PMDB entrega na próxima semana lista dos seus ministeriáveis

“O PMDB quer entregar até a próxima semana à presidenta eleita Dilma Rousseff as indicações de ministérios a que o partido teria direito. O vice-presidente eleito e interlocutor da legenda na equipe de transição, Michel Temer (PMDB-SP), disse que o PMDB considera como da cota pessoal de Dilma as indicações de Sérgio Côrtes para o Ministério da Saúde e a manutenção de Nelson Jobim na Defesa. Cortês foi indicado pelo governador do Rio, o peemedebista Sérgio Cabral, mas Dilma não bateu o martelo.

Temer acrescentou que o PMDB teria direito a indicar mais quatro ou cinco vagas, neste último caso, se for considerado que lhe cabe indicação por cota pessoal. Pelas contas, as bancadas na Câmara e no Senado teriam direito a duas indicações cada e ele a uma. “Estamos ajustando esses ponteiro e vamos ajustá-lo, tenho absoluta convicção”, disse Temer.

O parlamentar minimizou as notícias veiculadas de que as bancadas na Câmara e no Senado estariam sendo colocadas em segundo plano. “O que há é aquele desconforto muitas vezes daqueles que querem um pouco mais, um poucos menos, nada que nos preocupe. Estamos trabalhando, estamos conversando, e o PMDB terá um espaço compatível com seu tamanho, isso a presidenta (Dilma Rousseff) já disse. Então, não há dificuldade nenhuma na relação”, avisou.

Sobre a indicação de Cortês, secretário de Saúde do Rio, Temer disse que conversou com o governador do Estado. Cabral afirmou que não procurou ninguém porque, “na verdade isso foi uma cota pessoal”. Ainda segundo o relato de Temer, o governador disse que Dilma o procurou porque queria um técnico para a pasta e que “apreciava o trabalho de Sérgio Côrtes e que entrava na cota pessoal dela”.

Temer ressaltou que por ser vice-presidente eleito, além de interlocutor do partido na transição, tem que colaborar com o governo. Sobre as insatisfações colocadas a público pelo peemedebista Moreira Franco (RJ), Temer disse que ele também lhe telefonou para dizer que “não se pode correr o risco de esvaziar quem é o interlocutor do PMDB que foi nomeado por todos”.

O vice-presidente eleito acrescentou que, em conversa com os senadores José Sarney (PMDB-AP) e Renan Calheiros (PMDB-AL), esse ponto foi reforçado e que seu papel “não está minimamente esvaziado”.

(R7.com)

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × cinco =