Pelo direito à cidade

foto luizianne câmara federal

Em artigo no O POVO deste sábado (5), a ex-prefeita de Fortaleza e deputada federal Luizianne Lins (PT) comenta a situação dos moradores da Vila Vicentina. Confira:

A agressão contra moradores da Vila Vicentina é mais um capítulo do terror econômico dirigido contra as populações mais carentes em Fortaleza. Construída na década de 30, para abrigar pessoas necessitadas, a área se tornou uma das mais valorizadas da cidade e virou alvo da cobiça do mercado imobiliário. Quantos patrimônios teremos ainda que perder para abrigar espigões?

Em nosso governo, o Plano Diretor Participativo de 2009 estabeleceu a área da Vila Vicentina como uma Zona Especial de Interesse Social (Zeis), tipo 1 – território destinado prioritariamente à regularização urbanística e fundiária dos assentamentos habitacionais de baixa renda.

A demarcação das Zeis representa uma conquista social de amplo alcance e um amparo legal contra a especulação imobiliária, entretanto, aplicar a lei que preconize justiça social e direito à cidade, num contexto excludente e de especulação, exige compromisso e democracia. É dever de todas e todos exigir respeito às conquistas sociais e cumprimento da legislação pelos poderes constituídos. O que está acontecendo na Vila Vicentina é a expressão atual da luta de classe urbana.

Realizamos um Plano Diretor com participação da sociedade visando à construção de uma cidade mais justa, includente e sem violência. Sob o manto do Estatuto da Cidade e com horizonte no fim do déficit habitacional, a reforma urbana poderá tornar nossa cidade um lugar melhor para se viver.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

2 comentários sobre “Pelo direito à cidade

  1. Incompetente mor, seja coerente e doe sua casa para a população de baixa renda. Mas como toda esquerdista marxista stalinista, quer que a prefeitura gaste milhões para desapropriar essa quadra em prol de algumas poucas pessoas.

  2. É impressionante a desfaçatez desse povo.Digo desse povo, porque ela representa o que está aí, o que acabou com o país, e quer acabar com a nação.Essa obra, só pode ser construída por um ato exclusivo dessa mulher. Agora, vir posar de vestal de protetora da cidade,só pode tá alheia as coisas a seu redor.Aguardem,vcs vão entender.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − 6 =