Sindicato APEOC divulga nota de solidariedade aos professores municipais em greve

Este Blog recebeu nota do Sindicato Apeoc, que trabalha em favor dos docentes estaduais, em solidariedade aos professores em greve no município. Eis a nota:

NOTA DO SINDICATO-APEOC EM SOLIDARIEDADE AOS PROFESSORES DO MUNICÍPIO DE FORTALEZA

A luta da classe trabalhadora tem, no instrumento legítimo da greve, uma de suas principais armas de reivindicação e, quando se esgotam todas as possibilidades de negociação, a greve é o último recurso para que os patrões e os governos cumpram os direitos reivindicados pelos trabalhadores.
Nós, educadores (as), como integrantes desta classe, também temos na negociação e na greve nossos instrumentos de luta, justa e responsável.
Dessa forma, nós que fazemos o Sindicato APEOC (como qualquer outra entidade sindical de luta), reafirmamos: defendemos o princípio legítimo da greve, quando se faz necessário.
A categoria de profissionais da educação do município de Fortaleza encontra-se em greve há mais de 40 dias, buscando um desejo que unifica toda a nossa classe: a luta pela imediata implantação do Piso Salarial para os trabalhadores (as) em educação no país.
O Piso é uma luta histórica de nossa categoria, através da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação/APEOC, que foi aprovada por unanimidade pelo Congresso Nacional, sancionada pelo presidente Lula e julgada constitucional pelo STF, mas que é repudiada pelos governos de plantão. Sejam eles de esquerda ou de direita, numa clara demonstração de completa falta de respeito e de valorização ao profissional da educação.
No período eleitoral, a educação sempre é colocada como prioridade pelos políticos, mas, quando eleitos, o que vimos são os governos criarem todas as formas possíveis de artimanhas para burlar a maior conquista da nossa categoria. É revoltante e vergonhoso presenciar todas essas cenas, principalmente, quando parte de quem sempre defendeu a educação e que, hoje, se esquece disso!
Neste sentido, a direção do Sindicato-APEOC vem, através desta Nota, prestar irrestrita solidariedade aos professores e professoras da rede municipal de ensino da capital, que, ontem, sofreram uma brutal e covarde agressão por parte da Guarda Municipal de Fortaleza, convocada pela presidência da Câmara de Vereadores para reprimir e impedir que a categoria, em greve, fosse exercer democraticamente seu pleito: lutar por seus direitos, exigir que a mensagem do Executivo Municipal, que burla algumas conquistas da lei do Piso, não fosse aprovada.
Para nós do Sindicato-APEOC, não há nenhuma resposta oficial que possa justificar a selvageria promovida na Câmara Municipal, no dia de ontem.
Infelizmente, este ato de intransigência por parte dos poderes Legislativo e Executivo, em âmbito municipal, mancha de sangue a, até então, bela e respeitável, história de alguns companheiros (as) construída ao longo de anos de luta.
O Piso é Lei, e quem não a cumpre se torna um(a) fora da lei!
SINDICATO APEOC.
Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

4 comentários sobre “Sindicato APEOC divulga nota de solidariedade aos professores municipais em greve

  1. Concordo plenamente com a postura da Apeoc, pois afinal, a classe dos professores tentou todos os meios para poderem negociar. Contudo, como dito pela Apeoc, o Legislativo e o Executivo foram inflexíveis. Restou a última alternativa: a greve. O fato é que os atuais vereadores de situação e a prefeita estão desrespeitando os servidores e nós contribuintes. Plagiando o filme Tropa de Elite: Luiziane, PEÇA PARA SAIR!!! É O MELHOR QUE VOCÊ FAZ A FORTALEZA.

  2. O sindicato APEOC devia montar uma cartilha e entregar pro Sindiute. O conteúdo seria: “Como se reivindicar seus direitos”. Os professores têm sim direito de cobrar melhorias, mas a forma irresponsável e truculenta como essa greve foi conduzida tira deles qualquer apoio da sociedade. A direção desse sindicato está com os pés no século XIX. Estamos no século XXI. As coisas mudaram, mas a forma de protesto do Sindiute continua a mesma.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × um =