Blog do Eliomar

Últimos posts

Cândido Albuquerque assume como reitor em ato simples e na Faculdade de Direito

Cândido assume sob olhares de Glauco Lobo e Henry Campos.

Em ato simples na Faculdade de Direito da UFC, o professor Cândido Albuquerque assumiu, na tarde desta sexta-feira (23), o cargo de reitor da Universidade Federal do Ceará. O novo reitor exercerá mandato de quatro anos.

Como primeiro ato na condição de reitor, ele nomeou seu vice, Glauco Lobo Filho, professor da Faculdade de Medicina. A informação saiu no site da Instituição.

“Agora, nós temos um único objetivo: engrandecer o nome da nossa UFC. Torná-lo cada vez maior, uma universidade que é uma referência no Brasil exatamente pela qualidade do seu corpo docente, do corpo discente e do corpo de servidores técnico-administrativos”, afirmou o novo reitor.

Henry Campos, ex-reitor, por sua vez, desejou uma administração de sucesso ao novo reitor. Ressaltou os principais avanços da UFC ao longo de sua gestão, reconhecidos nos rankings nacionais e internacionais que avaliam a qualidade dos cursos de graduação e de pós-graduação, além dos resultados reconhecidos na área de governança.

“Eu diria que esse compromisso social é muito presente hoje na Universidade. As parcerias com o Governo do Estado, com a Prefeitura, a confiança depositada ao nos entregar o Ceará 2050, que vai continuar em sua gestão, o Fortaleza 2040, do qual nós somos fiéis depositários, e um sem número de coisas… O processo de internacionalização avançou muito, o parque tecnológico, enfim, tem muitas perspectivas boas, e eu tenho certeza de que, sob o comando de vocês, a Universidade vai continuar neste ritmo de ascensão”, afirmou Henry Campos.

(Foto – UFC)

Bolsonaro autoriza uso das Forças Armadas para combater queimadas na Amazônia

O presidente Jair Bolsonaro assinou, na tarde desta sexta-feira (23), decreto que autoriza o emprego das Forças Armadas para ajudar no combate aos incêndios na Floresta Amazônica. O decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) vale para áreas de fronteira, terras indígenas, em unidades federais de conservação ambiental e outras áreas da Amazônia Legal.

Segundo o texto, que já foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União, o emprego dos militares será autorizado apenas mediante requerimento do governador de cada estado da região. A Amazônia Legal é um território que abrange a totalidade dos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, de Rondônia, Roraima e parte dos estados de Mato Grosso, do Tocantins e do Maranhão.

De acordo com o decreto, o período de emprego das Forças Armadas no combate aos incêndios vai deste sábado (24) a 24 de setembro. Estão previstas ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais e levantamento e combate de focos de incêndio. Conforme o texto, as operações deverão ocorrer em articulação com os órgãos de segurança pública e órgãos e entidades de proteção ambiental.

O governador de Roraima, Antonio Denarium, que chegou a participar da reunião ministerial que definiu o uso das Forças Armadas, disse a jornalistas, no Palácio do Planalto, que já assinou o pedido para que militares combatam incêndios no estado.

Denarium afirmou que, hoje, os estados da região não têm condições de combater sozinhos os incêndios florestais. “Por isso, estamos solicitando ajuda do governo federal, para que, em parceria com o estado, com o Corpo de Bombeiros Militar e o Corpo de Bombeiros Civil, fazer o combate aos incêndios que estão em toda a Região Norte.” Ele disse que outros governadores da região também deverão solicitar o apoio. Uma reunião entre governadores da região e o presidente da República está prevista para a próxima terça-feira (27), em Brasília, informou Denarium.

O governo não informou o número de militares que poderão ser empregados nas ações de combate aos incêndios. Pelo decreto, caberá ao ministro da Defesa, Fernando Azevedo, definir a “alocação dos meios disponíveis e os comandos que serão responsáveis pela operação”.

Pronunciamento

O presidente Jair Bolsonaro convocou para esta noite rede nacional de rádio e televisão para anunciar medidas do governo federal para conter incêndios na Floresta Amazônica.

A decisão sobre o pronunciamento, que vai ao ar às 20h30, foi confirmada pela Secretaria Especial de Comunicação da Presidência (Secom), após reunião ministerial coordenada pelo próprio presidente, durante a tarde, no Palácio do Planalto.

