Cascavel (Litoral Leste), nesse domingo. O candidato Tiago Ribeiro, da chapa Pra fazer Diferente (PPS/PATRI/PR/PT/PCdoB), foi eleito para a Prefeitura. Com 100% das urnas apuradas, ele venceu com 41,80% dos votos válidos (16.558). Três candidatos disputaram o pleito.

A candidata Paulinha Dantas (PTB) ficou em segundo lugar, com 31,41% dos votos (12.441). Em terceiro, veio Zé de Lima (PV) com 26,78% (10.609). O resultado dos votos brancos e nulos são 2,67% (1.162) e 6,26% (2.722), respectivamente.

Confira

1°. Tiago Ribeiro (PPS) – 41,80% (16.558 votos)

2°. Paulinha Dantas (PTB) -31,41% (12.441 votos)

3°. Zé de Lima (PV) – 26,78% (10.609 votos)

Nulos – 6,26% (2.722 votos)

Brancos – 2,67% (1.162 votos)

DETALHE – Esse novo pleito se deveu à cassação dos mandatos da prefeita Francisca Ivonete e do vice-prefeito Waltemar Matias de Sousa, ambos filiados ao PDT. O Tribunal Regional Eleitoral  responsabilizou os dois pela contratação excessiva de servidores temporários, por contratos fraudulentos de estagiários, pela utilização de veículos de transporte escolar na campanha eleitoral e por repasse irregular de verbas para associações.

(Foto – Facebook)

Benito di Paula e Wadonys encantam publico no Teatro RioMar

Quem foi ao show de Benito di Paula, nessa noite de domingo, no Teatro RioMar Papicu, saiu mais do que feliz.

Além de curtir os grandes sucessos do artista, conferiu ele fazendo dupla com o cearense Waldonys. Os dois dividiram o sucesso “Aquela sanfona branca”, uma homenagem de Benito a Luiz Gonzaga.

O público, que lotou o teatro, adorou esse encontro de dois nomes de responsa da MPB.

(Foto – D. Moura)

Ferrão goleia o Santa Cruz e assume liderança do Grupo A da Série C

O Ferroviário assumiu a liderança do Grupo A da Série C do Campeonato Brasileiro, na noite deste domingo (5), ao golear o Santa Cruz, por 3 a 0, no Castelão. Lucas, Léo Jaime e Caetano marcaram os gols da vitória coral.

No próximo domingo (12), o Ferrão vai a Recife, onde enfrenatrá o Náutico, quarto colocado na tabela de classificação.

(Foto: Reprodução)

Bolsonaro rejeita regulamentação da mídia no Brasil

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afastou qualquer possibilidade de fazer uma regulamentação da mídia no país. Ele, inclusive, citou as redes sociais como veículo de mídia excluído de possibilidade de regulação.

“Em meu Governo a chama da democracia será mantida sem qualquer regulamentação da mídia, aí incluída as sociais”, disse o presidente em sua conta no Twitter, hoje (5).

A regulação da mídia chegou a ser tema de discussões em 2015, no governo da ex-presidente Dilma Rousseff. À época, o governo entendia que a medida democratizaria a comunicação e combateria oligopólios e monopólios no setor. O debate, no entanto, não foi à frente.

(Agência Brasil)

Fortaleza não segura bom ritmo de jogo e perde para o Botafogo

Quem viu o ritmo de jogo do Fortaleza, diante do Botafogo, no início do primeiro tempo, no Estádio Olímpico Nilton Santos, na tarde deste domingo (5), no Rio de Janeiro, inclusive com bola na trave, logo aos 7 minutos, não imaginaria que a equipe cearense logo perderia o pique e passaria a ter o goleiro Felipe Alves como o grande nome da partida.

Após duas grandes defesas, o goleiro do tricolor cearense, no entanto, não conseguiu evitar o gol da vitória do Botafogo, o único da partida, marcado por Alex Santana, aos 13 minutos da segunda etapa, depois de aproveitar a rebatida de mais uma grande defesa de Alves.

