A SSPDS faz muito mais marketing do que ações policiais?

Com o título “O Marketing na Segurança Pública”, eis artigo do vereador e policial civil Julierme Sena (PR). “O que a gente percebe é que a propaganda e o marketing são mais importantes do que ações que realmente combatam a criminalidade”, diz ele, num trecho do artigo que pode ser conferido também no O POVO desta segunda-feira.

O Governo do Estado do Ceará não aprende com os próprios erros. Para o problema da insegurança, são apontadas sempre duas soluções: aumentar o efetivo e divulgar novos nomes para grupamentos da Polícia Militar.

No Governo Cid Gomes, a grande publicidade foi o Ronda do Quarteirão. Depois, o governador Camilo Santana divulgou que levaria o Raio para todas as regiões do Ceará. Mas os crimes violentos aumentaram 31,9% no Ceará no primeiro semestre de 2017, com 2.299 pessoas mortas. E mesmo sem resultados, o próximo passo é lançar o grupamento Força Tática.

O que a gente percebe é que a propaganda e o marketing são mais importantes do que ações que realmente combatam a criminalidade. Por isso, não é difícil concordar com a declaração do ex-secretário de Justiça, Hélio Leitão, que a Segurança Pública Estadual vive de ações midiáticas.

A Segurança Pública é, de fato, um problema complexo e que precisa do bom desempenho de todas as forças e instituições do sistema de segurança. Nós sabemos do grande trabalho da Polícia Militar em enfrentar e prender criminosos. Mas também é preciso desarticular quadrilhas e nos antecipar às ações criminosas. E isso só acontece com uma Polícia Civil fortalecida e valorizada. O que não é caso do nosso Ceará.

São 20 mil policiais militares para prender, e menos de três mil policiais civis para investigar e elaborar inquéritos policiais que comprovem os atos criminosos para que os bandidos não fiquem impunes. Além do baixo efetivo, existe o desvio de função, com policial civil fazendo a custódia de presos em delegacias, ficando impedido de sair e realizar seu trabalho investigativo.

A grande verdade é que a Polícia Civil não dá a visibilidade de que o marketing governista precisa, porque é um trabalho discreto e silencioso. E enquanto o governo priorizar a propaganda, os selfies e as redes sociais, a verdadeira investigação continuará sem acontecer e a impunidade seguirá estimulando ainda mais novos crimes.

*Julierme Sena

juliermecomunicacao@gmail.com

Vereador de Fortaleza (PR) e policial civil.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × cinco =