Blog do Eliomar

Últimos posts

TSE promove mudanças em seu site para prevenir contra ataques cibernéticos

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai promover mudanças em seu site institucional na internet, entre as 18h desta sexta-feira (5) e as 8h da próxima segunda (8), em resposta ao crescimento exponencial de demandas de acesso que costuma ocorrer às vésperas das eleições.
A ação integra um conjunto de iniciativas adotadas pelo tribunal para aumentar a segurança dos sistemas utilizados pela Justiça Eleitoral – em especial, os de totalização dos votos e divulgação de resultados.

Segundo Cristiano Andrade, coordenador de Infraestrutura da Secretaria de Tecnologia da Informação do TSE, a medida tem caráter preventivo, haja vista o esperado volume de ataques cibernéticos que possam acontecer no dia do pleito.
“Historicamente, as tentativas de invasão à rede de computadores da Justiça Eleitoral crescem à medida que se aproxima o dia do primeiro e segundo turno das eleições”, explica. Segundo Cristiano, no fim de semana do primeiro turno das eleições gerais de 2014, o TSE recebeu 200 mil ataques de negação de serviço (DDoS) por segundo.

Além desse método, são comuns investidas e ações de exploração de vulnerabilidades como defacement (pichação de sites), proliferação de cavalos de Troia (programas que abrem portas no sistema para conexões externas indevidas), phishing(captura de dados e senhas) e ‘SQL injection’ (inserção de comandos em bancos de dados por meio da internet).

Com a configuração a ser adotada a partir desta sexta, os sites do TSE e dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) vão operar apenas com as aplicações de maior relevância para o usuário, como consultas aos locais de votação, situação eleitoral, candidaturas e justificativa eleitoral.

(Com TSE)

Constituição de 1988 – 30 Anos

Com o título “Constituição de 1988: 30 anos”, eis o Editorial do O POVO desta sexta-feira:

Há exatos 30 anos, num dia como hoje, ecoavam as palavras enfáticas e eletrizantes do deputado Ulysses Guimarães: “Declaro promulgada. O documento da liberdade, da dignidade, da democracia, da justiça social do Brasil. Que Deus nos ajude para que isso se cumpra!” Era a Constituição de 1988 (a 7ª depois da Independência em 1822), que passava a reger a vida da Nação depois da longa noite de arbítrio proporcionada pela ditadura civil/militar inaugurada pelo golpe de estado de 1964, que depusera o presidente constitucional João Goulart, rasgara a Constituição de 1946 e pusera fim ao Estado Democrático de Direito.

A nova Carta (feita como as demais para definir as regras do jogo pelas quais a sociedade deveria se conduzir daí para frente) traduziu o pacto social arduamente obtido a partir da correlação de forças existente ao fim da ditadura, que garantiu o maior interregno democrático vivido pelo País, em toda a sua turbulenta história institucional

A raiz desse sucesso relativo deveu-se à sua ancoragem na soberania popular, nos direitos fundamentais da pessoa humana, na justiça social, na defesa do meio ambiente, da soberania nacional e na abertura de espírito para as novas realidades culturais. Isso permitiu, até enquanto foi mantida a integridade de seus compromissos fundantes, criar as condições para a eclosão de um País democrático, tolerante, autoconfiante e pluralista, enquanto buscava resolver suas mazelas sociais recalcitrantes e os caminhos do desenvolvimento (ressalte-se que isso ficou muito comprometido depois de 2016).

Infelizmente, a pressão pelas mudanças no status quo foi reativando simultaneamente resistências aninhadas nos recônditos de uma estrutura avessa à mudança e aos deslocamentos do poder real. O próprio pacto social, traduzido na nova Constituição, trouxe ambivalências notórias, como a falta de autocrítica das forças que haviam bancado a ruptura institucional de 1964.