(Agência Brasil)

BNB e Embrapa fecham acordo e criam a Plataforma de Inteligência do Semiárido

O Banco do Nordeste firmou convênio com a Embrapa Territorial, nesta sexta-feira, em Brasília (DF). A iniciativa visa estruturar o Sistema de Inteligência, Gestão e Monitoramento Territorial Estratégico (SITE) para a Região, com foco no desenvolvimento sustentável da agropecuária, informa a assessoria de imprensa da Instituição.

O BNB financiará os estudos com aplicação de R$ 1,5 milhão, por meio do Fundo de Desenvolvimento Econômico, Científico, Tecnológico e de Inovação (Fundeci). Os recursos apoiarão pesquisas e estudos, com vistas à melhoria da produtividade dos setores econômicos, de modo a potencializar negócios. O projeto será realizado ao longo de 12 meses.

“É parte de nossa missão empresarial promover o desenvolvimento regional e fazer isso refletir na competitividade das empresas e no bem-estar das famílias de nossa área de atuação. Sendo assim, um projeto como este carrega em si o DNA do que nos move como o banco de desenvolvimento do Nordeste. Portanto, acreditamos que este investimento trará grande retorno social e econômico. É um orgulho, unirmo-nos à Embrapa para potencializar os resultados do agronegócio de todos os portes no Semiárido nordestino”, afirma Romildo Rolim, presidente do BNB.

SITE

O SITE estará disponível a acesso público. A ferramenta apoiará ações das secretarias do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e demais instituições públicas e privadas. A plataforma digital organizará, com base no conhecimento científico, informações georreferenciadas e analíticas dos quadros natural, agrícola, agrário, de infraestrutura e socioeconômico, identificadas por meio de métodos de inteligência territorial. Para cada uma das oito microrregiões prioritárias, serão indicadas soluções tecnológicas e não tecnológicas disponíveis para os principais desafios de inovação, em colaboração e compartilhamento com as unidades da Embrapa da Região.

Conforme afirma o chefe-geral da Embrapa Territorial, Evaristo de Miranda, apesar do acervo de informações disponíveis sobre o Semiárido nordestino ser um dos maiores do País, os dados são temáticos e setoriais. Com a estruturação do SITE, ele reforça, será possível integrar e analisar todas as informações em uma única base de dados. “Vamos tratar de todas as informações de forma integrada e na perspectiva de análise territorial. Será um sistema inédito, com análises importantes para o desenvolvimento da agricultura de sequeiro no Semiárido, entre outras possibilidades”, afirma.

Para Miranda, o desenvolvimento da agricultura de sequeiro no Semiárido nordestino ainda é um grande desafio para o País. Os dados do Censo Agropecuário de 2006 e 2017 revelam um declínio de 30% na atividade agropecuária na Região. “É preciso viabilizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação em inteligência para a sustentabilidade da agropecuária no bioma Caatinga”, declara Miranda.

Entre as entregas do sistema está também caracterizar a repartição territorial da concentração e da densidade de 74 produtos agropecuários em 120 microrregiões, além de quantificar, caracterizar e espacializar os níveis de renda bruta dos estabelecimentos agropecuários situados na área delimitada.

(Foto – BNB)

Rali dos Sertões – Competição, que começa neste sábado e finalizará em Aquiraz, em alta conexão

O XXVII Rali dos Sertões – maior competição do ramo das Américas, começa neste sábado, em Campo Grande (MS). Serão percorridos 4.857 km até a chegada, dia 1º de setembro, em Aquiraz (Região Metropolitana de Fortaleza). Neste ano, a grande novidade em relação aos carros de apoio é que estarão todos conectados com a tecnologia da Smart Driving Labs – empresa especializada em soluções de software e hardware para coleta, análise e interpretação de dados telemáticos automotivos.

Pela primeira vez na história do rali, as 55 picapes L200 Triton Sport cedidas pela Mitsubishi Motors como carros de apoio estarão conectadas. Durante as oito etapas da prova, a plataforma captará, em tempo real, diversos parâmetros dos veículos, como velocidades média e máxima, altitude, nível de combustível e de desgaste dos carros, entre outros, além de eventuais incidentes capturados pelo “acelerômetro” existente no dispositivo.

“A Mitsubishi Motors e a organização do Sertões receberão um relatório de utilização dos carros no período do rali, com dados analisados e interpretados, e poderão ainda acompanhar em tempo real diversos parâmetros, como a pontuação de cada condutor. Como a plataforma fornece diversos dados do veículo, podemos personalizá-lo de acordo com a necessidade de cada cliente, ou seja, para um, o tempo do carro parado é importante; já para outro, é saber o consumo de combustível. O objetivo é ter um mapeamento da condução dos motoristas e as respectivas peculiaridades.”, explica Fernando Schaeffer, CEO da Smart Driving Labs.

