Blog do Eliomar

Últimos posts

Taxa de feminicídios no Brasil é a quinta maior do mundo

O Brasil possui a quinta maior taxa de feminicídio do mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O número de assassinatos chega a 4,8 para cada 100 mil mulheres. O Mapa da Violência de 2015 aponta que, entre 1980 e 2013, 106.093 pessoas morreram por sua condição de ser mulher. As mulheres negras são ainda mais violentadas. Apenas entre 2003 e 2013, houve aumento de 54% no registro de mortes, passando de 1.864 para 2.875 nesse período. Muitas vezes, são os próprios familiares (50,3%) ou parceiros/ex-parceiros (33,2%) os que cometem os assassinatos.

Com a Lei 13.140, aprovada em 2015, o feminicídio passou a constar no Código Penal como circunstância qualificadora do crime de homicídio. A regra também incluiu os assassinatos motivados pela condição de gênero da vítima no rol dos crimes hediondos, o que aumenta a pena de um terço (1/3) até a metade da imputada ao autor do crime. Para definir a motivação, considera-se que o crime deve envolver violência doméstica e familiar e menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

No ano passado, o governo brasileiro, o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) e a ONU Mulheres publicaram as Diretrizes Nacionais para Investigar, Processar e Julgar com Perspectiva de Gênero as Mortes Violentas de Mulheres – Feminicídios. O documento detalha, por exemplo, quando e como a perspectiva de gênero deve ser aplicada na investigação, processo e julgamento de mortes violentas de mulheres, além de formas de abordagem das vítimas e informações sobre os direitos delas.

(Agência Brasil)

Zaga tricolor volta a falhar e Fortaleza vive ameaça de deixar o G4 na próxima rodada

Luzes vermelhas a piscar, sirenes estridentes, extintores a postos, máscaras cirúrgicas à disposição.

A dramatização pode até estar exagerada, mas não há como aliviar a situação do Fortaleza na Série C do Campeonato Brasileiro, após o empate com o CSA, na noite desse domingo (27), em 1 a 1, em pleno Castelão, a três rodadas para o encerramento da primeira fase da competição.

Com o resultado, o Fortaleza chegou à quarta partida sem vitória e, diante de uma provável e infeliz combinação de placares, poderá cair para a sexta colocação já na próxima rodada, a pior situação desde a estreia com derrota.

A torcida, mais uma vez, fez a sua parte. Compareceu ao estádio em grande escala, mas vaiou o time no encerramento do primeiro tempo, diante do empate sem gols.

A coisa piorou logo no primeiro minuto da segunda etapa, quando Michel aproveitou falha da zaga, na tentativa da linha de impedimento. O Fortaleza somente empatou 30 minutos depois, após Hiago mostrar oportunismo e escorar a bola para o gol, na entrada da pequena área.

Na penúltima rodada, o Fortaleza vai a Aracaju enfrentar o Confiança, no próximo domingo (3). Sampaio Corrêa e CSA já asseguraram matematicamente participação no mata-mata.

Venezuela não tem como pagar comida e culpa Trump

A presidente da Assembleia Nacional Constituinte (ANC) da Venezuela, a chavista Delcy Rodríguez, disse que seu país não tem como pagar alimentos e medicamentos após o decreto assinado na sexta-feira (25) pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

“Temos barcos na costa carregados com medicamentos e com alimentos, mas a Venezuela não tem como fazer o pagamento desses bens essenciais para a população venezuelana. Por que? Porque há um bloqueio financeiro contra o país”, disse Delcy.

A ex-chanceler venezuelana afirmou que, com o decreto, Trump “acaba de formalizar o bloqueio financeiro contra a Venezuela” para levar o país “a uma interrupção dos pagamentos internacionais a fim de intensificar a agressão econômica contra o povo venezuelano”.

Há três anos, a Venezuela atravessa uma escassez de medicamentos e alimentos básicos, como a farinha de grão, de milho, azeite, açúcar, entre outros.

(Agência Brasil)

Alô, alô, marciano! Grupo se reúne em Fortaleza para discutir vida extraterrestre

Imagens de objetos voadores não identificados (Ovnis). Figuras geométricas desenhadas em áreas rurais. Seres de cabeça alongada com olhos grandes e puxados. Pessoas que, após desaparecerem, voltam com marcas no corpo e sem lembranças do vivido nos últimos momentos. As histórias podem lembrar enredos de filmes de ficção, mas algumas têm Fortaleza e cidades do interior do Ceará com cenário.

