Uma resposta ao Sr. Haroldo Barbosa

Com o título “Uma resposta ao Sr. Haroldo Barbosa”, eis artigo do sociólogo João Arruda Pontes, assessor do Paço Municipal. Ele rebate artigo do jornalista Haroldo Barbosa, que reclama falta de transparência, por parte da Prefeitura de Fortaleza, no que diz respeito à Lei de Acesso á Informação. Confira:

A idade já não nos permite duvidar de que a estupidez humana possa regredir à medida em que o tempo passa, simplesmente porque continuamos a testemunhar manifestações que engrossam a fileira dos incautos ou dos portadores de má-fé.

Esta minha primeira assertiva tem por base uma postagem feita aqui neste teu valioso espaço editorial, assinada por alguém que se identifica como jornalista de nome Haroldo Barbosa.

Depois de ler o texto, fiquei com a certeza de que apenas a máxima atribuída ao marqueteiro do Nazismo, Paul Joseph Goebbels, justicaria uma construção narrativa que mais parece a elegia de uma obsessão pela desinformação.

Segundo a máxima da comunicação nazista, “uma mentira repetida várias vezes pode ser aceita como verdade”. E parece ser esta a esperança do referido jornalista que, reiterada e injustificadamente encontra abrigo neste valioso espaço para lançar aleivosias e mentiras, posando de analista de números e dados imprecisos.

Em seu artigo disse ele que levou ao Ministério Público do Estado uma denúncia contra a Prefeitura de Fortaleza, reclamando que a gestão do prefeito Roberto Cláudio (PDT) não vem cumprindo a Lei Nº 12.527/11, conhecida como Lei de Acesso à Informação (LAI).

Só sendo muito desinformado, (o que não é compatível com a profissão que diz abraçar, o jornalismo) ele não saberia que a gestão do prefeito Roberto Cláudio vem obtendo contínuos reconhecimentos dos órgãos externos de controle da administração pública exatamente neste quesito: a transparência.

Para informar a todos os nossos eleitores, lembro que a gestão Roberto Cláudio recebeu do Tribunal de Contas da União o Prêmio Mérito Brasil de Governação e Gestão Públicas e da Controladoria Geral da União recebeu a nota máxima (Nota 10) na 3ª Edição na Escala Brasil Transparência, além de ter sido apontada, anteriormente, pelo Tribunal de Contas dos Municípios, como o Município mais transparente do Ceará.

Por isso, causa estranheza alguém, que se diz detentor da tão nobre função de jornalista, não atente a esses pequenos detalhes e decida assacar acusações inverídicas, ocupando uma instituição com tarefa que despende recurso público e que, com certeza, deve ter algo bem mais legítimo para tratar.

Se ele é incapaz de fazer leitura dos dados disponíveis para entender a contabilidade pública, devemos perdoá-lo. Mas quando verificamos seu curriculum vitae vamos identificar afeições e opções ideológicas que motivam uma postura leviana e pouco ou nada republicana.

Direito ao pensar diverso é uma garantia humana e constitucional. Mentir e agir com desfaçatez é um grave pecado que tem total dissonância com o mais básico princípio democrático.

Seria interessante que até para honrar o Código de Ética do Jornalista Brasileiro, o jovem escriba pudesse “apurar precisamente e divulgar corretamente” o que deseja que seja de conhecimento público.

A não ser que a sua cartilha de cabeceira seja mesmo o Manual de Goebbels, acho prudente, pelo bem inalienável da liberdade de expressão, que o dito jovem jornalista não escorregue no lamaçal do ódio gratuito e não seja tragado pela estupidez da ignorância ou pela tibieza de caráter.

Antes mesmo de engrossar as pilhas de processos que se avolumam em nosso Judiciário, ele pode recorrer aos conhecimentos de alguém que traduza os números e dados sobejamente expostos nos relatórios que foram analisados por TCM, TCU e CGU, instituições que premiaram Fortaleza exatamente por fazer aquilo que o desavisado dito jornalista não consegue enxergar.

*João Arruda

Sociólogo  assessor do Paço Municipal.

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

5 comentários sobre “Uma resposta ao Sr. Haroldo Barbosa

  1. Para além do linguajar esperneante do assessor (ou ascensor, na vã tentativa de elevar a gestão municipal?), Informação foi pedida à prefeitura e não foi dada. Premiação nenhuma muda essa realidade que, na verdade, depõe fortemente contra a honestidade dessa premiação. A prefeitura parece precisar de assessoria de concatenação lógica!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − dez =