(Foto – Arquivo)

VetMóvel leva serviços para o Parque Del Sol

Os serviços do VetMóvel, projeto da Coordenadoria Especial de Proteção e Bem-estar Animal de Fortaleza, vão estar, a partir da próxima segunda-feira, no bairro Parque Iracema, mais precisamente na praça do Parque Del Sol (Rua Leda Porto Freire). O equipamento permanecerá ali lado das quadras e do restaurante existente no local até o dia 6 de setembro, sempre atendendo das 8 às 12 horas e das 13 às 17 horas.

O VetMóvel ali estará atendendo a uma solicitação da associação de moradores do lugar, além dos animais de protetores previamente agendados. Também haverá mutirão especial de castração com o apoio dos grupos e ONGs de protetores de animais da área.

Castrações

As castrações são destinadas aos animais oriundos de ONGs, abrigos de animais, protetores independentes e tutores de baixa renda. É obrigatória a apresentação do Número de Identificação Social (NIS), RG, CPF e comprovante de endereço. Para realização da esterilização, os tutores que agendaram o atendimento pela manhã devem chegar até às 8 horas e do período da tarde devem comparecer até às 12h ao VetMóvel, com tolerância de uma hora em cada turno, e os animais devem estar banhados e sem carrapatos.

O VetMóvel também oferece todos os dias, até às 15 horas, vacinação antirrábica e testes para diagnósticos de Calazar. As consultas são realizadas das 8 às 17 horas, destinadas aos animais cujos tutores resgatarem as 40 fichas de atendimento, que são entregues a partir das 7 horas.

O equipamento também oferece, gratuitamente, registro geral animal e distribuição de material educativo com informações sobre bem-estar animal e guarda responsável.

(Foto – Divulgação)

Caixa estuda criar crédito imobiliário com juros prefixados

163 1

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, disse hoje (23) que o banco estuda oferecer crédito imobiliário com taxa de juros prefixada. Ao explicar a visão da Caixa sobre a nova linha de financiamento indexada à inflação em um almoço na Associação Comercial do Rio de Janeiro, Guimarães disse que o objetivo é avançar para oferecer também a modalidade prefixada até o fim do mandato do presidente Jair Bolsonaro.

A Caixa anunciou nesta semana uma nova linha de financiamento imobiliário que usa o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em vez da Taxa Referencial (TR) no cálculo anual de juros. Tanto o IPCA quanto a TR são variáveis, e para que uma modalidade de crédito com juros prefixados possa ser oferecida, é necessário um cenário de estabilidade econômica de longo prazo, destacou o presidente da Caixa.

“Para isso, tem uma série de coisas que precisam acontecer na economia e uma tranquilidade em relação à inflação, o que eu tenho muita confiança. Essa mudança do IPCA é o primeiro passo para isso”, disse Guimarães, que afirmou que essa modalidade de crédito é oferecida em economias desenvolvidas da Europa, da Ásia e dos Estados Unidos, pois depende da estabilidade da inflação ao longo dos anos. “Tendo uma inflação mais controlada, a gente consegue precificar melhor as incertezas. Com esse crédito pré, sem correção, o grande risco fica com o banco”, ressaltou.

Na visão do executivo, com a inflação mantida em torno de 3% a 4%, é possível fazer essa precificação de forma tranquila.

Guimarães também explicou que é preciso criar no país um mercado de securitização de mais longo prazo, o que ele acredita que será estimulado pela criação da linha de crédito indexada ao IPCA. Esse mercado permitirá que o banco terceirize o risco em um cenário de oferta de crédito prefixado. “A vida média da nossa carteira de crédito imobiliário é de 12 anos. Então, não adianta tanto criar um mercado de securitização de dois anos. Você precisa ter um mercado de securitização de 12 anos.”

Para o presidente da Caixa, a nova linha de financiamento corrigida com o IPCA reduz o preço da parcela inicial de financiamento imobiliário em 30% a 50% e estimula outros bancos a reduzir suas taxas de juros. Segundo Guimarães, cerca de 600 mil simulações de financiamento foram feitas desde que o banco anunciou a nova linha de crédito.

“Se nós sentirmos que existe uma necessidade de correção ao longo do tempo, nós corrigimos. É a primeira vez que é oferecido por IPCA esse tipo de crédito”, ressaltou.

(Agência Brasil)

Artigo – “A missão do jornalista cearense atual é virar meme?”