O Fortaleza ainda reclamou um pênalti sobre Wellington Paulista, no fim do primeiro tempo, mas o árbitro Wagner Reway (Fifa/MT) consultou o VAR e manteve a normalidade da jogada.

No próximo domingo (12), o Fortaleza recebe o São Paulo, no Castelão.

Pela Série C, o Floresta empatou com o Santa Cruz de Natal, em 1 a 1, na capital potiguar.

(Foto: Reprodução)

A remissão pelo trabalho

Editorial do O POVO deste domingo (5) aponta que torna-se urgente buscar saídas de possibilitem uma nova oportunidade a quem se encontra encarcerado, principalmente pelo trabalho e pelo estudo. Confira:

A população carcerária vem crescendo no Brasil nos últimos anos, com os presídios brasileiros abrigando mais de 700 mil presos. Dos detentos, as mulheres representam mais de 42 mil dos encarcerados, com o seguinte perfil: 62% são negras, 74% são mães e apenas 11% delas completou o ensino médio. A metade dos encarcerados, computando-se homens e mulheres, é constituída por jovens entre 18 e 29 anos de idade. Os dados são do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen), pesquisados (junho 2016).

Tendo em vista essa situação dramática, torna-se urgente buscar saídas de possibilitem uma nova oportunidade a quem se encontra encarcerado. Já existem bons exemplos de que é possível, principalmente pelo trabalho e pelo estudo, recuperar e reintegrar à sociedade pessoas que tenham cometido algum tipo de delito.

Assim, são sempre bem-vindas iniciativas que deem alguma perspectiva para quem se encontra privado da liberdade. Esse é o caso do projeto piloto “Cadeias Produtivas”, que está sendo implementado pelo governo do Estado do Ceará no Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura (IPF). É o primeiro programa do gênero, após a aprovação da lei estadual que concede benefícios fiscais a empresas que instalarem linhas de produção dentro de presídios.

Já estão atuando no IPF as empresas Mallory, produzindo ventiladores e a Ypióca, com a confecção de embalagens para bebidas. Conforme previsto na Lei de Execuções Penais, as internas receberão 75% do salário mínimo, além da remissão de pena de um dia a cada três dias trabalhados. A Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) diz que trabalha para atrair novas empresas para o projeto.

No entanto, apesar de a Mallory e a Ypióca já terem iniciado o processo de produção no IPF, o projeto ainda depende de regulamentação. O que se espera é que a burocracia não venha a ser um obstáculo a dificultar que internos do sistema penitenciário tenham a oportunidade de obterem alguma renda, ao mesmo tempo em que ganham o benefício da redução da pena a que foram condenados.

Maestro cearense faz campanha para lançar CD no sul do país

Com mais de meio século de carreira, o maestro cearense Luciano Franco iniciou campanha de financiamento coletivo para o lançamento de seu novo disco, “Sonho ou Canção”, por meio de shows no Rio de Janeiro e em São Paulo, com a participação de músicos como Roberto Menescal, mestre da bossa nova, e Arismar do Espírito Santo, um dos maiores nomes da música instrumental.

As contribuições para a campanha podem ser feitas por meio do site benfeitoria.com/sonhooucancao, quando a pessoa poderá receber CD autografado, posters, partituras, arranjos para músicas de autoria do participante até shows.

Luciano Franco tem toda uma vida dedicada à música, tendo acompanhado nomes como Dominguinhos, Clara Nunes, Cauby Peixoto e Doris Monteiro.

(Foto: Arquivo)

O BNB nas mãos de um desestatizador

Da Coluna Guálter George, no O POVO deste domingo (5):

O ofício com timbre do ministério da Economia apresentado como um troféu há alguns dias pelo deputado federal e coordenador da bancada cearense no Congresso, Domingos Neto (PSD), pode não ser assim tão poderoso como parecia, inicialmente, na condição de instrumento capaz de tranquilizar quem anda perdendo o sono em relação ao futuro do Banco do Nordeste (BNB). De fato, ali está o autógrafo do prestigiado Paulo Guedes e está dito que não há planos de privatizar a instituição. E pronto. E só.