Assim, tão logo foi possível começar a desbastar a nova Carta, pelas forças inconformadas, isso logo se iniciou. Além de se travar a regulamentação da democracia participativa – uma antevisão vanguardista das novas roupagens institucionais da democracia no século XXI – as constantes emendas (mais de uma centena) à Constituição – aceleradas nos últimos dois anos – completaram o seu esvaziamento. Resta cerrar fileiras em torno do que sobrou da Constituição de 1988 e iniciar um forte movimento para cauterizar suas feridas e restabelecer sua face original. Sobretudo, reforçar seu princípio fundante: “Todo poder emana do povo, que o exerce através de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”. Jamais o esqueçamos.

(Editorial do O POVO)

Se ganhar as eleições, Bolsonaro visitará Trump antes da posse

Se ganhar as eleições presidenciais, Jair Bolsonaro (PSL) vai fazer uma série de gestos aos Estados Unidos.

Segundo informação da Veja, antes mesmo da posse, ele já avisou que quer visitar o presidente Donald Trump e anunciar duas medidas: a derrubada do visto para turistas americanos e uma redução de impostos para produtos daquele país.

(Foto – Reprodução de TV)

Casa do Estudante: Grades substituem muro histórico

A Casa do Estudante do Ceará, fundada há 85 anos, acaba de sofrer uma agressão em sua arquitetura histórica.

O muro baixo, do tempo em que não havia violência urbana em Fortaleza, foi derrubado para dar lugar a uma cerca de ferro, com pintura branca, em uma reforma que ampliou auditório e biblioteca, financiada com verba da Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social do Estado. Um descompasso com o desenho do casarão, que abriga estudantes do interior cearense.

E poderia ter sido feito isso? A Casa não é tombada pelo patrimônio do município? Por incrível que pareça, segundo a direção do estabelecimento, não. Há, no entanto, um projeto tramitando nesse sentido na Câmara Municipal desde 2016. É de autoria do ex-vereador Alípio Rodrigues.

Esse é mais um tipo de intervenção numa área por demais desrespeitada nesta cidade que adora espigões e importar modismos.

(Foto – Leitor do Blog)

Prêmio Nobel da Paz sai para um médico congolês e uma ativista yazidi

O Prêmio Nobel da Paz de 2018 foi concedido hoje (5) a uma dupla considerada exemplo de esforços para para acabar com o uso da violência sexual como arma de guerras e conflitos armados. O congolês Denis Mukwege e a ativista do povo yazidi Nadia Murad são os agraciados este ano.

“Cada um deles à sua maneira ajudou a dar maior visibilidade à violência sexual em tempo de guerra, de modo que os perpetradores possam ser responsabilizados por suas ações”, diz o texto oficial da Academia do Prêmio Nobel, na Suécia. O prêmio reconhece a maior contribuição para a paz mundial.

Médico ginecologista, Denis Mukwege atua nos cuidados e na defesa das vítimas de violência e abuso sexual. Já Nadia Murad, da minoria yazidi perseguida em vários países, é considerada testemunha dos abusos. Ela foi escrava sexual no Iraque.

Indicados

A lista de indicados é mantida em sigilo, daí a dificuldade em saber exatamente quem são. Porém, foi informado que, neste ano, houve 311 concorrentes: 216 pessoas e 115 organizações.

Os nomes dos líderes coreanos Kim Jong-Um, da Coreia do Norte, e Moon Jaen-in, da Coreia do Sul, integraram a lista, assim como o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e a Agência das Nações Unidas para Refugiados (Acnur).

Outra organização cotada foi a União Americana pelas Liberdades Civis (em inglês ACLU) pela defesa das liberdades individuais e, principalmente, dos imigrantes e refugiados nos Estados Unidos.

Histórico

O primeiro Nobel da Paz foi entregue em 1901. Já receberam a premiação líderes internacionais envolvidos na resolução de conflitos internacionais, como Shimon Peres, Yasser Arafat e Yitzhak Rabin, em 1994.