Com o título “A missão do jornalista cearense atual é virar meme?”, eis artigo de Matheus Nunes, estudante do Jornalismo da Uni7 e social mídia. Ele comenta o atual cenário da comunicação na internet e suas consequências. Confira:

Se fôssemos pensar como há 20 anos, seria impossível imaginar que a TV – um dos principais veículos de comunicação de massa já criados – perderia a relevância e a audiência para outro meio.

O que vemos hoje é a internet ganhando cada vez mais espaço e forma. Os mais tradicionais acreditam, porém, que uma informação vinda do telejornal possui mais credibilidade do que aquela replicada nas redes sociais.

E quando esses mesmos telejornais brigam entre si para ganharem um espaço nessas páginas virtuais? E isso já é comum no jornalismo cearense atual. Muitos até forçam a barra para virarem memes.

Ainda se crê que os veículos queiram se regionalizar ainda mais, algo que não se via antigamente. O que mais se percebe é que o sinônimo de audiência virou “viralizar”. Para o bem, ou para o mal.

Hoje, assunto sério vira manchete engraçada. Um carro cair dentro de um buraco é piada. E eu, como estudante, me faço o questionamento: será que os professores estão nos ensinando da forma errada? Não se tem disciplina de memes jornalísticos nas faculdades. Mas, será que teremos em um futuro não tão distante? Vale a reflexão.

Em artigo publicado no jornal O Povo, o jornalista Ronaldo Salgado, professor aposentado da Universidade Federal do Ceará (UFC), acredita que o jornalismo é feito para mudar o mundo. E foi dessa forma que ele escolheu a profissão. Mas, e se fosse hoje? Ele pensaria da mesma forma? Talvez escolhesse não para transformar o mundo, mas sim mudar a forma de fazer jornalismo. Não sabemos o futuro do nosso ofício, mas sabemos o futuro das páginas de humor da internet: compartilhar conteúdos que há anos eram relevantes para a sociedade e que hoje simplesmente viraram piadas.

*Matheus Nunes,

Estudante do 7º semestre – Jornalismo/UNI7  e social mídia.

Heitor Férrer cobra concurso público para o Plano de Modernização da Saúde

O deputado estadual Heitor Férrer (SD) afirmou, nesta sexta-feira, da tribuna da Assembleia Legislativa, estar preocupado com a informação divulgada nos últimos dias sobre a realização de seleção pública de 7 mil profissionais para integrar as ações do Plano de Modernização da Secretaria de Saúde do Estado.

O Plano visa a integração, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), das ações e serviços de saúde em regiões do Ceará.

“Uma seleção pública é uma contratação temporária. Não existe segurança. Temos o desejo que tudo dê certo, mas não podemos começar na contramão. O certo é fazer concurso público para os profissionais da saúde.”, cobrou o parlamentar. Foi mais além: “Precisamos cobrar o reconhecimento da categoria médica e cobrar ainda concursos e segurança no trabalho”.

Heitor se disse otimista quanto à aprovação do projeto de lei que trata da matéria e confiante no trabalho a ser realizado pelo secretário Dr. Cabeto, observando que buscará abrir diálogo com as categorias de saúde e a secretaria sobre a questão.

Aproveitou para lançar um convite: “Esperamos a ida do secretário à Assembleia Legislativa para explicar os planos para melhoria da saúde, pela proposta do Governo. Estamos todos torcendo por melhorias e confiando no Dr. Cabeto, que é um excelente profissional”, concluiu o parlamentar.

(Foto – Edson Júnior Pio – ALCE)

Dólar atinge maior patamar do ano: R$ 4,13

O dólar comercial está em alta nesta sexta-feira, 23, com a imposição de tarifas adicionais da China aos Estados Unidos e a escalada das tensões entre os dois países, que estão em uma disputa comercial desde meados de 2018. Às 14h40min, a moeda subia 1,3%, cotada a 4,13 reais na venda.

É o maior patamar do câmbio no intraday (durante a sessão) no ano. Caso o desempenho se mantenha até o fechamento, será o maior valor desde 19 de setembro, período pré eleições presidenciais. Também às 14h40min, o Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, despencava 2,57%, aos 97.438 pontos.

Após diversos avisos, a China, de fato, anunciou tarifas adicionais em produtos americanos. O valor é de 75 bilhões de dólares e as alíquotas vão variar entre 5% e 10% — parte delas entra em vigor em setembro e outra em dezembro. Donald Trump já disse que vai retaliar.

(Com Veja)

Artigo – A Polícia do Rio não soube distinguir “um perigoso marginal de um pobre doente mental”

210 1

O governador do Rio, Wilson Witzel, chegou comemorando o fim do sequestro.

