Siderúrgica do Ceará vai mesmo ser movida a carvão mineral

rogercoletiva

Roger Agnelli durante a coletiva.

A futura Companhia Siderúrgica Pecém (CSP), cuja ordem de serviço foi assinada nesta quata-feira, durante ato no Complexo Industrial e Portuário do ècme, em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza), vai mesmo ser movida a carvão mineral. Confirmou, durante entrevista coletiva, o presidente da Vale do Rio Doce, Roger Agnelli, um dos sócios do empreendimento ao lado da corena Dong Kuk.

Ele justificou que não há gás natural suficiente em oferta no mecado e que o carvão mineral será adotado, o que exigirá, no entanto, dos investidores, ações para minimizar problemas com a emissão de CO2, ou seja, poluição. Disse que virão compensações, dentro da filosofia adotada pela Vale em todos os seus projetos e iniciativas.

Na coleiva, Roger estava ao lado do governador Cid Gomes e de representante da Dong Kuk, ocasião em que aproveitou para rasgação de seda. Ele deu nota 10 para o governador em termos de gestor e disse que em todas as barreiras enfrentadas para a concretização do empreendimento, não faltou o apoio de Cid Gomes. Já o governador foi mais cauteloso e lhe aplicou nota 5.

(Foto – Paulo Moska)

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 6 =