Sinal fechado

Em artigo no O POVO deste sábado (9), o médico, antropólogo e professor universitário Antonio Mourão Cavalcante faz uma crítica a candidatos que se mostram íntimos de eleitores em seus slogans. Confira:

O sinal demora muito a abrir. Temos que esperar, com boa vontade, que os carros possam fluir. O trânsito é lento. Quase parado. Era esse o resultado do que sonhávamos ser o progresso? Na minha frente, o vidro traseiro de um carrão 4 x4, branco, mostra um imenso adesivo. Um senhor bem vestido e penteado abre um largo sorriso: é candidato. Tem um número de quatro dígitos e, abaixo da foto, uma frase slogan: seu amigo de sempre.

Não sei de quem se trata. Nunca o vi mais gordo ou mais magro. Nem mais calvo ou cabeludo. Mas, o homem diz que é teu amigo de sempre, cara? Será que fomos colegas de colégio? Será que ele é registrado na OAB ou Conselho Regional de Medicina? Não sei. Apenas que é simpático e tem um largo sorriso. Photoshop opera milagres. Mas, como o trânsito não anda, começo a me aborrecer com esse ente sorridente. Deveria era fazer propaganda de pasta dental. Dentadura perfeita ou é uma prótese? Rico faz implante…

Soube depois que quatro dígitos é número para deputado federal. Então, o “amigo” quer ser deputado federal. De novo ou novo no lance? Duvido que algum cearense saiba nominar, pelo menos, dez dos nossos deputados federais… Ou mesmo dizer, quantos são?

O candidato em causa, não deve ser do PT, senão o adesivo seria todo vermelho. Teria vermelho. Você não sabe, cara, o PT no Ceará resolveu encarar outras cores. É laranja. É róseo. Branco. Combina com qualquer cor. O verde era do PV, agora apropriado pelo PMDB… No caso aqui, do “amigo”, existem faixas de cores diferentes. Parece camisa de seleção de país africano. Multicolorida. Igualmente, ele não declara com qual grupo político está identificado. Nem é da situação. Nem é da oposição. Isso ele define depois de eleito. Mais prático.

Também não diz quem seria seu candidato ao Senado e – pasmem! – nem a Governador do Estado e presidente da República. O ser sorridente é um candidato livre. Multiuso. Pós-moderno. Para ele, partido político é coisa retrógrada, de capitalista reacionário ou revolucionário desnorteado. O mundo mudou. Agora nós somos clean. Buscando parcerias de resultados.

“Nem perca sua chance de ser feliz. Você pode morar perto da felicidade”…. Opa! Pensei que estava lendo outro cartaz político. Mas, desta feita a proposta é de uma imobiliária. De um mundo igualmente mágico e sedutor.

Finalmente, os carros põem-se em movimento. O “amigo de sempre” sai por aí, distribuindo um sorriso aberto pela cidade. E eu fico me perguntando: quem é mesmo o otário nessa história?

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

4 comentários sobre “Sinal fechado

  1. ” O sujo falando do mal lavado”…
    Antônio Mourão, caro Eliomar, se esqueceu rápido de quando candidato a vice-prefeito na chapa do Elmano de quantas pessoas na periferia de fortaleza ele trocou abraços calorosos, afagos e juras de amor por uma ideologia e por uma causa política, fazendo aquela sua bela camisa vermelha suada desfilar por ai, plagiando o poeta.

  2. O articulista se auto definiu.Antigamente se dizia para casos parelhos, que o sujeito não tinha simancol, ou não tinha espelho em casa. É subestimar demais a capacidade cognitiva das pessoas.Por fim, intelectualidade não é sinônimo de sapiência.Pense num cabra….

  3. Obrigado Sr. Eron Moreira. Você reconhece que abracei calorosamente as pessoas, que fiz afagos e juras de amor POR UMA IDEOLOGIA E POR UMA CAUSA POLÍTICA…
    É exatamente isso que tristemente observo agora. Não há ideologia, nem causa política em jogo. O negócio é se eleger, não importa como e por qual lado… Isso é que é triste.
    Obrigado Sr. Eron Moreira: você entendeu que entrei numa luta eleitoral porque acredito e tenho crenças políticas bem claras… Portanto, é um limpo, falando de um mal lavado!

  4. O número de candidatos que postulam um cargo político através das próximas eleições este ano é é muito maior em relação as ultimas eleições. Qualquer elemento mesmo que não tenha afinidade e nem espirito público para coisa insiste em disputar. Em seus santinhos um sorriso de norte a sul, e diz que é meu amigo. Da onde! A maioria vai defender quando eleito, a educação,saúde e segurança, imaginem se eles defendessem mesmo. O Brasil seria um Canada em IDH. A maioria deles querem mamar nas tetas do governo e se fazerem no cargo(grana). Um tal de “aonde é” e outros, olhem só como a coisa é avacalhada, novato da política já está sendo investigado pelo PROCAP. Entram pobres e saem ricos. E os antigão que estão a frente do poder por décadas! Vamos acabar com essa tal imunidade parlamentar, verba de gabinete, auxilio isso, aquilo outro, a cada três meses a receita federal deveria fazer um pente fino nos patrimônios destes caras, exigir produção parlamentar, vamos mudar esta constituição que só favorece algumas classes incluindo eles. Reforma tributaria, política e judiciaria já. Chega de tanta sacanagem para com os brasileiros. A qui no Brasil com a dadiva de Deus não temos terremotos, tempestades, guerras em fim algum cataclismo mas,porém toda via, existe o silêncio da covardia em que todos são cúmplices incluindo a minha pessoa, eles arrancam nossas unhas uma a uma a sangue frio(impostos). Macacos velhos com a boca escancarada se digladiando, chegamos ao ápice da ridiculosidade política, por isso, assim como eu e outros temos vergonha de ser brasileiro e abro mão da minha soberania. Tão cedo este país vai criar vergonha na cara. Não estamos generalizando,claro existem as exceções. muito obrigado! gladson

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − oito =