Com o título “Dito e feito”, eis artigo de Antonio Mourão Cavalcante, médico, antropólogo e professor universitário. Ele lamenta que, no caso do sequestrador assassinado no episódio do ônibus na ponte Rio-Niterói, no Rio, o aparato policial não tenha conseguido distinguir um “perigoso marginal” de um pobre doente mental. Confira:

Essa semana, dentre os muitos episódios bizarros que passaram a acontecer no Brasil de agora, um precisa ser melhor analisado. Um jovem de 20 anos, com um revólver de brinquedo, uma faca e algumas garrafas de plástico com gasolina fez a polícia fluminense montar um circo, tendo o Governador do Estado, ex-fuzileiro naval, como palhaço mór do escabroso espetáculo.

O morto tem como pai um pedreiro da construção civil e como mãe uma cuidadora de idosos. Gente pobre e de periferia. Negros. O dito jovem jamais teve qualquer registro ou passagem pela polícia. Pareceu, por repetidas atitudes, em plena crise psicótica, provavelmente uma esquizofrenia incipiente. Segundo a família, passava a maior parte do tempo trancado no quarto, isolado. Sem contatos sociais. Esquisito. Tinha deixado de ajudar ao pai. Comportamento bizarro.

A decantada polícia militar – BOPE -, não teve expertise suficiente para avaliar o quadro psíquico do sequestrador, apesar de ter havido tempo bastante para isso. Quatro horas de negociações. Os reféns, de dentro do ônibus, usavam celulares, sem problema. Mantinham suas famílias informadas, etc. Lamentavelmente, nesses tempos de agora, é mais fácil, prático e eficaz, caracterizá-lo como “perigoso bandido”. Era negro, pobre, de periferia… Se a polícia não fosse militar, mas social – um pouco de sensibilidade, teria logo percebido que não se tratava de um perigoso bandido, tipo “bandido bom é bandido morto!”. Mas, um doente em pleno surto psicótico. Não podia, nem devia ser condenado à morte, como sumariamente determinou o comando militar a seus atiradores de “elite”, bem entendido, armas potentíssimas para um alvo a menos de 80 metros de distância.

A principal tragédia não está no fato, em si, dele ter assumido postura arriscada, um comportamento estranho, uma exposição demasiadamente perigosa. Mas o aparato policial não ter conseguido distinguir um “perigoso marginal” de um pobre doente mental. Claro que o doente mental também pratica violência, mas quem é chamado a agir, tem uma margem significativamente diferente para atuar nessas circunstâncias. Precisa competência. Precisa de uma assessoria técnica qualificada nesses momentos.

O aparato usado esteve longe de parecer o mais adequado para estas circunstâncias. Esta situação era para ter sido morte zero. Chega a ser arrogante dizer que quem morreu foi o bandido! Pronto. Na cabeça do Governador e de seus ordenados, tem o lado do bem e o lado do mal. Eliminamos o mal. Todos os dias, em todos os cantos do Rio de Janeiro, essa máxima prevalece: a polícia pode estabelecer o imediato julgamento e ela mesma executa a eliminação dos “maus”… Acreditam estar acima da lei. Podem avaliar e julgar com os próprios elementos que possuem e motivados pelos valores que os movem. Tudo em nome da força do bem.

Ora, foi desmantelada toda assistência social e psiquiátrica. Resta a hospitalização e o eletro-choque. Os doentes mentais foram entregues à própria sorte. Estão soltos pelas ruas e praças das cidades. Viram ameaça e, com doenças, maus tratos e abandono, vão sendo eliminados. São párias. Sujos. Nus. Lixo. Fazem parte, dos injeitados da sociedade. Não há acompanhamento. Tratamento. Melhor que levem um tiro de misericórdia, de preferência, na cabeça!

O resto, como insinuou o Governador e o atirador de elite, é partir para o abraço. Missão cumprida com perfeição. “Tá lá o corpo estendido no chão!”…

*Antonio Mourão Cavalcante,

Médico, antropólogo e professor universitário.

(Foto – Reprodução de TV)

Bolsonaro vai ocupar rede nacional de TV para anunciar medidas contra queimadas na Amazônia

342 1

Nesta sexta-feira, o presidente Jair Bolsonaro vai ocupar rede nacional de televisão para apresentar medidas do governo a fim de conter as queimadas na Amazônia. A informação é da jornalista Cristiana Lôbo,  do Portal G1.

Uma dessas medidas é a assinatura de um decreto instituindo a Garantia da Lei e da Ordem Ambiental (GLOA) para ajudar os Estados da região nas ações de combate ao fogo na floresta.