A existência de vida fora da Terra e a visita desses seres são temas que fazem um grupo se reunir, mensalmente, no Teatro Antonieta Noronha, no Centro. Na manhã de ontem, foi realizado o 19º encontro. Apresentação de pesquisas locais e vídeos sobre o assunto, debate sobre pesquisa ufológica e palestras são parte da programação. Um dos palestrantes, o professor Agobar Peixoto, realiza estudo com pessoas que relatam experiências de abdução no Ceará. Muitas, segundo ele, voltam com cortes e marcas no corpo.

Pela primeira vez no encontro, a estudante de ciências ambientais Kelly Farias, 24, diz que existem indícios suficientes para se acreditar na existência de ETs. Um dos maiores exemplos, para ela, é a construção das pirâmides egípcias. “Eu nunca tive contato, mas gostaria”, diz.

(O POVO/Foto – Evilázio Bezerra)

Pesquisa analisa 27 figuras públicas e Tasso está entre os menos rejeitados

Em meio à crise de representação política no Brasil, pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos sobre a percepção dos brasileiros em relação a 27 figuras públicas revela que quatro dos principais caciques do PSDB – Aécio Neves (MG), José Serra (SP), Fernando Henrique Cardoso (SP) e Geraldo Alckmin (SP) – têm hoje a imagem mais desgastada que a do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Condenado em um processo e réu em outras cinco ações relacionados à Operação Lava Jato, Lula é desaprovado por dois terços da população, enquanto um terço o vê de forma favorável.

Também tucanos, o senador Tasso Jereissati e o prefeito de São Paulo, João Doria, estão em situação mais confortável, em polo oposto: ambos estão entre os mais bem colocados entre os políticos avaliados.

Tasso, Doria, o ex- Ministro Nelson Jobim e o apresentador Luciano Huck são os quatro menos rejeitados. O senador cearense e Jobim, porém, são os que apresentam maior nível de desconhecimento, por parte da população. No caso de Tasso, 41% dos entrevistados apontaram que “não sabe/não conhece”, e Jobim, 42%.

(Com Estadão)

Costume Saudável – Erick Vasconcelos conta como deixou obesidade mórbida por participações em provas de Ironman

Dicas de como iniciar uma participação no Triathlon, além de sugestões para uma maior eficiência nos treinos, foram os destaques da palestra do secretário executivo do Turismo de Fortaleza, Erick Vasconcelos, no Festival Costume Saudável 2017, que ocorreu neste fim de semana, no estacionamento do RioMar Fortaleza. O presidente da CDL, Severino Neto (Mercadinhos São Luiz), prestigiou a palestra que contou ainda com o atleta João Luiz Ferreira.

Na palestra “Preparação para o Ironman”, Erick Vasconcelos contou ainda como saiu de um estado de obesidade mórbida para a participação em provas do maior evento de Triathlon do mundo, como nove vezes Ironman Finisher, três mundiais de Triathlon Longa Distância (Austrália, França e Espanha) e um Mundial de Ironman 70.3 (Clean Water, nos EUA).

Um dos condutores da Tocha Olímpica, em sua passagem por Fortaleza, Erick chegou a pesar 120 quilos, mas encontrou no esporte um novo estilo de vida. Com exercícios físicos e reeducação alimentar, ele conseguiu emagrecer 45 quilos.

O Festival Costume Saudável 2017 está em seu quinto ano e já faz parte do calendário de Fortaleza, como o principal evento de promoção de hábitos alimentares saudáveis e a prática de atividades físicas no Norte- Nordeste.

(Foto: Divulgação)

Eunício Oliveira – Reforma Política tem que ser aprovada até fim de setembro para valer em 2018

“Sou parlamentarista. Andei muito estes dias pelo interior, e o sentimento é que as pessoas desejam o voto distrital misto. O distritão poderia ser uma transição, mas muitos receiam que essa transição possa se tornar efetiva. Não é o que nós queremos para o país”, afirmou, em clima de encontro regional em Massapê (Zona Norte), no Ceará, o presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira (PMDB).

Eunício rechaçou duas propostas — a volta do financiamento de campanha por empresas e a possibilidade de doações ocultas, em discussão na Câmara: “Se o sistema anterior, legitimado por uma lei clara, que permitia empresas, deu no que deu, agora vamos criar novamente financiamento privado? Li que na Câmara tinha um projeto de doações ocultas. Não passará aqui no Senado. Não pautarei no Plenário.”

