PPS já admite ter candidato a governador em 2010

“Para ser governador do Estado é preciso ter coragem, e coragem é o que não me falta”. A declaração é do empresário Alexandre Pereira, que foi homologado ontem presidente estadual do PPS. Apesar de avaliar que ainda é prematuro falar em nomes para próxima disputa estadual, Alexandre garante que se sente preparado para contribuir com o Ceará e suceder o governador Cid Gomes (PSB).

Toda a disposição demonstrada por Alexandre Pereira vem dois dias depois de o senador Tasso Jereissati, em encontro do PSDB realizada no Crato, disse ser necessária uma “novidade” nas próximas eleições para o Governo do Estado. “O Ceará precisa de uma chacoalhada, de sangue novo, daquela circulação mais vibrante”, disse o senador na ocasião.

Segundo Alexandre, que substitui Sérgio Braga no comando do PPS, as conversas com o senador tucano têm sido constantes. No entanto, mesmo afirmando que Tasso é “um grande estrategista”, Alexandre garante que os dois ainda não falaram especificamente sobre a sucessão do governo estadual. “Não existe nenhum tipo de acordo ou acerto. Eu acho que nós temos muitos nomes”, disse o empresário, em referência ao bloco de partidos (PSDB, DEM, PPS, DEM e PTB) que poderá marchar unido nas próximas eleições.

Críticas a Cid
Antes de se juntar aos cerca de 200 militantes que participaram da eleição simbólica da nova Executiva Estadual do PPS, na Câmara Municipal, Alexandre Pereira também disparou críticas à gestão de Cid. Para ele, a decisão de fazer uma grade coalizão partidária no Estado tem causado sérios prejuízos à máquina pública. “Se eu escolho os membros de uma gestão baseado por questões políticas, tenho dificuldades de eficiência na gestão da máquina”, criticou.

Outro ponto negativo destacado por ele é a falta de uma ampla oposição na Assembleia ao governo Cid Gomes. “Acho uma vergonha uma Assembleia dessa forma”, criticou. Questionado se caberia ao PSDB fazer essa oposição, Alexandre foi taxativo. “Eu já falei até isso para o Tasso. Eu acho absolutamente incoerente essa posição do PSDB. Era o papel do PSDB sim fazer essa oposição. Mas, infelizmente, os deputados se preocupam mais com momentos pessoais do que com o projeto do Estado”.

Presente à convenção estadual do PPS, a deputada Tânia Gurgel confirmou que o PSDB precisa “rever muitas muitas coisas” e sedimentar uma identidade própria na Assembleia. ”

(Jornal O POVO)

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + quinze =