Temas ambientais, de direitos humanos e combate à pobreza também estiveram entre os assuntos de destaque do Nobel da Paz. No ano passado, a Campanha Internacional pela Abolição de Armas Nucleares recebeu o prêmio.

(Agência Brasil)

Bolsonaro diz que Haddad é fantoche de Lula

Em entrevista à TV Record, na noite dessa quinta-feira (4), o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, disse que Fernando Haddad, do PT, é fantoche de Lula. Segundo institutos de pesquisas de intenções de voto, Bolsonaro e Haddad polarizam as eleições deste ano.

Sobre a agressão sofrida por meio de Adélio Bispo, Bolsonato afirmou que não quer antecipar fatos, mas não acredita que o agressor agiu sozinho.

Bolsonato negou que seja racista, homofóbico e agressor de mulheres. Disse que embate com a deputada Maria do Rosário foi uma reação, após ser chamado de estuprador.

Com relação às fake news, Bolsonaro alegou que Haddad espalha no Nordeste que a sua candidatura sugere acabar com o Bolsa Família. “Eles (petistas) fazem isso toda eleição”, reclamou. O candidato se disse contra às falsas notícias e alegou que não há como controlar milhões de pessoas que postam em redes sociais notícias que destacam sua candidatura, por meio de fake news.

Bolsonaro defendeu o general Mourão, seu vice de chapa, ao afirmar que ele não defendeu o fim do 13º salário. Aproveitaram uma fala mal interpretada do general para desgastar sua candidatura.

O candidato do PSL disse que o combate à corrupção passa pela mão indicação política a cargos no governo.

Bolsonaro afirmou que o ex-ministro Palocci está colaborando com a Justiça e que os depoimentos apontam para uma “tomada de poder” por parte do PT.

O candidato do PSL se diz necessário para o momento. “Querem trazer o socialismo, o comunismo. (…) Será o fim da nossa pátria, se o PT chegar ao poder”, ressaltou Bolsonaro, ao completar que respeitará os números das urnas.

Jair Bolsonaro disse desconfiar das pesquisas de intenções de voto, quando acredita que deverá vencer no primeiro turno.

(Foto: Reprodução)

Candidatos fazem as considerações finais

Alckmin diz que 20% dos votos são decididos nos últimos dias.

Álvaro Dias destaca o combate à corrupção e com o fim de privilégios, quando governador do Paraná.

Ciro ressalta que há 4 anos o país está parado pela política da divisão e agora corre o risco da política do ódio, o que não permite ao Brasil se reconciliar.

Meirelles afirma que agora é o momento de se comparar história dos candidatos. Ódio não gera emprego e vingança não combate a insegurança e não se cria melhoria para a saúde.

Haddad aponta raízes humildes e diz que aprendeu com Lula a ajudar a quem mais precisa. Levante bandeira do trabalho e da educação.

Marina agradece a Deus por não ter caído na tentação do ódio e se diz pacificadora. País não precisa de força física, mas de força moral.

Boulos afirma que domingo é dia de barrar o ódio e pede o voto da esperança.

(Foto: Divulgação)

Ciro diz que Bolsonaro fugiu ao debate, enquanto dá entrevista a outra emissora

Questões relacionadas aos direitos dos trabalhadores, reforma da previdência, desemprego e a desigualdade social deveriam ser esclarecidas pelo candidato Bolsonaro, líder nas pesquisas de intenções de voto.

A cobrança é de Ciro Gomes, em debate com Henrique Meirelles. Para Ciro, Bolsonaro foge ao debate, enquanto dá entrevista à emissora de televisão (Record).

Ciro pede esclarecimentos sobre declarações na campanha de Bolsonaro de perdas do adicional de férias e do 13º salário.

Meirelles aponta que entrevista concedida por Bolsonato tem o conforto na abordagem dos problemas do país.

