Renato Roseno questiona política hídrica do Ceará

renatoto

O deputado estadual Renato Roseno (PSOL) questionou, nesta sexta-feira, em seu primeiro pronunciamento na Assembleia Legislativa, a gestão da água no Ceará. O parlamentar disse que 77% das outorgas de água no Estado – concessões pelo Governo do direito ao uso de água, são para a agricultura irrigada, 11% para a indústria, 7% para o abastecimento público e 4% para outros usos.

Ele acrescentou que só a termelétrica do Pecém gasta 6% da água do Estado, enquanto recebe desconto de 50% na tarifa de água e gera somente 398 empregos. De acordo com Roseno, ainda há o desperdício na distribuição de água em Fortaleza que chega a 35%. Ele lamentou e repudiou o fato de apenas dois terços do território cearense terem cobertura de tratamento de esgoto. “A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização das Nações Unidas (ONU) consideram que o acesso à água potável é um direito humano,” lembrou.

Roseno (PSol) propôs uma campanha – água para quem precisa, um direito humano e suporte à vida – em sintonia com o que estabelece o Comitê dos Direitos Econômicos, Sociais e Culturais das Nações Unidas. “A água é um recurso natural limitado e um bem público fundamental para a vida e a saúde. O direito humano à água é indispensável para viver dignamente e é condição prévia para a realização de outros direitos humanos”, acentuou o deputado.

O deputado apegou-se a dados oficiais da Agência Nacional das Águas (ANA), Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para questionar a gestão da água no Ceará do ponto de vista da quantidade e da qualidade. Disse: “Nós temos um modelo perverso de um sistema neoliberal que transforma a água em mercadoria. E os governos, sucessivamente, servem a esse modelo, em nome de um pretenso crescimento econômico mascarado de desenvolvimento econômico e social”, apontou.

“O Ceará está recebendo indústria suja, consumidora em larga escala de energia e água, com alto impacto ambiental e baixa geração de emprego”, argumentou Renato Roseno, questionando inclusive a vocação do Ceará, um estado com 90% do território no semiárido, para receber tais empreendimentos.

Ele propôs ainda que a Assembleia Legislativa encaminhe uma agenda prática de combate ao uso de agrotóxicos, pela substituição de tecnologias atrasadas ainda do século XIX, que usam água excessivamente, como é a irrigação por inundação, e pelo fim do incentivo fiscal para atividades econômicas lucrativas que gastam muita água e geram poucos empregos.

0
Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

5 comentários sobre “Renato Roseno questiona política hídrica do Ceará

  1. Valeu Renato Roseno.Sou de uma comunidade próximo ao Porto do Pecém. A água passa dentro da cidade, mas a comunidade não pode tirar para produzir frutas e verduras. A água vai toda para as indústrias que tem desconto do governo. Meu voto está sendo bem honrado.

  2. Parabéns ao Renato Roseno, até que enfim apareceu um opositor de verdade. Eu votei no João Alfredo que não se elegeu, mas tem o Roseno. Eu voto em nomes e não em partido. Não sou ideológico é tanto que votei em Tasso que é um empresário e como empresário é de direita. Vai fazer um grande trabalho no Senado. Democracia só funciona com oposição forte sem radicalismo. O governo CID praticamente não teve oposição, pois a AL do Ceará foi engessada em seu governo.

  3. Vão perguntar aos empregados no Pecém se eles são contra as indústrias sujas? O que queria o deputado? Google, Apple e Microsoft instalados em Quixelô?

  4. A agua que vai pra irrigacao serve paa aumentar o seor produtivo agrucola do estado, que por sua vez aumenta a geraçao de emprego no campo e a oferta de alimentos no nosso estado, ajudando inclusive a controlar a inflacao… Por outro lado, o Pecem esta trazendo e vai trazer desenvolvimento economico ao nosso estado, gerando empregos, infraestrutura e fortalecendo uma serie de outras cadeias produtivas no nosso estado… Milhares de empregos estao sendo gerados atraves do parque industrial do Pecem.,. Me admira o deputado criticar tanto o projeto do Pecem quanto os projetos de agricultura irrigada no nosso estado

  5. Valeu Roseno, lembrando que a COGERH continua desrespeitando a decisão do TCE e o requerimento da Assembleia para a CONVOCAÇÂO IMEDIATA dos CONCURSADOS do ultimo concurso no lugar dos terceirizados que ali estão. Uma pena ver que uma instituição tão importante para a sociedade não é levada a sério pelo governo do PT, nem mesmo a lei é cumprida por eles.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × quatro =