Vice-presidente do DEM elogia coerência política de Luizianne Lins

Com o título “Luiziane força o reposicionamento de Tasso”, o escritor Ruy Cãmara, que também é vice-presidente regional do DEM, nos manda artigo. Ele elogia a coerência política da prefeita. Confira:    

Digam o que queiram a respeito da prefeita, Luiziane Lins. Eu próprio a considero despreparada para o cargo e atribuo o fracasso da sua gestão a falta de uma compreensão mínima da prefeita no que tange aos graves problemas urbanos, sociais e estruturais ainda não enfrentados. 

Mas ninguém em sã consciência pode acusá-la de falta de posicionamento ou de incoerência partidária. Nesse aspecto, Luiziane exemplifica a política do Ceará com muito mais coerência e fidelidade aos princípios partidários do que Cid, Tasso, Ciro juntos. 

Duas de suas virtudes políticas merecem respeito: a coerência partidária e a coragem de peitar quem vier meter a colher na panelada petista. Ela se posiciona assim porque tem convicção de que Cid é parcialmente Tasso; de que Tasso é visceralmente Ciro, mas por força das circunstâncias desfavoráveis, Tasso desta vez será José Serra. Sabe também que, com a inviabilidade de Ciro decretada por Lula, Dilma, PT e pelo PSB, Cid só terá uma alternativa: se curvar a sua vontade.

Ora, quem tem de fato autoridade, identidade e legitimidade para armar o palanque do PT no Ceará é Luiziane e não Cid, pois o PT de Luiziane é o mesmo de Dilma, do chefão do bando, José Dirceu, e não o PT dos petistas que se renderam às seduções de Cid, e nessas lutas é perceptível que ela, Luiziane, já tem musculatura suficiente para exigir que Cid pare de sofismar se quiser ter vez no palanque de Dilma.

Luiziane já deu a entender que não aceita os desvios de conduta do seu partido e muito menos que sairá desmoralizada nessa quebra de braços com Cid para inviabilizar o plano de Tasso, pois seu objetivo não é apenas reposicionar o senador no Palanque de Serra, mas mostrar que pode derrotá-lo, mesmo em sacrifício da sua bancada. 

Quando ela afirma categoricamente que o PT não aceita – nem direta, nem indiretamente – o senador Tasso Jereissati no arco de alianças de Cid (posição igualmente repudiada pelos DEMOCRATAS de oposição), além de recolocar os petistas nos trilhos da coerência partidária, força também o senador Tasso a corrigir-se em postura e, conseguintemente, a corrigir também os desvios de condutas programáticas do seu PSDB no Ceará.

Seguramente Tasso já compreendeu que sua posição não é tão confortável como se presume por aí, e agora, prestes a ser eliminado do arco dos apoiadores de Dilma, deverá se reorientar politicamente, e o melhor caminho a seguir é apoiar nomes de oposição pinçados do DEM e PPS (esse é o alinhamento nacional), fortalecendo assim o palanque de José Serra e a si próprio.

Mas quem viver verá que Tasso não se afastará de Cid, mesmo sabendo que comete um erro, pois nessas alturas é um problemão para Cid, que já anda por aí bastante preocupado com as conseqüências eleitorais de contrariar alguns deputados federais e estaduais que já se sabiam eleitos nesse insustentável arrastão eleitoral que Luiziane cuida de esfacelar sem receio algum.

Ruy Câmara

Escritor e sociólogo

Eliomar de Lima

Sobre Eliomar de Lima

Jornalista, radialista, professor e escritor de histórias infantis, mas, acima de tudo, um viciado em informação, não dispensa cantarolar de vez em quando. Pra não dizer que fugimos do mundo da intelectualidade, temos Especialização em Gestão da Comunicação. Email:eliomarmar@uol.com.br / eliomardelima@gmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 + dezoito =