“Tempestade” atinge Fafá no show de Manzotti

Admiro o padre Reginaldo Manzotti e sua pregação, mas, confesso, lamentei, nesse III Evangelizar, realizado sábado, no aterro da Praia de Iracema, em Fortaleza, ter ouvido a cantora Fafá de Belém não ser tratada como merece. Ela foi convidada para integrar a gravação do DVD ao vivo do religioso, dividindo o palco com o padre na canção “A tempestade vai passar”.

Pois é, Fafá, cujo talento é reconhecido internacionalmente, foi vítima do tom que lhe impuseram na gravação. Teve que se esgolear para cantar essa música, pois seu parceiro de palco, Manzotti, mostrou não ter qualidades vocais de um grande cantor. No popular, em meio a um cenário nacional de tantas vozes estritentes de dupla sertaneja ou gritaria de bandas de forró ou coisa que o valha, ele escapa. Mesmo desafinando vez em quando. 

Como cantor, o Padre Manzotti aprovou como um excelente pregador. Voz pequena, mais para locutor de rádio e só. Não estamos aqui sendo contra a carreira artística dele que, no próprio evento, deixou claro: ali fazia um show de fé e não show de megastar. Nesse aspecto, Manzotti não mentiu e isso prova que o religioso sabe o que faz. Mas se não tem tantos dotes como cantor, ninguém pode menosprezar a sua capacidade maravilhosa de comunicador. Nisso, o padre é uma verdadeira bênção.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

2 comentários sobre ““Tempestade” atinge Fafá no show de Manzotti

  1. A igreja católica tem de por um freio nesses sacerdotes que deixam o altar em troca do palco. A vaidade substitui a humildade do pastor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + 4 =