A mudança de tom do presidente se dá depois de a questão ambiental se transformar numa crise internacional.

(Foto – PR)

Porto do Mucuripe – Melão lidera exportações de frutas

O Porto do Mucuripe registrou um crescimento de 400,45% em matéria de movimentação de frutas. Foram 2.217 contêineres da safra 2018-2019 do setor, informa a assessoria de imprensa do órgão.

O campeão das exportações foi o melão, com 775 contêineres, seguido pela banana, com 435 contêineres, e, na sequência, a manga, com 716 contêineres. As frutas produzidas na Região Nordeste seguiram para a Espanha, Estados Unidos, Holanda, Inglaterra, Reino Unido, Itália e França, entre outros.

Importações

Em termos de importações, o trigo liderou a movimentação no Porto de Fortaleza nos sete primeiros meses de 2019, totalizando 661.799 toneladas. No segmento de granéis sólidos (trigo, escória, manganês e coque de petróleo), o crescimento foi da ordem de 22,4% em relação a 2018. A importação de mercadorias, longo curso e cabotagem, representam 75,66% de tudo o que foi movimentado, refletindo a grande vocação do Porto de Fortaleza. Os 24,34% são referente às cargas exportadas.

Nos primeiros sete meses de 2019, o Porto de Fortaleza movimentou 2.509.256 toneladas de carga geral, granéis sólidos e líquidos.

(Foto – Divulgação)

Brasil gerou 43,8 mil empregos formais em julho

Pelo quarto mês consecutivo, houve geração de emprego formal no país, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados hoje (23), pelo Ministério da Economia. Em julho, foi registrada a abertura de 43.820 vagas de trabalho com carteira assinada, crescimento de 0,11% em relação ao estoque de junho.

O indicador mede a diferença entre contratações e demissões. O saldo positivo em julho deste ano foi resultado de 1.331.189 admissões contra 1.287.369 desligamentos. Em julho de 2018, o resultado foi melhor: com saldo positivo de 47.319.

Nos sete meses do ano, foram criados 461.411 postos de trabalho (9.600.447 admissões e 9.139.036 desligamentos). Na comparação com o mesmo período de 2018, houve crescimento de 2,93%. O resultado de janeiro a julho deste ano é o melhor para o período desde 2014 (632.224).

Dos oito setores econômicos, sete contrataram mais do que demitiram em julho. O saldo ficou positivo na construção civil (18.721), serviços ( 8.948), indústria de transformação (5.391), comércio (4.887), agropecuária (4.645), extrativa mineral (1.049) e serviços industriais de utilidade pública (494). Apenas administração pública descreveu saldo negativo (315).

Resultados regionais

Segundo o ministério, todas as regiões do Brasil tiveram crescimento no mercado formal de trabalho em julho. O maior saldo foi na Região Sudeste, com 23.851 vagas de emprego com carteira assinada, crescimento de 0,12%. Em seguida, vêm Centro-Oeste (9.940 postos, 0,30%); Norte (7.091 postos, 0,39%); Nordeste (2.582 postos, 0,04%) e Sul (356 postos, 0,00%).

Das 27 unidades da federação, 20 terminaram julho com saldo positivo no emprego. A maior parte das vagas foi aberta em São Paulo, onde foram criados 20.204 postos de trabalho; Minas Gerais, com 10.609 novas vagas, e Mato Grosso, que teve saldo positivo de 4.169 postos.

Reforma Trabalhista

Do saldo total de julho, 6.286 vagas foram resultado da reforma trabalhista, número equivalente a 14,34% do total. A maior parte destes empregos veio na modalidade intermitente (quando o empregado recebe por horas de trabalho), que teve saldo de 5.546 postos, principalmente em ocupações como alimentador de linha de produção, servente de obras e faxineiro. Na categoria de trabalho em regime de tempo parcial, foram 740 vagas, em ocupações como faxineiro, auxiliar de escritório e operador de caixa.

Em julho de 2019, houve 18.984 desligamentos mediante acordo entre empregador e empregado, envolvendo 13.918 estabelecimentos, em um universo de 12.592 empresas. Um total de 45 empregados realizou mais de um desligamento mediante acordo com o empregador.

(Agência Brasil)

UFC já disponibiliza portal com conteúdo voltado para ex-alunos

Já é possível acessar as informações e serviços ofertados pelo Portal Egressos, site que reúne conteúdo voltado a ex-alunos da Universidade Federal do Ceará, informa a assessoria de imprensa da Instituição.

