Teste da linguinha pode se tornar obrigatório em maternidades

As maternidades podem ser obrigadas a realizar o chamado teste da linguinha nos recém-nascidos. Um projeto de lei da Câmara, que exige o procedimento, está pronto para ser votado pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS).

De autoria do deputado Onofre Santo Agostini (PSD-SC), o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 113/2013 obriga os hospitais e maternidades a realizarem o protocolo de avaliação do frênulo da língua nos bebês. O objetivo é o diagnóstico precoce da anquiloglossia ou anciloglossia, mais conhecida como língua presa.

Segundo o autor, a língua presa pode causar dificuldades na sucção, na deglutição, na mastigação e na fala. A dificuldade na sucção causaria ainda o desmame precoce. O teste da linguinha nos recém-nascidos possibilitaria o tratamento imediato e prevenção desses problemas.

Para o relator da matéria, senador Eduardo Amorim (PSC-SE), a medida é muito importante para a saúde das crianças. Ele ressaltou o prejuízo que a doença pode causar nos primeiros dias e meses de vida, já que afeta a amamentação, e também quando as crianças estão maiores.

“Em etapas posteriores, outras funções, a exemplo da mastigação e da fala, também podem ser prejudicadas. O distúrbio da fala ou da pronúncia (dislalia) pode interferir nas atividades escolares, sociais e familiares da criança, o que ressalta a importância do diagnóstico e do tratamento precoces da anomalia”, afirmou Amorim.

De acordo com o relator, o tratamento cirúrgico da anquiloglossia, quando indicado, é simples, rápido e pode ser feito com anestesia local durante a permanência do bebê no hospital.

(Agência Senado)

Vamos nós – Em Fortaleza, o teste já é aplicado no Gonzaguinha de Messejana.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × um =