Ele voltou a lembrar que a reforma política tem que ser aprovada até o final de setembro, para valer já para as eleições de 2018.

(Foto – Divulgação)

Polícia Federal investiga atentado contra índio em Maracanaú

A Polícia Federal no Ceará deverá apresentar nesta segunda-feira (28) os primeiros resultados da investigação de atentado de homicídio contra um índio na reserva de Santo Antonio do Pitaguary, em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza.

O crime ocorreu na madrugada deste domingo (27), quando a vítima teve a casa invadida na reserva indígena e acabou espancada, antes de ter parte do corpo queimada. A residência também foi queimada. A vítima se encontra internada na UTI do Instituto Doutor José Frota, referência no atendimento a queimaduras de terceiro grau. Os agressores ainda não foram identificados.

Adolescentes executados

A execução de um casal de adolescentes causou comoção no bairro Jagurussu, na manhã deste domingo. Por volta das 8 horas, uma garota de 14 anos de idade foi morta a tiros, nas proximidades de sua residência. Horas antes, o namorado, também adolescente, havia sido executado. A Polícia acredita que as duas execuções possam ter a ver com ameaças nas redes sociais entre grupos que se dizem parte de facções criminosas. A partir desta segunda-feira (28), a Polícia irá verificar o conteúdo nas redes sociais, postado e recebido pelas vítimas nas últimas semanas.

Cármen Lúcia é a ministra mais simpática para brasileiros, diz pesquisa

A ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), é a que mais tem simpatia dos brasileiros, segundo uma pesquisa do Instituto Paraná Pesquisas. O Instituto ouviu 2,6 mil pessoas em todo o país na última semana.

A ministra, que define sua origem como ‘Das Gerais’ – ela é mineira -, teve 20% do voto de confiança da população. Mas a maioria dos brasileiros, 52% para ser mais preciso, não tem a menor simpatia com a formação da alta cúpula do Judiciário brasileiro, que ocupam as 11 vagas no STF.

O segundo ministro que mais conquista a simpatia dos entrevistados é Edson Fachin, com 5,8%. Apesar das declarações e atos polêmicos, o ministro Gilmar Mendes é mais bem avaliado do que alguns ministros. Mendes ficou com 1,6% da confiança, enquanto Marco Aurélio teve 1,3%, Alexandre de Moraes ficou com 1,2% e o ministro Dias Toffoli teve apenas 0,3%.

(Com Agências)

Fortaleza x CSA fecha rodada da Série C que define primeiros classificados para o mata-mata

Mais do que a estreia do treinador Zago, o Fortaleza tem toda uma motivação para venceu o CSA, na noite deste domingo (27), a partir das 19h15min, no Castelão, pela antepenúltima rodada da primeira fase da Série C do Campeonato Brasileiro. Uma vitória tricolor, além de encerrar um jejum de 16 anos, diante da equipe alagoana, devolve a confiança do time na competição, que não vence há três rodadas, e praticamente assegura a vaga tricolor no mata-mata.

Já o CSA, que vem de uma derrota diante do Confiança, não quer acumular pela primeira vez nesta temporada duas derrotas seguidas.

Até o momento, com a vitória parcial do ASA sobre o Cuiabá, por 1 a 0, Sampaio Corrêa e CSA já estariam classificados para o mata-mata. Em caso de vitória, o Leão também já asseguraria a vaga, beneficiado pelo confronto direto Salgueiro x Remo, na última rodada.

CNDL defende ampliação do Refis para lojistas

Tramita no Congresso Nacional a Medida Provisória (MP) nº783, de 2017, que institui o Programa Especial de Regularização Tributária (PERT), em substituição ao Refis, para o refinanciamento de dívidas de pessoas físicas e jurídicas com o governo federal.

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) acompanha esse debate de perto, posicionando os parlamentares no Congresso Nacional para ampliar os benefícios para os lojistas, incluindo os optantes do Sistema Simples, mesmo que para isso seja necessário propor alterações da Lei Complementar, informa a assessoria de imprensa da entidade.

Na proposta do governo, é permitida a redução do valor referente à primeira parcela do refinanciamento para dívidas inferiores a R$ 30 milhões. Com relação a juros e multas, os descontos podem chegar a 90% e 50%, respectivamente. O ministro da Fazenda, Henrique Meireles, anunciou que deve estender até 31 de outubro o prazo de adesão ao novo Refis, inicialmente com data de encerramento em 31/08/2017.

