Um Paul McCartney sem frescuras

Com o título “Sir Paul, Generoso”, eis artigo do professor universitário Vasco Furtado, no O POVO desta terça-feira. Ele aborda o que destacamos neste Blog: a simplicidade e o profissionalismo de Paul mcCartney. Lição para as beldades atuais da nossa música popular brasileira. Confira:

Estive no Castelão. Poderia contar sobre a odisseia de lá chegar e sair, das dificuldades de sinalização, do calor sufocante, mas tudo isso me parece menor comparado à figura única de Paul McCartney.

Sempre fui admirador de sua obra, mas o show aqui em Fortaleza trouxe-me um algo mais que não costumo sentir por artistas ou celebridades quaisquer que sejam. A relação entre artistas e seus fãs é simbiótica. Não existe um sem outro. Artistas precisam de audiência, afinal, obtê-la é razão de sobrevivência. Ocorre que nos dias atuais a indústria da celebridade trabalha forte para criar ídolos que, pelo artificialismo de sua criação, são cada vez mais efêmeros.

Paul não tem nada de efêmero. Com os garotos de Liverpool ou em carreira solo, Paul sempre criou e encantou. Sua postura sem exotismos também já me era conhecida. Aqui em Fortaleza mostrou-se detentor de um carisma que me tocou. Talvez estive esperando que ele agisse de acordo com o que sua fama lhe daria o direito (a tirar pelo comportamento esnobe de grande partida dos famosos de hoje em dia). Ao contrário, Paul foi de um profissionalismo, uma simplicidade e uma classe sem tamanho.

Paul se preparou para compartilhar seu palco. Senti seu prazer em fazer sua audiência alegre com sua música. Seu interesse em se conectar com os cearenses foi tocante. Claro que era tudo programado. As “pescas” escritas em português e cearês que usava demonstrava isso. Mas por que aquilo tudo não soava falso? Porque era dito por Paul. Porque ele não precisava daquilo. Se fizesse um show tecnicamente correto, todos iriam adorar. Quis ir além. E foi.

Havia uma generosidade no ar. Ele tinha mais a nos dar do que nós a ele. O mais incrível é que, no fim, creio que ele ficou feliz. É a plenitude da relação simbiótica. A realização do astro pela emoção dos fãs. Astro. Essa palavra está muito bem aplicada a Paul. Ele não é desse planeta.

* Vasco Furtado

furtado.vasco@gmail.com
Cientista e professor universitário.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Um comentário sobre “Um Paul McCartney sem frescuras

  1. Perfeito “Sir Paul, Generoso” tivemos a certeza que o artista tem de estar sempre juntos do povo “fãs”. Fortaleza e a todos que estiveram presente ao big show sentiram neste grande e único encontro o respeito e a grandeza de um ser humano Astro, sem frescuras e botando boneco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 + dez =