Repórter conta detalhes da desocupação de trecho do Parque do Cocó

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=__YR2-vStJM&feature=c4-overview&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O jornalista Demitri Túlio (O POVO), que esteve cobrindo, nesta madrugada de quinta-feira, a desocupação de trecho do Parque do Cocó por parte da Guarda Municipal, conversou com o Blog e conta alguns detalhes da operação.

Segundo Demitri, há relatos de violência, acampados presos e uma certeza: a Prefeitura não recuará de sua disposição de construir dois viadutos no encontro da avenida Antônio Sales com Engenheiro Santana Júnior.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

9 comentários sobre “Repórter conta detalhes da desocupação de trecho do Parque do Cocó

  1. Eliomar e Demitri.

    Grata pelo depoimento! E por divulgarem o ocorrido!Eu estou me deslocando para lá, agora. E levando comigo a minha câmera fotográfica.Apesar de não fazer parte do movimento dos acampados, diretamente, SOU CIDADÃ e o COCÓ também me pertence, como a qualquer cidadão dessa cidade, mesmo que não o queiramos!

  2. Ah! Complementando…Além da Câmera Fotográfica, estou levando minha quitação de IPTU, IPVA, Declaração de Renda, etc. Todos os MEUS IMPOSTOS PAGOS como uma CONTRIBUINTE de um Sistema que visa tudo, menos o BEM COMUM, infelizmente!

  3. Uma cidade como Fortaleza não se pode dominar por 20 baderneiros liderados por radicais de ideias ultrapassadas e políticos oportunistas. O prefeito teve legitimidade para expulsar o bando. Vão chorar na cama que é lugar quente.

  4. Costa, ultrapassada é a ideia de que o problema da mobilidade urbana se resolve com viadutos. Qualquer engenheiro fuleiro sabe que esta abordagem é considerada ultrapassada há mais de dez anos por conta de sua ineficiência. A construção de viaduto não só não resolve o problema como cria vários outros. Ultrapassado e radical é o prefeito que resolve gastar uma fortuna com uma obra anacrônica. Ultrapassado é você que apoia esta ideia obtusa.

  5. Parabéns pela cobertura. Mas enquanto a família Ferreira Gomes estiver no poder, Fortaleza será sempre uma cidade reprimida pela violência de todos os seus direitos. A não ser que a imprensa do estado resolva colaborar e denunciar. os desmandos deste governo, veja como ele agiu premeditado foi la fez uma visita e em seguida manda usar da força e da violência para retirar, claro que este foi mais um ato do sr. Governador do estado.

  6. só o comentarista Costa está certo, né?
    Poxa, cara, acorda! Tá concordando com a forma como agiram? Se tem gente que pensa diferente de você, a saída é conversar e jamais sair metendo a força despropositada.

  7. Como disse o Giuseppe, a violência não pode substituir o diálogo. Está difícil explicar para os filhos o que está acontecendo. Poderiamos estar andando de ônibus elétrico, sobraria espaço, arvores e dinheiro pra gastarmos com cultura e lazer. Nosso dinheiro público não pode ser gasto incentivando essa política de transporte que temos hoje em Fortaleza. Por falar em transporte público, duas pessoas foram baleadas e um morreu no assalto em ônibus agora a pouco na W. Soares. Vamos enfrentar o problema da mobilidade urbana e de direito a paz para todos.

  8. Muito engraçado esse povo que não obedece justiça que faz baderna e quer compreenção da polícia.
    A Rosa da Fonseca não tem mais bandeira então tem que persistir.Sempre a violência substitui o diálogo porque quem não tem razão, tenta pelo grito e pela baderna porque só mesmo desocupados podem dispor do tempo em vez de estar em gabinetes acampando e mostrando serviço. Uma vergonha. Soube que tem filho de jornalista no gabinete do João Alfredo para ter força dando-lhes razão. Feito o Franklin Martins. O que não se passa debaixo dos bastidores…..enquanto isso ficamos engarrafado e sem perspectiva.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + 8 =