(Foto: Divulgação)

Marina cobra de Haddad o reconhecimento dos erros do PT

Para a candidata Marina Silva, Haddad poderá cometer os mesmos erros do PT, nos governos Lula e Dilma, diante da dificuldade do partido em reconhecer as falhas cometidas ao longo de 14 anos.

Haddad alega que falou sobre o assunto em outras oportunidades, mas ressaltou conquistas dos governos petistas, como geração de emprego e oportunidades à pessoas menos favorecidas socialmente.

(Foto: Reprodução)

Bolsonaro é o principal alvo entre demais candidatos

Ausente no debate promovido pela Globo, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) foi o principal alvo no primeiro bloco.

Ciro Gomes apontou que o país mão pode estar dividido e que não se pode votar pelo ódio. Haddad e Boulos afirmaram o risco do retorno da perca de direitos, como no tempo da ditadura militar. Marina e Álvaro Dias lamentaram declarações do vice de Bolsonaro, que criticou o 13º salário e adicional de férias. Meirelles e Alckmin apontaram questões do crescimento econômico e retomada do emprego.

(Fotos: Reprodução)

Dr. Eron propõe criação de escola de música em Fortaleza

O vereador Dr. Eron (PP) apresentou projeto de indicação que cria a Escola de Música Lauro Maia Teles. Pela proposta, a escola deverá ser gerida pela Secretaria Municipal de Cultura, em parceria com o Sindicato dos Músicos do Ceará.

Dr, Eron Moreira destacou que a escola deverá servir para a formação de músicos, formação de bandas de música, além de inserir a criança e o adolescente no contexto cultural e educativo.

O projeto será encaminhada para a Comissão Permanente, onde receberá parecer do relator.

(Foto: Divulgação)

Após ataques, campanha por placas de Marielle já arrecada R$ 28 mil

Menos de um dia depois que circularam nas redes sociais imagens de dois candidatos do PSL-RJ exibindo uma placa destruída que homenageava a vereadora Marielle Franco, uma campanha feita por simpatizantes e apoiadores das causas defendidas por ela já arrecadou hoje (4) 14 vezes o valor definido como meta para fazer novas placas.

O valor estipulado foi de R$ 2 mil para a confecção de 100 placas. Em apenas 24 minutos, a quantia foi obtida. Por volta das 15h desta quinta-feira, as doações já somavam R$ 28 mil com a adesão de mais de mil pessoas. A organização da campanha fará mil placas e destinará o dinheiro restante para outras ações de homenagem à vereadora ainda não divulgadas.

Em um vídeo postado nas redes sociais, o candidato a deputado estadual Rodrigo Amorim, e o candidato a deputado federal Daniel Silveira, ambos do PSL-RJ, retiram a homenagem da placa que foi colocada na esquina da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, onde Marielle cumpria seu primeiro mandato quando foi assassinada.

No vídeo, Daniel defende que o assassinato não justificava colar a placa, o que classificou de vandalismo. Já Rodrigo afirma que outras 60 mil pessoas foram assassinadas no país.

Dias depois, os candidatos levaram a placa a um ato político para apoiadores em Petrópolis, na Região Serrana. O ato foi registrado em mais um vídeo postado nas redes sociais, e Amorim e Silveira exibem a placa quebrada ao meio. Os dois foram fotografados com os pedaços da placa nas mãos, e as imagens se espalharam nas redes.

Com a repercussão, os dois políticos fizeram uma transmissão ao vivo no Instagram em que afirmam que repudiam o assassinato de Marielle e defendem que seus algozes têm que ser investigados e punidos severamente.

Na gravação transmitida na internet, eles afirmam que não haverá pedido de desculpas e defendem que retiraram a homenagem como se fosse uma pichação qualquer, sem a intenção de atingir a imagem da vereadora, porque buscavam restaurar o patrimônio público havia sido depredado.

(Agência Brasil)

Pesquisa Datafolha: Bolsonaro sobe três pontos e Haddad avança um ponto

114 2

O resultado da pesquisa Datafolha de candidatos a presidente foi conhecido na noite desta quinta-feira, 4 de outubro. A consulta foi encomendada pela Rede Globo e jornal Folha de S. Paulo.