O entusiasmo com a situação é, por enquanto, muito particular do coordenador da bancada. Nenhuma outra voz de parlamentar apresentou-se para se dizer despreocupado agora que o documento apareceu, a despeito de ser a primeira manifestação oficial onde se demonstra possível posicionar, com alguma informação mais concreta, Paulo Guedes e BNB dentro de uma mesma frase. O maior problema é que de viva voz, de público mesmo, mantém-se o silêncio que predomina desde quando a era Bolsonaro se iniciou, em meio a muitas dúvidas e incertezas acerca de como a região é pensada pela turma nova que passou a tocar a economia. Este é o grande problema que inibe maiores comemorações pelo episódio.

Um aspecto que chama a atenção é que quem envia o ofício à Câmara, mesmo que no papel também conste a assinatura de Guedes, é o secretário especial de Desestatização e Desinvestimento, Salim Mattar. Exatamente o único integrante da equipe do ministro da Economia com quem o presidente do BNB, Romildo Rolim, se encontrou desde quando o governo Bolsonaro começou. Para ser mais exato, foram seis reuniões agendadas até o momento entre os dois.

Fica a dúvida: por que Guedes escalou como seu interlocutor para as conversas com o BNB o assessor direto que cuida do que precisa ser desestatizado ou desinvestido dentro da máquina federal? Este mesmo Mattar, deve-se relembrar, outro dia falou nos planos da equipe econômica de manter distante das privatizações apenas a Petrobras, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. “E só”, disparou, numa manifestação que, na nossa mania de absorver determinadas informações de uma forma nordestinamente própria, soou como uma ameaça ao futuro do BNB como instância pública. Ao contrário do que manifesta o governo no tal documento de aparente natureza tranquilizadora direcionado aos deputados nordestinos, através dos seus representantes que o assinam. É por isso que faz muito sentido que a dúvida continue a tirar o sono de muita gente.

Inscrições para o Enem 2019 começam nesta segunda-feira

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 começam amanhã (6), às 10h (no horário de Brasília), e podem ser feitas até o dia 17, exclusivamente pela internet, por meio da Página do Participante. As provas estão marcadas para os dias 3 e 10 de novembro (dois domingos consecutivos).

A taxa de inscrição custa R$ 85 e deve ser paga até o dia 23 de maio, de acordo com o cronograma do exame.

O participante terá até o dia 17 de maio para atualizar dados de contato, escolher outro município de provas, mudar a opção de língua estrangeira e alterar atendimento especializado e/ou específico. Depois dessa data, nenhuma informação poderá ser alterada.

O candidato que precisar de atendimento especializado e específico deve fazer a solicitação durante a inscrição. O prazo para pedidos de atendimento por nome social vai de 20 a 24 de maio.

Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir ainda este ano pode utilizar as notas no Enem, por exemplo, em programas de acesso à educação superior, de bolsas de estudo ou de financiamento estudantil.

A prova também pode ser feita pelos chamados treineiros – estudantes que vão concluir o ensino médio depois de 2019. Neste caso, os resultados servem somente para autoavaliação, sem possibilidade de concorrer efetivamente às vagas na educação superior ou para bolsas de estudo. Esses participantes devem declarar ter ciência disso já no ato da inscrição.

Isenção

Mesmo quem solicitou a isenção da taxa precisa se inscrever. Estudantes que entraram com recurso relacionado ao pedido de isenção já podem verificar o resultado. As informações foram divulgadas na quinta-feira (2) no Sistema Enem. É necessário fazer login para acessar o resultado.

Estudo

Para reforçar o conhecimento dos candidatos, a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) oferece várias estratégias gratuitas, como o Questões Enem, no qual os estudantes têm acesso a um atualizado banco de dados que reúne provas de 2009 até 2018. O site permite a resolução das questões online, com o recebimento do gabarito.