“Sabemos que muitas vezes o montante correspondente ao valor dos juros e das multas supera, em muito, o valor da própria dívida originalmente. Além disso, o valor limite de R$ 30 milhões para o refinanciamento das dívidas é muito baixo. Esse valor deveria chegar a pelo menos R$ 40 milhões para beneficiar um maior número de empresários ”, pontua o presidente da CNDL, Honório Pinheiro.

Já o parecer do relator da MP 783, o deputado Newton Cardoso, defende condições melhores para os lojistas. A proposta do relator aumenta o valor dos descontos nos juros de 90% para 99% e das multas, de 50 para 99%. O texto ressalta ainda que seja feita a redução do valor da entrada para dividas de até R$ 150 milhões, proposta que não deverá ser aceita pelo governo.

Observa-se que a inclusão do benefício para os optantes do modelo de tributação Simples não consta das propostas do governo ou do relator da Lei de Conversão da Medida Provisória 783. O fato é que alterações nos benefícios do Simples devem ser feitas através de uma Lei Complementar, o que não é objeto da atual negociação.

Jô Soares lança em novembro sua autobiografia

Por Euler de França Belém, do Jornal Opção:

Sabe o José Eugênio Soares, que fará 80 anos no dia 16 de janeiro de 2018? Ninguém, exceto a Barsa e a Wikipédia, sabe quem é o sr. José Eugênio Soares. Mas quem não sabe quem é Jô Soares? Todos sabem, é claro. Trata-se de um artista múltiplo, raro.

A enciclopédia lista: humorista (é o que faz melhor), apresentador (nos últimos anos, ao entrevistar os outros, entrevistava, na verdade, a si mesmo), escritor (mediano, mas não necessariamente ruim), artista plástico, dramaturgo, diretor teatral, ator, músico. Uma verdadeira raposa, diria Isaiah Berlin.

Entre os romances de Jô Soares estão “O Xangô de Baker Street” e “O Homem Que Matou Getúlio Vargas”. Nenhum excelente, nenhum ruim. Nenhum mal escrito. Todos best sellers. Um Rubem Fonseca menor, digamos.

Nada bonitão, mas, charmoso e inteligente, Jô talvez seja um dos mais célebres latin lovers gordos da história. Namorou várias mulheres bonitas e casou-se com algumas delas, como Teresa Austregésilo, Sílvia Bandeira, Cláudia Raia e Flávia Junqueira.

No humor, era um páreo para Chico Anysio. “Viva o Gordo” era divertidíssimo. Claro, Jô Soares não morreu. Mas parou de fazer humor. Embora no seu extinto programa de entrevista, o “Programa do Jô”, não deixasse de fazer algum humor.

Jô Soares era um grande entrevistador, mas parece ter descoberto, com o tempo, que, na falta de grandes entrevistados, sobretudo populares, tinha de se comportar como uma espécie de segundo entrevistado. Acabou que não era a entrevista do entrevistado que era interessante, e sim como Jô Soares o entrevistava, as piadas que fazia. O “Programa do Jô” morreu em parte por causa da idade do entrevistador, que parecia desmotivado, mas também porque o programa havia se tornado uma espécie de circo.

Para contar suas múltiplas facetas de doutor Moriarty do humor e de tudo mais, Jô Soares vai publicar, em novembro, pela Companhia das Letras, o livro “O Livro de Jô — Uma Autobiografia Desautorizada”. O livro foi escrito com o apoio do jornalista e editor Matinas Suzuki Jr. e sairá em dois volumes. Best seller à vista.

(Foto – Divulgação)

Projeto quer a criação do Hospital do Idoso de Fortaleza

370 2

A Câmara Municipal aprovou um projeto de indicação de autoria do vereador Julierme Sena (PR) quer quer a criação do Hospital do idoso de Fortaleza. “Não há nenhuma unidade com leitos de geriatria. Essa insuficiência na assistência ambulatorial precisa ser corrigida”, defende o parlamentar, que vê como da responsabilidade da rede pública a oferta desse tipo de serviço.

Segundo o vereador Julierme Sena, assim como já existe o Hospital da Mulher, a cidade precisa de uma unidade de saúde com atendimento especializado para os idosos. “Nosso mandato está buscando meios para promover um envelhecimento de qualidade às pessoas da Terceira Idade, que tanto já contribuíram”, explica.