Jair Bolsonaro (PSL) aparece isolado com 35% de intenções de voto. Fernando Haddad (PT) vem em segundo com 22%. Ciro Gomes (PDT) marcou 11%, enquanto Geraldo Alckmin (PSDB) aparece com 8%. Em relação ao levantamento anterior do instituto, divulgado na terça-feira, 2, Bolsonaro subiu três pontos, Haddad subiu um ponto; Ciro manteve o percentual e Alckmin caiu um ponto.

Confira o resultado da pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira:

Jair Bolsonaro (PSL): 35%; Fernando Haddad (PT): 22%; Ciro Gomes (PDT): 11%; Geraldo Alckmin (PSDB): 8%; Marina Silva (Rede): 4%; João Amoêdo (Novo): 3%; Henrique Meirelles (MDB): 2%; Alvaro Dias (Podemos): 2%; Cabo Daciolo (Patriota): 1%; Guilherme Boulos (PSOL), João Goulart Filho (PPL), Eymael (DC) e Vera Lúcia (PSTU) não pontuaram. Branco/nulos: 6%; Não sabe/não respondeu: 5%.

(O POVO Online)

Morre a mãe do advogado Reno Ximenes

Morreu na noite desta quinta-feira (4) a professora e missionária Alaís Ximenes Ponte, 96. Ela era viúva do professor Osmar de Sá Ponte e mãe do advogado Reno Ximenes, além de Romero, Verá Lúcia, Marcos, Aníbal, Amilcar, Manfredo, Maria Ayrtes, Rita Helena, Expedito, Osmar Júnior e Rômulo.

O velório ocorre a partir das 20 horas, na Ethernus, bairro Aldeota. O sepultamento está previsto para esta sexta-feira (5), às 14 horas, no Cemitério Jardim Metropolitano, no município de Eusébio.

Nossos pêsames à família.

(Foto: Arquivo)

Dólar interrompe série de quedas e sobe fechando a R$ 3,89

A cotação da moeda norte-americana fechou hoje (04) em pequena alta de 0,22%, cotada a R$ 3,8960 para venda interrompendo os três últimos pregões em baixa. O Banco Central realizou swaps cambiais tradicionais, sem efetuar nenhum leilão futuro de venda do dólar.

O índice B3, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), encerrou o pregão em baixa de 0,38%, com 82.952 pontos. Papéis de grandes companhias, como Petrobras, encerraram o dia em alta de 0,97%, Bradesco subindo 0,48% e Itau com valorização de 0,11%.

(Agência Brasil)

Luciano Huck usa Instagram para pedir votos

321 1

O apresentado global Luciano Huck usou sua conta do Instagram para pedir votos para candidatos do movimento Renova BR.

No Stories, ele ressaltou a importância das escolhas para o legislativo e recomendou candidatos a deputado, todos do PPS, partido pelo qual o apresentador cogitou lançar-se à presidência.

Os indicados foram Paulo Gontijo (estadual / RJ), Marcelo Calero (federal / RJ), Humberto Laudares (federal / SP), Diogo Busse (estadual / PR), Marrafon (federal / MT) e Will Bueno (federal / MG).

(Veja Online/Foto – Divulgação)

Centro de Fortaleza – Rua Guilherme Rocha está com reforma quase concluída

Está ficando uma beleza a reforma dos calçadões do Centro de Fortaleza, projeto tocado pela Prefeitura e com apoio da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

Eis aí a rua Guilherme Rocha, com seu primeiro quarteirão prontinho. Nova drenagem, nova pavimentação, novas luminárias e, em breve, mobiliário urbano e quiosques padronizados.

A obra fica concluída no dia 23 de novembro e, após isso, entra a obra na rua Liberato Barroso.

(Foto – Divulgação)