Por uma mudança na gestão de escolas

Em artigo enviado ao Blog, o professor Francisco Djacyr lamenta que a atual administração tenha seguido o caminho da ex-gestão. Confira:

É triste ver que o Partido dos Trabalhadores com suposta tradição democrática destruiu a democracia na rede pública municipal da cidade de Fortaleza abrindo caminho para que o prefeito eleito Roberto Claudio imponha na rede pessoas alheias ao sistema e que talvez nem conheçam a realidade das escolas municipais e da comunidade escolar como um todo. É modelo é sim de imposição, é sim de antidemocracia e tem a ver com uma suposta competência que pode existir na prova, mas não será comprovada dentro da situação do cotidiano escolar e da relação com professores, pais, alunos e comunidade em geral.

Não é possível que, em pleno terceiro milênio, a lei máxima da Educação, nossa Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, seja mais uma vez rasgada por um governo que não dialoga, não discute , não elabora coletivamente e apenas manda para que todos obedeçam sem questionamento.

É triste ver que a educação em Fortaleza seja tocada na base do chicote e do estilo mandão de modelos oligárquicos de governo, em que muitos esperneiam, tentam falar e não encontram guarida. Professores tiveram seus salários bloqueados e nada foi feito. As crianças ficaram sem os dias letivos necessários e até o Ministério Público supostamente guardião da lei ficou silente e concordou com este absurdo acompanhado por outras entidades que deveriam defender o direito à educação. Onde estamos? Se leis são feitas para serem pisoteadas e aniquiladas de que adianta tanta luta pela democracia? Um sistema escolar precisa ser democrático para gerar prazer, acompanhamento e compartilhamento de decisões.

Uma boa escola precisa de democracia e não de chefetes que impõem, perseguem e violentam alunos e professores, o que foi comum nos últimos anos. Imaginem agora o que será dos professores e alunos com pessoas alheias à realidade da escola, que com certeza só darão satisfação ao chefe supremo, coronel do novo milênio.

Para dirigir uma escola é necessário altruísmo, respeito, colaboração, partilhamento e diálogo. Não como mera situação de desabafo, mas como princípios de um mudança nos rumos da ação. Escola boa é escola democrática, onde disciplina, respeito e valores éticos sejam conquistados em comunhão e nunca com imposição ou perseguição. Sem isso, nossa educação vai continuar a amargar resultados vergonhosos e nunca acontecerá a tal revolução na educação, que só acontece com professores bem pagos, motivados e com alunos respeitados, valorizados e aceitos como seres humanos que têm problemas, mas que merecem ser trabalhados e não humilhados como pessoas que nunca serão alguém na vida.
Educação é bem mais que imposição, é bem mais que seleção, pois um indivíduo pode ser ótimo de conteúdo e péssimo de caráter. A educação só vai mudar se houver mudança na classe política que prefere gerir a crise do sistema em nome principalmente da conformação econômica e nunca social. Educação pede muito mais…

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

3 comentários sobre “Por uma mudança na gestão de escolas

  1. Total absurdo! Pior é o silêncio dos que deveriam defender profissionais e docentes. Além dos mencionados, os dois principais sindicatos dizem: “greve é o último recurso, só ocorre quando não há diálogo”. Diálogo? Está mais para monólogo. Escuto, mas faço o que quero.
    Não acredito nessa administração! Em 15 dias de governo, exonerações em massa de terceirizados e cargos comissionados. Justificativa para enxugar a folha? Muitas outras secretarias criadas, outras coordenadorias ganharam status de secretaria e as gratificaçoes comissionadas aumentaram consideravelmente.

  2. Tem que ser assim mesmo, tem que ser por meritocracia!!!

    As escolas técnicas do governo do estado são administrada por gestores advindos de seleção pública. Visitem tais escolas e verão a qualidade das mesmas…

    Parabéns prefeito!!!

  3. Meritocracia? As escolas estão seguindo um padrão antiquado , onde a nova gestão impõe que professores devem seguir a moda de sala, aluno e professor.
    Estão acabando com os projetos do Mais Educação, projeto esse desenvolvido pelo Governo Federal, para “alimentar” a vontade de estudar pelos alunos, inserindo novos meios de educação como radioescola, teatro, dança, etc.

    Professores de laboratório de informática e biblioteca foram colocados em sala de aula, paralisando as atividades que são sim, necessárias (também além de sala de aula) para um bom aprendizado.

    Como assim? Se a nossa sociedade está evoluindo com estes meios, por quê não a educação de base também?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 5 =