O parlamentar alerta ainda que em 2016, de acordo com o relatório de execução orçamentária, o executivo municipal deixou de investir mais de R$ 2 milhões em políticas de assistência ao idoso.

Companhias anunciam novo reajuste do gás de cozinha em mais de 20%

A Petrobras está fazendo ajustes dos preços de seus produtos periodicamente. No caso do GLP, este ajuste ocorre todo dia 5 de cada mês. Levando-se em consideração a atual cotação internacional do GLP, conforme prevê a regra de correção da Petrobras, o próximo ajuste do dia 5 de setembro aponta para um aumento de 15% no preço do GLP. Isto sem considerar o ajuste decorrente da Convenção Coletiva da categoria (que ocorre todo setembro) e repasse de custos.

É o que diz um comunicado da Associação Brasileira dos Revendedores de GLP )ASMIRG-BR). Confira:

Nota

A Associação Brasileira dos Revendedores de GLP ASMIRG-BR vem comunicar a previsão do aumento anunciado pelas Companhias Distribuidoras para o mês de setembro/2017.

Em notas encaminhadas às revendas, o anuncio refere a dois aumentos, um da Petrobras, tomado como certo de 15%, e o segundo, das próprias Companhias Distribuidoras, referente a futuros acordos coletivos que irão entrar em negociação.

Conforme informações do setor, o aumento da Petrobras, embora praticado no Preço de Compra das Companhias, chegam no mesmo percentual no preço de vendas das Companhias Distribuidoras. Considerando real o anuncio divulgado, que a Petrobras anunciará para o próximo dia 05/08/2017, um aumento de 15%, referimos a um aumento equivalente a R$ 2,25 (15% de R$ 15,03 – Tabela 02). Mas seguindo as mesmas formas adotadas nos últimos aumentos pelas Companhias Distribuidoras, o aumento real que as revendas terão é de R$ 6,25 (15% de R$ 41,65 tabela 02)

Considerando as médias dos anos anteriores, nesta mesma época, o aumento devido a futuros acordos coletivos, antecipados, chegam de 10% do preço de compra da revenda. Sendo otimista, calculando este aumento no valor antes do aumento da Petrobras, teremos um segundo aumento de R$ 4,16 (10% de R$ 41,65)

As revendas e o consumidor brasileiro devem sentir um aumento no preço do botijão de gás de cozinha nesta realidade próximo dos R$ 12,00, sem contar os valores arredondados a mais pelas Companhias Distribuidoras, justificados por ser um preço livre e necessidades de ajustes de custos.

A ASMIRG-BR alerta para o risco deste aumento, inicialmente suposto em 15% pela Petrobras que equivale a R$ 2,25, mas por tratarmos de um preço livre, sem interferência do Estado Brasileiro, estes valores, com muito otimismo, deve chegar a R$ 10,00, para nossas revendas.

ASMIRG-BR.

Heitor Férrer entra com ação por improbidade contra Camilo Santana

O deputado estadual Heitor Férrer (PSB) entrou com ação no Ministério Público do Estado (MPCE) e no Tribunal de Contas do Estado (TCE) contra o governador Camilo Santana (PT) por crime de improbidade. Segundo o parlamentar, Camilo descumpre a Constituição estadual ao não exonerar do cargo de secretário-adjunto da Sesporte o ex-prefeito de Mombaça, José Wilame Barreto Alencar.

De acordo com Heitor, o secretário teve seus direitos políticos suspensos por atos de improbidade, estando impedido assim de assumir cargos públicos por oito anos, conforme determinam as Constituições Federal e do Estado, bem como a Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar Federal nº 135), e a emenda constitucional 74, de autoria de Heitor Férrer.

A Assembleia Legislativa aprovou em junho último o requerimento em que Heitor Férrer solicitou que Governo do Estado fosse oficiado para que exonerasse o secretário. Para ele, como não foram tomadas as providências, a ação contra o governador é justificável.

“O problema se avolumou, pois além da retirada do secretário, eu estou requerendo ao MPCE e ao TCE que movam uma ação de improbidade contra o governador Camilo Santana pelo desrespeito à nossa Constituição Estadual”, afirma Heitor.

(Foto – Arquivo)

O que mais falta para piorar esse pântano de indignidades e violência no qual se vive?