O portal pode ser encontrado no endereço https://egressos.ufc.br/ e está sob a responsabilidade das Pró-Reitorias de Graduação e de Pesquisa e Pós-Graduação.

Criado em comemoração dos 100 mil alunos formados pela UFC e dos 50 anos da Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD), o objetivo do portal é fortalecer o relacionamento entre a UFC e seus ex-alunos e promover a integração e troca de experiências entre os egressos e alunos em formação.

SERVIÇOS

No Egressos é possível encontrar informações sobre oportunidades de concurso, seleções públicas e formação continuada na UFC, bem como notícias de egressos que têm se destacado na carreira. Estão disponíveis também dados estatísticos sobre o perfil do egresso, além de depoimentos de ex-alunos, link para solicitação e impressão de documentos, como diplomas e certidões, e espaço para cadastro dos interessados em fazer parte da lista de egressos do site.

Com as informações do cadastro, a UFC poderá conhecer os sucessos e dificuldades dos egressos, ganhando subsídios para avaliar seus cursos, suas políticas educacionais e sua missão de formar profissionais de alta qualificação.Até o momento, com base nas respostas concedidas, 71% dos ex-alunos consideram o curso que concluíram como bom, ótimo ou excelente, e 63% indicariam o curso para outras pessoas. Com relação ao corpo docente, 67% indicaram o nível dos professores também como bom, ótimo ou excelente.

(Foto – Evilázio Bezerra)

Atividade e emprego na construção atingem maior valor em seis anos

Os indicadores de atividade e de emprego na indústria da construção alcançaram, em julho, o maior valor dos últimos seis anos, informou hoje (23), a Confederação Nacional da Indústria (CNI). A Sondagem Indústria da Construção mostra que o índice de nível de atividade aumentou 0,2 ponto frente a junho e ficou em 48,4 pontos em julho. O índice de número de empregados teve leve alta de 0,1 ponto e foi para 47,3 pontos. No entanto, os dois indicadores continuam abaixo dos 50 pontos, o que mostra queda da atividade e do emprego, observa a pesquisa.

“Entretanto a queda é cada vez menos intensa e menos disseminada no setor. Os níveis de atividade e emprego melhoraram gradativamente desde o começo deste ano”, diz o levantamento.

De acordo com a pesquisa, o nível de utilização da capacidade operacional ficou em 57% em julho, mesmo patamar registrado em junho, e 5 pontos percentuais acima da média histórica. Isso significa que o setor operou com 43% do pessoal, das máquinas e dos equipamentos parados no mês passado. A ociosidade é menor nas grandes empresas, segmento em que a média de utilização da capacidade instalada alcançou 59%. Nas pequenas empresas o nível de utilização da capacidade instalada foi de 51% e, nas médias, de 57%.

Segundo a CNI, com a elevada ociosidade, a disposição dos empresários para fazer investimentos diminuiu. O índice de intenção de investimentos caiu 3,5 pontos em agosto na comparação com julho e ficou em 33,1 pontos, praticamente o mesmo patamar de maio, e 0,6 ponto abaixo da média histórica. O indicador varia de zero a cem pontos. Quanto maior o valor, maior é a disposição para fazer investimentos.

Previsão

O Índice de Confiança do Empresário da Construção (ICEI-Construção) ficou estável em 58,8 pontos em agosto e se mantém acima da média histórica de 53,3 pontos. O ICEI-Construção varia de zero a cem pontos. Quando está acima dos 50 pontos, mostra que os empresários estão confiantes.

De acordo com a CNI, essa edição da Sondagem Indústria da Construção foi feita entre 1º e 13 de agosto com 494 empresas. Dessas, 169 são pequenas, 213 médias e 112 de grande porte.

(Agência Brasil)

Boulos diz que Bolsonaro vai de mal a pior em termos de popularidade: “Basta ver o Databoteco!”

Guilherme Boulos, que foi candidato a presidente pelo PSOL, afirmou para o Blog, nesta sexta-feira, que não pensa nas eleições 2022.

“Tô de olho é em 2019, pra tentar trabalhar contra esse processo de destruição nacional do nosso Pais”, afirmou, referindo-se ao governo de Jair Bolsonaro.

Por conta de tantos desmandos e retrocessos, Boulos garante que o atual governo está de mal a pior em matéria de popularidade, o que não precisa ser constatado em pesquisas.

“Basta o Databoteco. Não precisa nem do Datafolha!”, acentuou Boulos, que cumpre agenda no Ceará desde quinta, quando veio participar da I Semana de Direitos Humanos Dandara dos Santos, evento que foi barrado nos auditórios do IFCE pelo MEC.

