Turista sofre com problema de segurança e, também, com precária segurança alimentar

Com o título “A folia dos turistas em apuros”, eis relator de Allan Aguiar sobre sério risco para os que visitam o Estado: além de problemas de segurança pública, a precária segurança alimentar. Confira:

Ana Cláudia chegou, em plena madrugada de domingo de Carnaval, com sua mãe na emergência lotada do Hospital Monte Klinikum. Nada parava no estômago da Ana Cláudia, a qual foi diagnosticada com algo parecido com Rotavírus produto de ingestão de alimentos contaminados. Ana Cláudia e sua mãe vieram do Rio para passar o Carnaval na Terra da Luz. A infecção alimentar foi forte e elas já estavam há quase 24 horas no Hospital a base de muitas bolsas de soro, antialérgicos, dipironas e profenid. Ao lado da Ana Cláudia e sua mãe estavam a Isabel e o Fernando, de São Paulo, também ligados nos mesmos medicamentos injetáveis. Abatidos, e com quadro de dengue, revelaram que escolheram Fortaleza por basicamente dois motivos: menor possibilidade de chuvas e preço. Segundo eles o pacote de carnaval para Fortaleza estava bem mais em conta que para Natal.

Chegaram na quinta-feira e logo foram perguntar onde se comia bons frutos do mar, principalmente lagostas e camarões. Desnecessário afirmar que nossa segurança alimentar desmontou por completo o passeio deles, azedando a experiência na terra da luz.

Conversando com médicos plantonistas descobri que as emergências dos hospitais particulares de Fortaleza andam abarrotadas de turistas submetidos a vírus e bactérias cabeça–chata. Ou seja, quando não são vítimas da precária Segurança Pública do Estado são atingidos pela Insegurança da prestação de serviços turísticos e alimentares de alguns estabelecimentos que, predadores que são, preferem explorar o Turista que o Turismo, atrapalhando a fidelização desse cliente chamado de turista, que de bobo não tem nada. Ele simplesmente não volta e ainda depõe contra o Destino Turístico junto a sua vasta rede de relacionamentos. Alguns incautos estabelecimentos comerciais precisam entender definitivamente que o principal marketing é o boca-a-boca e que enganar ou explorar turistas é um tiro certeiro no próprio pé.

A crise que assola o Turismo Cearense tem raízes profundas que perpassam, também, a precariedade dos serviços públicos, nomeadamente quanto a Segurança Pública e a Saúde Pública que teria, neste caso da Ana Claudia, que botar para funcionar a Vigilância Sanitária. Ao contrário, nosso lúcido Governo do Estado continua apostando em esqueleto de Aquário, Aeroportos regionais fantasmas e outros mamutes onerosos para a frustrada tentativa de incrementar e qualificar os fluxos turísticos nacionais e internacionais.

Após ser liberado, fiquei a refletir sobre a que ponto chegou nosso País, que assiste o mundo classificar-nos como ameaça global a saúde dos povos no planeta. Um país que corre o risco de assistir a realização de uma Olimpíada com delegações desfalcadas pelo medo da infecção de um mosquito. Só nos resta agora evitar, no quadro de medalhas, outros 7×1 da “Copa das Copas”

* Allan Aguiar,

Ex-Secretário de Turismo do Ceará e ex-Presidente da CTI/NE – Fundação de Turismo Integrado do Nordeste.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

2 comentários sobre “Turista sofre com problema de segurança e, também, com precária segurança alimentar

  1. O Allan poderia até ter razão, mas ele deveria falar do legado deixado quando passou pela SETUR no governo Lucio, quando me ponho a pensar só me vem à cabeça a ação polêmica dele de levar todos os prefeitos do Ceará para Portugal com passagem, hospedagem, transporte e alimentação ….. Êta secretário porreta!!!

  2. O Balanço da Gestão da SETUR/CE no período 2003 a 2006 foi objeto de publicação nos Jornais O Povo e Diário do Nordeste em fins de 2006. O desempenho dos agregados turísticos lá publicados falam por sí só e sepultam comentários leigos, raivozos e politizados. São resultados que só podem ser alcançados por uma equipe profissionalizada e focada em metas muito claras.
    Quanto ao Intercâmbio em Gestão Pública celebrado entre a Associação de Municípios de Portugal e a nossa APRECE – Associação de Prefeitos do Ceará, há época, o escriba Roberto M carece de aprofundamento. Como dizem, “viajou na maionese”. Mas isso é compreensível, considerando que não é obrigação de ninguem conhecer detalhes de uma parceria tão profícua e firmada há tanto tempo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 5 =