Refresco – Decreto autoriza linha de crédito para agricultores vítimas de calamidades

“Decreto assinado pela presidenta Dilma Rousseff e publicado hoje (25) no Diário Oficial da União autoriza o Conselho Monetário Nacional (CMN) a criar linhas de crédito para custeio agrícola e pecuário no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

As linhas de crédito devem ser criadas para contratação em municípios com situação de emergência ou estado de calamidade pública decretados em função de eventos climáticos extremos, reconhecidos pelo Ministério da Integração Nacional. Caberá ao CMN estabelecer o percentual dos bônus, os encargos financeiros, os prazos, os limites, as finalidades e demais condições das linhas de crédito.

Em portarias publicadas hoje (25), a Secretaria Nacional de Defesa Civil reconhece situação de emergência em aproximadamente 100 municípios do Norte e Nordeste, em decorrência de estiagens. Situação de emergência por enchentes e inundações foi decretada também em três municípios do Pará – Almeirim, Santarém e Terra Santa – e em Teresópolis (RJ).”

(Agência Brasil)

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Um comentário sobre “Refresco – Decreto autoriza linha de crédito para agricultores vítimas de calamidades

  1. Organizações Não Governamentais (ONGs)

    Li em alguma parte que não me lembro a seguinte pergunta: “por que não existe ONGs nas regiões de seca do nordeste”? Fiquei a pensar e cheguei a seguinte conclusão: porque lá não há conforto, água, luz, telefone, tv, ar condicionado, automóveis etc … A grande maioria das ONGs foram criadas para interesses próprios e excusos, recebendo benesses de governos e servindo para meio de vida de poucos. O Brasil está cheio delas, sob os mais diversos títulos. Se alastraram pelo país quase inteiro, menos nas regiões de seca, obviamente. A amazônia está lotada dessas ONGs chefiadas por estrangeiros que exploram nosso território. Uma CPI sobre essas entidades não levou a nada, então, para que servem?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − 12 =