Artigo – “Moro, uma pedra de gelo ao sol”

213 1

Com o título “Moro, uma pedra de gelo ao sol”, eis artigo de Ricardo Alcântara, escritor e publicitário que, de admirador do agora ministro da Justiça e Segurança, vê o personagem desidratado. Confira:

Quando Sérgio Moro aceitou convite do presidente recém-eleito para assumir a pasta da Justiça, este Blog publicou artigo de um admirador dele – no caso, eu – que criticava a decisão do juiz, alertando sobre tempestades já visíveis no horizonte. Dissera, na ocasião: “um magistrado que mandara prender – feito inédito – um ex-presidente da República deveria viver o resto de seus dias como um monge”.

Com a metáfora, quis dizer que ficasse longe da arena política, onde coerência é virtude efêmera. Um sujeito afoito da comunidade opiniática, certamente devoto de São Nunca, acusou-me ali de agir como um “anarquista” – logo a mim, que ganhei a vida no octógono pragmático do marketing político.

Bem, passados alguns meses, eis aí Sérgio Moro exposto a contradições terríveis, maiores até do que as prenunciadas:

1) Segurou calado o laranjal miliciano cultivado dentro do gabinete de um filho do agora chefe;

2) Comeu a bronca de um projeto de posse de armas que confrontava suas teses públicas;

3) Engoliu a seco a retirada do Coaf de sua alçada (ao contrário do que lhe assegurou o presidente) para, em seguida, ver demitido de lá seu homem de confiança;

4) Presenciou, impotente, o chefe usar elementos relevantes do seu projeto de Lei anticrime como moeda de troca na Reforma da Previdência;

5) Vê agora Bolsonaro vacilante diante da aprovação no congresso de uma Lei de Abuso de Autoridade que crava um punhal no modus operandi de sua estimada Lava Jato;

6) E, eis o pior: assiste, em visível desalento, o presidente, eleito sob a bandeira da moralidade, castrar a autonomia de órgãos de investigação com o evidente intento de livrar a cara de um filho seu comprometido com milícias, setor do crime organizado cujas atividades são exercidas por traficantes de armas e matadores de aluguel.

Fosse pouco, Sérgio Moro viu-se, em breves meses, desidratado pelos vazamentos de The Intercept, reveladores sobre a licenciosidade de seus métodos: o juiz do processo atuava como coordenador de fato da equipe de acusação, suprimindo do magistrado a base substantiva de sua autoridade: a isenção diante das partes.

Hoje, Sérgio Moro é, no palco movediço da institucionalidade, um personagem que perdeu muitas falas. Já não suscita solidariedade da mídia que o promovera à condição de herói. Se ficar no governo, não virá de dentro uma oportunidade ímpar de recuperação porque rivalizaria com Bolsonaro numa perspectiva sucessória. Se sair, já não encontrará nas ruas a blindagem sólida de outrora. Não terá sequer um “posto de combate”, pois não é mais juiz e ainda não é ministro de Supremo Tribunal, sonho cada vez mais incerto.

Bem, eu avisei.

*Ricardo Alcântara,

Escritor e publicitário.

Macron diz que Bolsonaro “mentiu” e que França se opõe ao acordo União Europeia-Mercosul

O presidente da França, Emmanuel Macron, admite que o presidente Jair Bolsonaro “mentiu” sobre seus compromissos com o meio ambiente e anunciou que, sob essas condições, a França se opõe ao tratado de livre comércio União Europeia e Mercosul. A informações está em várias agências internacionais nesta sexta-feira.

“Dada a atitude do Brasil nas últimas semanas, o presidente da República só pode constatar que o presidente Bolsonaro mentiu para ele na cúpula (do G20) de Osaka”, declarou o Palácio do Eliseu, estimando que “o presidente Bolsonaro decidiu não respeitar seus compromissos climáticos nem se comprometer com a biodiversidade”.

“Nestas circunstâncias, a França se opõe ao acordo do Mercosul”, acrescentou a presidência francesa.

Na quinta (22), Macron usou suas redes sociais para convocar os países membros do G7 para discutir as queimadas na Amazônia. O tema deverá ser tratado na cúpula que acontece neste fim de semana em Biarritz, na França. “Nossa casa está queimando. Literalmente. A Floresta Amazônica — os pulmões que produzem 20% do oxigênio do nosso planeta — está em chamas. É uma crise internacional. Membros da Cúpula do G7, vamos discutir em dois dias este tema emergencial!”, diz a postagem.

(Foto – AFP)