Já pelo perfil EBC na Rede, é possível acompanhar a série Caiu no Enem. O desafio é responder no fim de semana à questão publicada na sexta-feira. Na segunda-feira, um professor responde ao questionamento. A série fica até a semana que antecede ao exame de 2019. Para ter acesso aos vídeos com as respostas, basta se inscrever no canal youtube.com/ebcnarede.

(Agência Brasil)

Banco Central define na quarta-feira se mantém Selic em 6,5%

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) faz na próxima terça-feira (7) a terceira reunião de 2019 para definir a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,5% ao ano. Na quarta-feira (8), após a segunda parte da reunião, será anunciada a taxa.

Instituições financeiras consultadas pelo BC preveem que a Selic deve permanecer este ano no atual patamar. LINK

O Copom reúne-se a cada 45 dias. No primeiro dia da reunião, são feitas apresentações técnicas sobre a evolução e as perspectivas das economias brasileira e mundial e o comportamento do mercado financeiro. No segundo dia, os membros do Copom, formado pela diretoria do BC, analisam as possibilidades e definem a Selic.

O Banco Central atua diariamente por meio de operações de mercado aberto – comprando e vendendo títulos públicos federais – para manter a taxa de juros próxima ao valor definido na reunião.

A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada em negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic).

A manutenção da Selic no atual patamar, como prevê o mercado financeiro, indica que o Copom considera as alterações anteriores nos juros básicos suficientes para chegar à meta de inflação, objetivo que deve ser perseguido pelo BC.

Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo. Entretanto, as taxas de juros do crédito não caem na mesma proporção da Selic. Segundo o BC, isso acontece porque a Selic é apenas uma parte do custo do crédito.

Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação. Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

A meta de inflação, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%, neste ano.

Histórico

De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa Selic foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% em julho de 2015. Nas reuniões seguintes, a taxa foi mantida nesse patamar.

Em outubro de 2016, foi iniciado um longo ciclo de cortes na Selic, quando a taxa caiu 0,25 ponto percentual para 14% ao ano. Esse processo durou até março de 2018, quando a Selic chegou ao seu mínimo histórico, 6,5% ao ano, e depois disso foi mantida pelo Copom nas reuniões seguintes.

(Agência Brasil)

Quem quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade

1388 51

Em artigo que ganhou as redes sociais, a psicóloga Mônica Raouf El Bayeh critica o que considera um incentivo à prostituição e ao turismo sexual, após declaração do presidente Bolsonaro. Confira:

Quem quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade, disse Bolsonaro, o presidente. A princípio pensei ser fake. Não era. Com a alma enojada preciso desabafar.

Sr Presidente,

Não sei se é do seu conhecimento, mas ser mulher, no Brasil, já era difícil o suficiente sem a sua ajuda.

Somos o quinto país em mortes violentas de mulheres no mundo. A cada duas horas, uma mulher é assassinada. Fora o crescimento da quantidade de casos de estupro.

Um total de onze mil novecentos e cinquenta casos por ano. Pelo menos trinta e dois casos de estupro por dia, fora as mulheres que, por vergonha, não procuram a delegacia.

A gente tem medo. Medo de não voltar. Medo de andar na rua. Medo dos transportes lotados. Medo dos olhares invasivos e das atitudes abusivas dos homens sem noção.

Já somos olhadas como objeto. Como seres inferiores com a única função de servir. Simples objeto de prazer deles. Somos vistas como corpos sem dono. Eles acham que podem falar o que quiserem, apalpar o que decidirem, gozar se tiverem vontade. Sem nosso consentimento.

Agora, como se a realidade já não fosse perigosa o suficiente, para piorar, vem o presidente do país convidando os homens a virem se aproveitar da gente?

– Quem quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade.

Fique à vontade? Que isso? O país foi transformado num imenso puteiro? É um claro incentivo à prostituição. A gente é o que para ser oferecida dessa forma? Sua fala é nojenta. É constrangedora. Apesar desse tipo de declaração sua não me surpreender, sinto vergonha alheia da sua pessoa.