93 1

Editorial do O POVO deste domingo (27) lamenta a banalização da violência pelo País. Confira:

Que a situação da insegurança pública no Brasil atingiu níveis alarmantes, isso é de conhecimento de qualquer pessoa que se disponha a abrir um jornal, a ouvir uma rádio, a assistir a um canal de televisão, a navegar por qualquer página na internet. Por consequência, mesmo em conversas corriqueiras o tema violência estará presente, e não deixará de vir à tona o desabafo sobre o medo de assaltos ou do temor de sair à rua. Isso quando a pessoa já não sofreu na própria pele a violência, que se tornou banal.

Mas quando se observam algumas situações, é que se torna urgente questionar a que ponto chegou o esgarçamento social que explique alguns tipos de comportamento, mesmo vindo de pessoas que vivem à margem da lei ou em confronto com os mínimos costumes civilizatórios.

Uma dessas ocorrências aconteceu em Fortaleza. O Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu) recebe ligação para atender a uma pessoa que teria sofrido um AVC. Imediatamente é deslocada para o local uma UTI móvel com médico e enfermeira. No entanto, tratava-se de um trote engendrado para a prática de assalto: os dois profissionais foram rendidos e têm seus celulares e equipamento da ambulância roubados.

Em uma cidade do interior de Santa Catarina, uma professora, durante a aula, chama a atenção de um aluno de 15 anos de idade. A resposta é um soco que o rapaz lhe dá no rosto, que a deixa sangrando e com o olho roxo.

No estado de São Paulo, em uma pequena cidade do interior, dois homens em uma moto passam por um cadeirante paraplégico. Um deles desce da garupa e rouba-lhe o dinheiro, cartões de crédito e o remédio, que acabara de comprar. “Que tristeza”, lamentou a vítima.

Esses casos – no momento terrível em que se vive – talvez nem sejam os mais graves, pois ninguém perdeu a vida. Porém são simbólicos de um momento em que parece que nada mais é digno de respeito e nada mais merece reverência: nem professores (que têm a bela missão de ensinar) nem médicos (que salvam vidas) e também não deficientes (que deveriam merecer proteção e solidariedade).

Talvez só reste mesmo lamentar: que tristeza. O que mais falta para piorar esse pântano de indignidades?

Fortaleza – A quarta capital nordestina em mulheres afetadas na saúde mental pela violência doméstica

Da Coluna Bric à Brac, no O POVO deste domingo (27), pela jornalista Inês Aparecida:

Impressionam e chocam os números que se vê no relatório da pesquisa de Condições Socioeconômicas e Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, fruto de uma parceria da Universidade Federal do Ceará e Instituto Maria da Penha. Já é a segunda fase da pesquisa – a primeira foi apresentada em dezembro de 2016 – e desta vez direcionou a análise para o impacto da violência no mercado de trabalho.

O Brasil carece de estatísticas e estudos sobre o assunto, mas essa pesquisa trouxe dados inéditos. No curto prazo a violência doméstica afeta, principalmente, a habilidade e produtividade da vítima no emprego se manifestando em episódios de absenteísmo, atrasos, redução de produtividade. A longo prazo, as consequências se revertem em históricos de mercado de trabalho inconsistentes, subemprego e redução permanente na produtividades e salário.

A pesquisa foi apresentada pelo coordenador do trabalho, prof. José Raimundo Carvalho, da UFC, e pela presidente do Instituto Maria da Penha, Maria da Penha Fernandes. O estudo ouviu 10 mil mulheres nos nove Estados do Nordeste. Aponta, por exemplo, que em Teresina (PI) elas são as mais afetadas em sua saúde mental (48%), seguida das mulheres de Aracaju (42%), Natal (40%) e Fortaleza (38%).

Outro dado que entristece: observou-se que 23% das mulheres vítimas de violência doméstica nos últimos 12 meses disseram ter recusado ou desistido de alguma oportunidade de emprego nesse período, porque o parceiro era contra. Há outras revelações deprimentes. Infelizmente o espaço é pouco para descrever tantas barbaridades.

A Lei Maria da Penha, que completou 11 anos neste mês, em seu art. 9º determina salvaguardas importantes para proteger o trabalho da mulher contra a violência doméstica, como dar prioridade à remoção de servidora pública; manutenção do vínculo trabalhista quando necessário o afastamento do local de trabalho, por até 6 meses, entre outros itens.