Sou mulher. Sou brasileira. Estudei. Trabalhei e trabalho pelo meu sustento. Eduquei meus filhos para que sejam honestos e sem preconceitos. Não estou à disposição de homem nenhum que queira fazer sexo. A não ser que eu assim decida e escolha.

Meu corpo, meu desejo, meus direitos. Fique à vontade? Fique à vontade uma pinoia. Fique à vontade coisa nenhuma. Não sei com que tipo de mulheres o senhor convive, mas certamente, não faço parte desse cardápio. Como mulher e como ser humano, exijo respeito.

O Brasil não pode ser conhecido como turismo gay? E como país de prostituição pode? Está nos oferecendo em troca de que? Quando foi que meu corpo virou moeda de troca?

Turismo gay, presidente, é dinheiro garantido entrando no país. Gays são criativos, divertidos, animados . Qual é o seu problema?

Não quer turismo gay porque” temos famílias”? Só para esclarecer, rapidinho, todo mundo tem família. Homens, mulheres, gays, trans, ricos e pobres, de toda cor. Ninguém nasceu de chocadeira. Família todo mundo tem.

Falando sobre famílias, olhe bem para a sua antes de julgar a dos outros. Quantas mulheres já teve? Quantos filhos de cada casamento? Brigas, traições, processos, fraquejada. Só porque é sua, serve? Isso é a família tradicional? Seu histórico depõe contra sua pessoa.

Família é ninho. É quem acolhe. Onde se chega quando a asa cansa. Onde se chora e recebe abraço para confortar. Família é isso. Como é formada? Como puder. Como cada um quiser. Duas mães, dois pais, uma mãe solo, uma mãe e uma avó. Sei lá. Não importa e não é da sua conta.

A massa quer uma tendência tradicional, o senhor diz. Grande engano. A massa está se lixando para isso. A massa quer trabalho digno. Quer ser respeitada em seus direitos. Quer comer sem ser envenenada com agrotóxicos.

A massa quer segurança. Quer o direito de pensar, questionar. Quer saúde. A massa quer respeito. Que não metam a mão ao dinheiro dos seus impostos. Que parem de usar laranjas, funcionários fantasmas e empregar amigos e parentes.

A massa está de saco cheio da destruição da educação pública. Dessa corrupção que corre solta e dessa justiça injusta na qual ela já não acredita mais. Das ameaças de acabar com faculdades importantíssimas como filosofia e sociologia. Do descaso com tudo o que é público.

Sem falar no fim do EJA (educação para jovens adultos que trabalham durante o dia e só podem estudar de noite). A massa enxerga essa tentativa de emburrecimento da população. A massa está calejada de só perder direitos.

Fiquem à vontade? Incentivar, de cara limpa, o turismo sexual no país é de uma falta de ética, de moral e de senso sem tamanho.

Não é à toa que as taxas de criminalidade com a mulher aumentaram este ano. Parece haver um certo ar de agora pode tudo. Não pode, não. Não estamos à disposição de quem quiser vir. E merecemos, sim, desculpas.

Porque um presidente tem que ter postura e respeito à TODA a população. Tem que saber o que fala. E as consequências que isso pode causar. O povo espera desculpas. É o mínimo que pode acontecer.

Mônica Raouf El Bayeh

Professora e psicóloga clínica. Especialista em atendimento a crianças, adolescentes, adultos, casais e famílias. Perita judicial

Usuários denunciam pane nos horários da Linha Sul do Metrofor

Usuários do Metrofor reclamam das panes que têm ocorrido na Linha Sul. Segundo o jornalista Haroldo Barbosa, na sexta-feira (3), o atendimento parou por quase uma hora.

De acordo ainda com o jornalista, as estações não oferecem nenhuma condição de conforto aos usuários.

“É um desrespeito aos usuários. A estação é subterrânea e tem péssima ventilação. Calor e desconforto”, lamentou Haroldo Barbosa, na estão José de Alencar, no Centro.

(Foto: Leitor do Blog)